LateralMúsica de câmaraProgramaçãoRio Grande do Sul

“Violões de Porto” na Ecarta

No sábado (25), o Ecarta Musical, um dos cinco projetos da Fundação Ecarta, em Porto Alegre, traz o coletivo de violonistas Violões de Porto para apresentar o concerto “Versátil.

Utilizando-se da música popular brasileira à ópera vienense, passando pelo impressionismo francês e o modernismo cubano, a camerata conduz o público aos mais variado timbres e às mais variadas articulações que o violão permite. No repertório há obras de Chiquinha Gonzaga, Egberto Gismonti, Georges Bizet, Leo Brouwer, Luigi Boccherini, Daniel Wolff e Maurice Ravel.

A míni orquestra é composta pelos músicos Bruno Duarte, Eduardo Pastorini, Douglas Wagner, Felipe Herbert, Marcel Estivalet, Rafael Lopes, Thiago Kreutz e Tomas Haushahn e, no ano passado, lançou o primeiro álbum intitulado “Carmen e os Violões”.

PROGRAMA

Chiquinha Gonzaga (1847-1935)
Ó Abre Alas

Atraente
Lua Branca
Gaúcho

Egberto Gismonti (1947)
Água e Vinho

Georges Bizet (1838-1875)
Aragonaise
Entre’Act
Habanera

Maurice Ravel (1875-1937)
Pavane pour une Infante Défunte

Leo Brouwer (1939)
Paisaje Cubano com Lluvia

Daniel Wolff (1967)
Abertura Consort

Luigi Boccherini (1743 – 1805)
Introduction et Fandango

 

SERVIÇO

 

Violões de Porto na Ecarta

Dia 25 de janeiro, sábado, às 19h

Ecarta (Av. João Pessoa, 943 – Porto Alegre – 51 4009 2970)

 

Ingressos: a produção não informou

 

Para escutar o coletivo: https://tratore.com.br/um_cd.php?id=18552

 


Um pouco mais sobre os oito violonistas

Bruno Duarte – vencedor do edital Luso-Brasileiras, no qual recebeu bolsa para estudar durante seis meses na Universidade de Aveiro (Portugal), em 2016. É organizador do Festival de Violão da Ufrgs, desde 2014.

Eduardo Pastorini – é mestre e doutor em Música. A pesquisa acadêmica de Pastorini foi indicada para o Prêmio Funarte de Produção Crítica, em 2016. É professor adjunto da Fundação Municipal de Artes de Montenegro (Fundarte) e professor titular do curso de licenciatura em Música, do Instituto Superior de Educação Ivoti (Isei).

Douglas Wagner – é regente da orquestra de violões, da escola Cordas & Cordas, e professor de violão, desde 2009, com orientação de alunos aprovados em universidades brasileiras e conservatórios italianos. Cursou um semestre de Ciências Musicais e Baixo Contínuo na Universidade Nova de Lisboa (Portugal), após ser selecionado entre 17 mil inscritos no programa Fórmula Santander.

Felipe Herbert – vencedor do I Concurso Juan Carlos Amat sob audiência do consulado espanhol, tem realizado diversos concertos em Porto Alegre e região metropolitana, além de recitais em Gramado e Pelotas. É professor e, além de violonista, atua como guitarrista, baterista e pianista.

Rafael Lopes – frequentou a Universidade de Aveiro (Portugal) e Berklee College of Music (Estados Unidos). É bacharel e mestre em Música. Possui dois álbuns lançados e foi indicado ao Prêmio Açorianos de Música, em 2018, na categoria Intérprete Instrumental.

Marcel Estivalet – é músico e professor desde 2006 e executa concertos solos e nas mais variadas formações de música de câmara. Realizou uma série de concertos didáticos intitulados O Violão Através dos Séculos em escolas públicas. Participou do recital Eduardo Castañera e Convidados, juntamente com o violonista João Souza. Desde 2013, se aperfeiçoa com músicos internacionais Eduardo Fernandez (Uruguai), Álvaro Pierri (Austrália) e Eduardo Castañera (Argentina).

Thiago Kreutz – por dois anos consecutivos, foi um dos vencedores do concurso Jovens Solistas, da Orquestra Fundarte. Em 2014, foi agraciado com a segunda colocação no 33º Concurso Latino-Americano Rosa Mística. Além de apresentações solo e em grupos de câmara, é professor.

Tomas Haushahn – cursa o bacharelado em violão sob orientação de Daniel Wolff, na Ufrgs. Além de se apresentar em performances solo e com grupos de câmara, atua como professor.

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.