Música coralMúsica sinfônicaNotíciaProgramaçãoRio de Janeiro

Viagem à Rússia por R$ 1

OSB promove Concerto da Juventude com peças de Khachaturian, Prokofiev, Korsakov e Tchaikovsky.

 

A Orquestra Sinfônica Brasileira leva o público do próximo Concerto da Juventude para uma viagem musical à Rússia. No dia 27 de julho, às 11h, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, os músicos, comandados pelo maestro Roberto Duarte, interpretam obras dos compositores russos Khachaturian, Prokofiev, Korsakov e Tchaikovsky. No programa estão as peças Masquarade, marcha da ópera O amor das três laranjas Pills ; Pills Procissão dos Nobres, da ópera-balé Mlada; e Marcha Eslava. A abertura da apresentação será comandada pelo Coro de Crianças da OSB, sob a regência do maestro Buy Julio Moretzsohn. Os ingressos estarão à venda por R$ 1 na bilheteria do Theatro Municipal, uma hora antes do início do concerto.

O Coro de Crianças da Orquestra abre o espetáculo com a canção russa de 1860 Kalinka, de Larionov. Em seguida, o grupo emenda em All Things Pass, de Chilcott; e Futebol, do compositor pernambucano Naná Vasconcelos. A OSB inicia a sua performance tocando Masquarade, de Khachaturian, composta em 1941 para uma peça teatral de mesmo nome escrita pelo poeta e dramaturgo russo Mikhail Lermontov. Formada por cinco movimentos (Valsa, Noturno Buy , Mazurka diflucan over the counter walgreens , Romance e Galope), a obra teve sua online première Pills em 1941, em Moscou.

A marcha da ópera O amor das três laranjas, de Prokofiev, foi composta em 1919, a partir de uma adaptação feita para o teatro pelo italiano Carlo Gozzi do conto de fadas de mesmo nome. A estreia da obra aconteceu em 1921, na Casa de Óperas de Chicago, com o próprio compositor na regência.

Metade ópera, metade balé, Mlada, de Korsakov, data de 1889 e não figura entre as principais óperas do meio clássico, tanto é que a sua estreia em novembro de 1892 não foi um grande sucesso em São Petersburgo. Apesar de não ser uma obra tão notável, a passagem interpretada pela orquestra, Procissão dos Nobres, uma introdução orquestrada do segundo ato, é a única música mais conhecida.

Encerrando a “viagem”, os músicos apresentam o trabalho patriota de Tchaikovsky, Marcha Eslava. A obra, encomendada em 1876 pela Sociedade Musical da Rússia, é uma homenagem aos soldados sérvios feridos na guerra que se travava entre turcos e sérvios naquele período. Externando o seu lado mais nacionalista, Tchaikovsky fez uso na composição de canções folclóricas eslavas e de citações ao hino nacional russo, Deus Salve o Czar.

Maestro Roberto Duarte

Roberto Duarte começou sua carreira internacional logo após ter sido laureado com o prêmio Serge Koussevitzky, no Concurso Internacional de Regência do Festival Villa-Lobos, no Rio de Janeiro, em 1975. Tem regido importantes orquestras fora do Brasil, como a Orquestra de Câmara de Moscou, a Rádio Suisse Romande, a Filarmônica de Ungarische, entre outras.

Foi regente titular e diretor artístico da Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, da Sinfônica do Paraná e da Orquestra Unisinos, no Rio Grande do Sul, e fundou a Orquestra do Theatro São Pedro, em São Paulo. Considerado um especialista na obra orquestral de Villa-Lobos, sob sua batuta foram gravados na Europa vários CDs para o selo Marco Polo com obras do mestre. Com a Orquestra de Câmara Tommaso Traeta (por ele fundada, na Itália, em 1988), gravou obras inéditas do compositor italiano Comte de Saint Germain e do brasileiro José Maurício Nunes Garcia.

Duarte recebeu da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) o prêmio de melhor regente do ano de 1994 e 1997. Em novembro de 1996 recebeu do Governo Brasileiro, por meio da Fundação Nacional de Arte (Funarte), o Prêmio Nacional da Música, como regente. Em 2001 e 2010 recebeu o Prêmio Carlos Gomes por sua atuação no campo da ópera, como regente e revisor. Atualmente é membro da Academia Brasileira de Música.

Coro de Crianças da OSB

O CCOSB foi criado pelo maestro Roberto Minczuk em abril de 2010. Formado hoje por 60 integrantes com idade entre oito e 16 anos, o Coro é dirigido pelo maestro Julio Moretzsohn e pela maestrina assistente Denize Vieira. Sua atuação é voltada para as apresentações da OSB, como também para recitais independentes, dedicando-se a obras do repertório sinfônico e camerístico.

A série Concertos da Juventude

Iniciada em 1943, a série Concertos da Juventude leva a música clássica para novos públicos, com o objetivo de democratizar o acesso a ela. Em 2013 comemorou-se 70 anos da mais tradicional série de concertos do Rio de Janeiro. A cada apresentação, mais de 400 estudantes – a sua maioria da rede pública de ensino – são levados ao Theatro Municipal. Os alunos ganham transporte e lanche, e vão levar o que aprenderam para discussões em sala de aula. Entre cada número, o regente faz uma breve explanação sobre as obras.

 

SERVIÇO

Concerto da Juventude – Viagem à Rússia

how much does prazosin lower blood pressure 27 de julho, domingo, às 11h

 

Orquestra Sinfônica Brasileira

Roberto Duarte, maestro convidado

Coro de Crianças da OSB

Julio Moretzsohn, regente do Coro

 

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Marechal Floriano s/nº, Centro)

Informações do Theatro: (21) 2332‐9191/ 2332‐9005, a partir das 10h.

Bilheteria: 2332‐9005 / 2332‐9191

 

Classificação: Livre

Preço: R$ 1 (com ingressos à venda na bilheteria uma hora antes do início do espetáculo)

 

Capacidade: 2.237 lugares – 456 (plateia), 344 (balcão nobre), 406 (balcão superior), 94 (balcão lateral), 624 (galeria), 100 (galeria lateral), 132 (frisas), 69 (camarotes)
Acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção na entrada lateral do Theatro na Avenida Rio Branco

Programação sujeita à alteração