LateralMúsica sinfônicaNotíciaSão Paulo

Vencedores do 9º Prêmio Ernani de Almeida Machado

A Santa Marcelina Cultura e Machado Meyer Advogados anunciam uma novidade para a nona edição do Prêmio Ernani de Almeida Machado: a criação da categoria Maria Vischnia, voltada exclusivamente para as jovens instrumentistas da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. A regência é de Cláudio Cruz.

No valor de R$ 32 mil, a premiação será destinada à bolsista de maior destaque. A iniciativa é uma ação afirmativa que visa contribuir para a promoção da equidade de gênero e para o desenvolvimento musical das alunas.

O anúncio dos vencedores do 9º Prêmio Ernani de Almeida Machado será feito no concerto da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, grupo ligado à EMESP Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura, no dia 06 de dezembro, domingo, às 16h, na Sala São Paulo.

Com patrocínio do Machado Meyer Advogados, a premiação contempla uma bolsa de R$ 100 mil para o aperfeiçoamento dos estudos no exterior e outras quatro no valor de R$ 22 mil cada visando aprimoramento, ou a aquisição de instrumentos, além dos R$ 32 mil da categoria Maria Vischnia.

O concerto será também transmitido pelo canal de YouTube da EMESP Tom Jobim.

 

PROGRAMA

Gilberto Mendes
Ponteio

Ottorino Respighi
Os pássaros

Georg Friedrich Händel
Music for the Royal Fireworks

 

Homenagem 

O nome da nova categoria do Prêmio Ernani de Almeida Machado é em homenagem a Maria Vischnia que foi a primeira professora de violino do Departamento de Música da USP, primeira coordenadora da Universidade Livre de Música (atual EMESP Tom Jobim) e ainda atuou como primeiro violino do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, e como spalla da Orquestra Jazz Sinfônica.

O Prêmio Ernani de Almeida Machado é uma iniciativa da Santa Marcelina Cultura e do Machado Meyer Advogados. Desde 2012, quarenta bolsistas da Orquestra Jovem do Estado já foram premiados.  São vários os exemplos de bolsistas que conseguiram ingressar nos melhores centros de formação musical do mundo.

Os vencedores foram aprovados em conservatórios como o Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris, Conservatório de Amsterdã, o Mozarteum de Salzburgo, na Áustria, Conservatório de Colônia, na Alemanha, entre outros. O vencedor da primeira edição, por exemplo, foi o primeiro percussionista brasileiro aceito para o mestrado no Conservatório de Paris e já concluiu sua especialização.

O Prêmio Ernani de Almeida Machado se constituiu em um importante estímulo para os bolsistas poderem almejar novos horizontes em suas carreiras e, ao mesmo tempo, abre portas para o desenvolvimento musical.

 

SERVIÇO

 

Orquestra Jovem do Estado – Vencedores do 9º Prêmio Ernani de Almeida Machado

Dia 06 de dezembro, domingo, às 16h

Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes, 16 – Campos Elíseos – São Paulo)

Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia)

 

 

Cláudio Cruzdiretor musical e regente titular

Iniciou-se na música com seu pai, o luthier João Cruz, posteriormente recebeu orientações de Erich Lenninger, Maria Vischnia e Olivier Toni. Foi premiado pela APCA e recebeu os prêmios Carlos Gomes, Bravo, Grammy, entre outros. Foi regente titular das sinfônicas de Ribeirão Preto e de Campinas.

Em 2017, gravou CDs com a Royal Northern Sinfonia, em New Castle, na Inglaterra, e com o Quarteto Carlos Gomes, com obras de Carlos Gomes, Alexandre Levy e Glauco Velasquez. Gravou o terceiro CD com a Orquestra Jovem do Estado, com obras de Bartok, Kodaly e Flo Meneses, e lançou as edições dos Quartetos de Alberto Nepomuceno no Festival de Campos do Jordão e na Sala São Paulo.

Participou do Festival Internacional de Música de Câmara “La Musica”, na Florida, e do Festival Internacional de Música e Câmara da Universidade da Georgia, ambos nos Estados Unidos. Atuou como diretor musical e regente nas montagens das óperas Don Giovanni e La Belle Helene no Theatro São Pedro. Atualmente, é regente e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo e primeiro violino do Quarteto de Cordas Carlos Gomes.

 

Orquestra Jovem do Estado de São Paulo

Referência tanto por seu bem-sucedido plano pedagógico quanto por sua cuidadosa curadoria artística, a Orquestra Jovem do Estado é sinônimo de excelência musical no Brasil. Desde sua reformulação, em 2012, a Orquestra passou a ter uma exigente programação artística aliada a um novo plano pedagógico elaborado pela Santa Marcelina Cultura, o que ocasionou um expressivo salto de qualidade do grupo.

A Santa Marcelina Cultura convidou Cláudio Cruz em 2012 para assumir a direção musical e a regência principal da Orquestra, que hoje apresenta uma marcante identidade sonora, com uma forte coesão interna que permite a construção de repertórios cada vez mais desafiadores técnica e estilisticamente.

Esse resultado é fruto também da abrangência das atividades pedagógicas propostas, que formam e inspiram os jovens instrumentistas. Ciente da importância da vivência internacional para a formação dos jovens músicos, a Orquestra realiza regularmente turnês no exterior.

Com atuações elogiadas pelo público e crítica internacional, o grupo já se apresentou em importantes salas de concerto, como o Lincoln Center, em Nova York, o Kennedy Center, em Washington e a Konzerthaus, em Berlim – além de ter participado como orquestra residente do Festival Berlioz, na cidade natal do compositor francês, La Côte-Saint-André, interpretando a Sinfonia Fantástica.

 

PRÊMIO ERNANI DE ALMEIDA MACHADO (2012 – 2019)

8 edições realizadas
40 bolsistas contemplados


Vencedores das edições anteriores 

2019

Erick Venditte dos Santos (trompete) -> Hochschule Der Künste Bern (Berna/Suíça)

Thiago Sandoval (clarinete)

Guilherme Marques Caldas (viola)

Guilherme Peres (violino)

Lucas Martins Pedro (flauta)

 

2018

Bruno da Silva Ghirardi (clarinete) -> Conservatório de Colônia (Alemanha)

Diego Adinolfi (violino)

Jean Arthur (flauta)

Marina Caputo (violino)

Saulo Roberto (contrabaixo)

 

2017

Marcus Vinícius de Oliveira Figueiredo da Silva (contrabaixo) -> Royal Northern College of Music (Manchester)

Guilherme Santana (viola)

Alexandre Pinatto (violino)

Jonatas Oliveira Carmo (clarinete)

Jamile Costa Destro (violino)

 

2016

Gustavo Nunes Juventino (clarinete) -> Academia Nacional Superior de Orquestra (Lisboa)

Filipe Dos Santos Esteves (clarinete)
Jean Arthur Medeiros da Silva (flauta)
Lucas de Oliveira Espíndola (trompete)
Luís Abelardo Chávez Quispe (fagote)

 

2015

Filipe dos Santos Esteves (clarinete) -> Conservatório Della Svizzera Italiana (Lugano, Suíça)

Ariane Rovesse (clarinete)

Jean Arthur da Silva (flauta)

Johann Cardoso (trompa)

Renan Gonçalves (violino)

 

2014

Guilherme Afonso de Moraes Silva (violoncelo) -> Mozarteum de Salzburg (Áustria)

Filipe dos Santos Esteves (clarinete)

Johann Cardoso Marianno Pereira (trompa)

Matheus de Souza Carmo Posso (violoncelo)

Sandra Daniela Mora Valenzuela (percussão)

 

2013

Lucas Bernardo da Silva (violino) -> Conversatório de Amsterdã (Holanda)

Layla Köhler Baratto (oboé)

Ariane Rovesse de Alencar Freitas (clarinete)

Matheus Silva Mello (violoncelo)

Rafael do Nascimento Figueiredo

 

2012

Rubens Celso Lopes Filho (percussão) – Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris (França)

Lucas Bernardo (violino)

Gabriel Takano (contrabaixo)

André Ramos (fagote)

Filipe dos Santos Esteves (clarinete)

 

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.