CríticaMovimentoMúsica sinfônicaRio de Janeiro

Uma noite de Prazeres

Talento de Paulo Szot é ofuscado por performance irretocável da Opes no Municipal.

 

O primeiro concerto da Orquestra Petrobras Sinfônica (Opes) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, realizado em 20 de março, abrindo a série Djanira, apresentava ao público três atrações especiais: a estreia de Alma Carioca, obra comissionada pela Orquestra ao compositor Marcelo Caldi para comemorar os 450 anos do Rio de Janeiro; a Sinfonia n. 3 em Dó Maior, Op. 52, de Jean Sibelius, compositor cujo sesquicentenário é comemorado em 2015; e a presença do barítono pop Paulo Szot Cheap para interpretar Pills Buy Canções e Danças da Morte, obra de Modest Mussorgsky (com orquestração de Dmitri Shostakovich). A noite prometia muitas estrelas!

Sob a regência do maestro Carlos Prazeres, a récita foi aberta pela novidade do repertório. Alma Carioca doxycycline hyclate 100mg tablet se inicia quase como uma fanfarra em desalinho e vai ganhando cores à medida que se desenvolve – é quase como o alvorecer na Cidade Maravilhosa, em que o céu começa violeta, torna-se rosáceo e vai ganhando brilhos alaranjados. A bonita peça de Caldi tinha momentos de bastante ritmo, com intervenções líricas das cordas e forte presença dos metais.

O segundo homenageado da noite – o finlandês Jean Sibelius – foi o momento mais sublime do concerto. A belíssima Purchase Sinfonia n. 3 em Dó Maior, Op. 52, mais clássica que as duas primeiras do compositor, foram executadas à perfeição pela Orquestra e pelo maestro Prazeres. No primeiro movimento (Allegro moderato), o grupo atendeu brilhantemente às variações de andamento e intensidade, com participação impecável das violas e dos contrabaixos, e delicadas intervenções das flautas. A partitura alterna-se, ora radiante, ora sombria, mas sempre cheia de vida. O segundo movimento (Andantino con moto, quasi allegretto) começa quase como uma valsa, delicado; logo vêm Pills pizzicati e seguimos navegando entre os sons médios da orquestra. Regendo com elegância, Prazeres extraiu de seu grupo piani muito expressivos e delicados. O último movimento (Moderato – Allegro ma non tanto) chegou com mais imponência, com presença das trompas – a “cristalização do caos”, segundo o compositor. Loas à Opes por uma execução coesa, intensa e sem deslizes.

Após o intervalo, entrou em cena a atração internacional, ainda que brasileiro: o barítono paulista Paulo Szot, que atualmente faz carreira nos Estados Unidos, para Canções e Danças da Mort Buy online e, composição de Mussorgsky sobre poemas do russo Arseny Golenishchev-Kutuzov. Escrito originalmente para soprano e piano, posteriormente foi transposto para barítono e ganhou orquestrações de Shostakovich. As letras são um tanto lúgubres (exceto na última canção, mais belicosa) e trazem a morte para o centro das atenções: é ele que nina o bebê ou dialoga com o bêbado. A música é um tanto impressionista e deveras melancólica.

O público pode acompanhar as canções graças à feliz iniciativa de distribuir impressos com as versões das letras em português e acender as luzes da sala. O solista, dono de voz de projeção impecável e timbre privilegiado, soube fazer do idioma russo original um trampolim para alcançar expressividade. Seus graves são generosos e os agudos, gentis. Mesmo sendo iguaria finíssima, a obra acabou ficando ofuscada pela majestade da execução da sinfonia de Sibelius e não atingiu o efeito esperado – tanto que o bis do cantor (uma ária da ópera Eugene Onegin, de Tchaikovsky) causou mais impacto. Em noite de tantas estrelas brilhantes, sobressaiu-se a delicadeza da regência de Carlos Prazeres – este também celebrando seu aniversário na data. Parabéns!} else {d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Leave a Response

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com