Música de câmaraProgramaçãoRio de Janeiro

Trio Mignone homenageia patrono

Conjunto comemora 16 anos de carreira com concerto na Cidade das Artes.

 

Comemorando 16 anos de atividades ininterruptas em 2018, o Trio Mignone presta homenagem a seu grande patrono, o maestro Francisco Mignone (1897-1986) , com a apresentação de seu Trio n. 1 no dia 1 de setembro, às 20h, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.. Na segunda parte do programa, são apresentados dois importantes trios do repertório camerístico: o Trio WoO 37, de L. van Beethoven, e o Trio, Op. 63, de C. M. von Weber.

Formado por Afonso de Oliveira (flauta), Ricardo Santoro (violoncelo) e Miriam Grosman (piano), o Trio Mignone foi criado em 2002 com o objetivo de promover o registro inédito em CD de duas belíssimas obras do maestro Mignone: os trios para essa formação. Lançado em 2006 na Sala Cecília Meireles, o CD obteve a condecoração máxima da prestigiosa revista francesa Diapason.

Devido à grande afinidade entre os músicos, todos profissionais da Escola de Música da UFRJ, o Trio Mignone vem mantendo, ao longo dos anos, uma trajetória constante de apresentações nas principais salas de concertos do Brasil. Com grande receptividade do público e da crítica especializada, tem como um dos seus principais objetivos a divulgação da música brasileira de concerto, em especial a de Francisco Mignone.

 

Integrantes

Afonso Oliveira graduou-se em Flauta na Escola de Música da UFRJ e concluiu o mestrado na mesma instituição, na qual leciona desde 1999. Estudou flauta e interpretação musical com professores como Eduardo Monteiro, Celso Woltzenlogel e Noël Devos. Atuou em diversas formações instrumentais, entre elas a Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, a Orquestra Sinfônica Brasileira, a Orquestra Petrobras Sinfônica e a Orquestra Sinfônica da UFRJ. Dedicou-se à performance da música barroca com participações nos grupos Brasil Barroco (coro e orquestra), conjunto instrumental Núcleo XVIII (dirigido pelo cravista Marcelo Fagerlande), além de ter se apresentado como solista com a Sinfônica da UFRJ.

Ricardo Santoro iniciou seus estudos musicais com seu pai, o contrabaixista Sandrino Santoro. É mestre pela UFRJ e violoncelista das Orquestras Sinfônicas Brasileira e da UFRJ. Faz parte dos conjuntos Duo Santoro (violoncelos), Trio Aquarius (piano, violino e violoncelo) e Harmonitango (piano, gaita e violoncelo). Constam em sua discografia os CDs Bem Brasileiro e Paisagens Cariocas (com o Duo Santoro); Trios Brasileiros e Peace to the City (com o Trio Aquarius); Francisco Mignone – Obras para flauta, violoncelo e piano (com o Trio Mignone) e Harmonitango (com o grupo homônimo).

A pianista Miriam Grosman é doutora em Artes Musicais pela Catholic University of America (Washington DC) e mestre em Música pela UFRJ, onde atualmente é professora titular. Desenvolve também intensa atividade artística como solista e camerista, com apresentações no Brasil, Portugal, Espanha, Áustria, Itália e Estados Unidos, com foco principal em música brasileira para piano. Sobre sua interpretação dos Seis Estudos Transcendentais, de Francisco Mignone, o jornalista Carlos Dantas publicou, na Tribuna da Imprensa de 3/5/2006: “a pianista Miriam Grosman nos dá uma versão que prima pela dinâmica filigranada, pela conduta técnica dominada senhorilmente. Performance nota 10”.

 

Foto: Priscila Bomfim

 

SERVIÇO:

 

Trio Mignone

 

1 de setembro, sábado, às 20h

Cidade das Artes – Teatro de Câmara (Av. das Américas, 5.300, Barra da Tijuca – Rio de Janeiro. Tel.: 21 3325-0102)

 

Ingressos: R$ 30, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Capacidade: 450 pessoas

Livre para todos os públicos

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.