Música contemporâneaProgramaçãoRio de Janeiro

Trio Aquarius homenageia Edino Krieger

Apresentação no Centro de Referência da Música Carioca terá obras do compositor que comemora 85 anos.

No sábado, dia 7 de dezembro, às 19h30, o palco do Centro de Referência da Música Carioca ganhará timbres clássicos. O Trio Aquarius, formado Flávio Augusto (piano), Ricardo Amado (violino) e Ricardo Santoro (violoncelo), participa da série Música para Todos. O concerto homenageia os 85 anos do compositor Cheap Edino Krieger com a apresentação da última obra de câmara escrita por ele: o Trio Tocata, dedicado ao Aquarius (cuja estreia mundial ocorreu pelo próprio Trio na 19ª Bienal de Música Brasileira Contemporânea, em 2011).

No programa também está a composição Estudos Intervalares, dedicada a Flávio Augusto, além da Sonatina, originalmente escrita para piano, mas transcrita para a formação do Trio Aquarius para este concerto. O recital terá ainda as obras Trio, de Guerra-Peixe, e Cinco Miniaturas Brasileiras, de Villani-Côrtes.

Edino Krieger com o Trio Aquarius
Edino Krieger com o Trio Aquarius

O concerto marca ainda os 22 anos de atividades do Trio Aquarius, grupo que tem como um de seus principais objetivos a divulgação da música brasileira de todas as épocas. Para tanto, já gravou dois CDs com obras de Nestor de Hollanda Cavalcanti, Villani-Côrtes, Henrique Oswald, Guerra-Peixe e Francisco levitra sydney Braga. Em 2009, o Trio Aquarius foi o trio escolhido pela direção do Museu Villa-Lobos para fazer a inédita integral no Brasil dos trios de Heitor Villa-Lobos, dentro das comemorações oficiais do 50º aniversário de morte do maestro, na Sala Cecília Meireles.

Sobre Edino Krieger

Nascido em Brusque/SC a 17 de março de 1928, Krieger iniciou aos 7 anos estudos de violino com seu pai, Aldo Krieger, violinista, compositor, regente e fundador do Conservatório de Música local. Realizou recitais de violino em diversas cidades a partir dos 9 anos e aos 15 transferiu-se para o Rio de Janeiro, com bolsa de estudos do governo do estado, para prosseguir seus estudos no Conservatório Brasileiro de Música, onde iniciou estudos de contraponto, harmonia e composição com H. J. Koellreutter, compositor e professor alemão chegado ao Brasil no período da 2ª Guerra Pills Mundial.

online

Em 1945 recebeu o Prêmio Música Viva por seu Trio de Sopros, passando então a integrar o Grupo Música Viva de compositores de vanguarda, ao lado de Koellreutter, Claudio Santoro, Guerra-Peixe e Eunice Catunda. Em 1948 foi escolhido em concurso para estudar com Aaron Copland, no Berkshire Music Center de Massachussets, Estados Unidos, onde assistiu também a aulas de Darius Milhaud, estagiou por um ano na Juilliard School of Music de Nova York, na classe de composição de Peter Mennin, e estudou violino com William Nowinsky na Henry Street Settlement School of Music.

Retornando ao Brasil em 1950, iniciou uma atividade permanente como produtor de programas musicais para a Rádio MEC, na qual exerceu a função de diretor musical e organizou a Orquestra Sinfônica Nacional. De 1950 a 1952 exerceu a crítica musical do jornal Tribuna da Imprensa. Em 1955 obteve o Prêmio Internacional da Paz do Festival de Varsóvia e o Prêmio da Fundação Rottelini de Roma.

Como bolsista do Conselho Britânico, estudou em Londres durante um ano na Royal Academy of Music. Em 1959 obteve o primeiro prêmio no 1º Concurso Nacional de Composição, instituído pelo Ministério da Educação, com o Divertimento para Cordas, e recebeu Medalha de Honra do Cinquentenário do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 1961 seu Quarteto de Cordas nº 1 obteve o Prêmio Nacional do Disco.

Em 1965 suas Variações Elementares foram apresentadas pela primeira vez no 3º Festival Interamericano de Música de Washington e, no ano seguinte, seu Ludus Symphonicus estreou com a Orquestra de Filadélfia no 3º Festival de Música de Caracas, Venezuela. Em 1966 e 1967 obteve Medalha de Ouro nos Festivais Internacionais da Canção, no Rio de Janeiro. Em 1969 e 1970 organizou e dirigiu os Festivais de Música da Guanabara, dos quais se originaram, a partir de 1975, as Bienais de Música Brasileira Contemporânea. Em 1969 e 1988 recebeu o Troféu Golfinho de Ouro pelo conjunto de sua obra.

http://andantefilm.se/purchase-bupronorphine/

Dirigiu a divisão de música clássica da Rádio Jornal do Brasil e exerceu a crítica musical no Jornal do Brasil. Em 1976 assumiu a direção artística da Fundação de Teatros do Rio de Janeiro. Em 1979 criou o Projeto Memória Musical Brasileira/PRO-Memus, junto ao Instituto Nacional de Arte da Funarte, do Ministério da Cultura. De 1981 a 1989 exerceu a direção do Instituto Nacional de Música. Em 1989 assumiu a presidência da Funarte. De 2003 a 2006 exerceu a presidência da Fundação Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Em 1994 recebeu o Prêmio Nacional da Música do Ministério da Cultura. Foi eleito, em 1998, presidente da Academia Brasileira de Música. Em 1998 foi agraciado com a Medalha Pedro Ernesto, maior honraria concedida pela cidade do Rio de Janeiro a personalidades do meio cultural.

Seu catálogo inclui obras para orquestra sinfônica e de câmara, oratórios, música de câmara, http://diniharie.mhs.narotama.ac.id/2018/02/02/cheap-aygestin-and/ obras para coro e para vozes e instrumentos solistas, além de partituras incidentais para teatro e cinema.

(texto adaptado do disponível no site da Academia Brasileira de Música)

SERVIÇO:
Trio Aquarius homenageia Edino Krieger
7 de dezembro de 2013, às 19h30 Pills
Centro Municipal de Referência da Música Carioca Artur da Távola (R. Conde de Bonfim, 824, Tijuca. Tel: 3238-3831). Buy
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (idosos e estudantes)