ÓperaProgramaçãoRio de Janeiro

TMRJ apresenta “La Cenerentola” no Projeto Ópera do Meio-Dia

Obra de Gioachino Rossini, inspirada no conto Cinderela, será o segundo título da série apresentada por solistas do Coro do TMRJ

 

Com base no conto de fadas Cinderela, do escritor francês Charles Perrault, o italiano Jacopo Ferreti desenvolveu o libreto e Gioachino Rossini compôs La Cenerentola, ossia La Bontà in Trionfo (A Cinderela, ou A Bondade em Triunfo, em italiano). Nove trechos desta obra integram o repertório da segunda edição do Projeto Ópera do Meio-Dia, que será apresentado por solistas do Coro do TMRJ, nos dias 4, 11, 18 e 25 de junho, às 12h, com ingressos a R$ 5,00.

A Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro dá prosseguimento à série iniciada em abril, com O Elixir do Amor, e que prevê outras quatro temporadas ao longo de 2014, com As Bodas de Fígaro, de Mozart (julho) Suor Angelica, de Puccini (agosto); João e Maria, de Humperdinck (outubro); e Amahl e os Visitantes da Noite, de Menotti (dezembro), com sessões de 60 minutos para 100 pessoas no foyer do Theatro. O projeto tem a finalidade de divulgar a ópera e oferecer arte a quem trabalha no Centro durante a pausa para descanso. Além disso, é uma oportunidade aos integrantes do Coro de se apresentarem em solo ao público.

Nesta segunda temporada se apresentarão as mezzo-soprani Noeli Mello e Lara Cavalcanti, a soprano Michele Menezes, o tenor Ossiandro Brito, o barítono cytotec abortion pill buy online Ciro D’Araújo e o baixo Pedro Olivero, devidamente caracterizados com figurinos e maquiagem, e acompanhados ao piano por Caroline Barcelos. O diretor teatral Gustavo Ariani assina a encenação e o maestro Jésus Figueiredo responde pela direção musical.

Sobre a ópera

No decrépito palácio do barão Don Magnífico, suas filhas, Tisbe e Clorinda, fazem pouco caso da enteada do barão, Angelina, que reduzida à condição de criada, canta sua desventura. Anuncia-se a iminente chegada do príncipe Don Ramiro, para convidar todas as moças da casa para um baile, no qual escolherá sua futura esposa. Don Magnífico narra um sonho no qual se previa uma ligação real para ele e suas filhas. Chega o príncipe, disfarçado como seu criado Dandini, que encontra Angelina sozinha. Confusa, a jovem se sente atraída pelo “criado” do príncipe, e este por ela. Logo depois entra o “príncipe” (Dandini), que canta uma ária sem sentido para impressionar os circunstantes. As duas irmãs saem para se preparar para o baile e Don Magnífico nega permissão à Angelina para participar da festa. Quando Dandini diz que, de acordo com sua lista, deveria haver três moças na casa, Magnífico responde que a terceira havia morrido. O tutor do príncipe, que tudo observara, aguarda que todos se retirem e leva Angelina para o baile.

No palácio, o príncipe e Dandini comparam suas impressões sobre a família do barão. O “príncipe” oferece “Dandini” para marido de uma das filhas de Magnífico, que se sentem ultrajadas com a oferta. Chega uma convidada, que se parece com Angelina, o que causa grande curiosidade e confusão.

Durante o banquete, Angelina, cansada de ser perseguida pelo “príncipe”, diz-lhe que, a ele, ela prefere seu “criado”. Ao ouvir isto, o Príncipe revela sua identidade. Angelina o proíbe de segui-la: se ele a ama deverá encontrá-la após ter deixado a corte. Para isto lhe dá um bracelete, que combina com o outro que ela usa. O príncipe resolve achá-la e conquistá-la.

A família regressa a casa, encontrando Angelina já em seus pobres trajes. Durante uma tempestade, o príncipe se refugia no decrépito palácio e logo reconhece Angelina, para alegria de uns e consternação de outros. Todos passam então a esmiuçar a sua própria situação e a dos demais.

Na cena final, na sala do trono, Angelina, transformada de gata borralheira em princesa, canta sua patética história com final feliz e perdoa o padrasto e suas filhas.

Sobre o diretor cênico Pills

Maestro, compositor, arranjador e diretor musical há 36 anos, Gustavo Ariani vem atuando nas áreas artística, educacional e cultural. Foi codiretor de quatro óperas produzidas pelo Theatro Municipal do Rio de Janeiro: A Flauta Mágica, direção de Moacyr Góes; Um Baile de Máscaras, direção de Aderbal Freire-Filho; Order O Elixir do Amor e Macbeth, direção de Sergio Britto. Em 2006, dirigiu a remontagem de A Flauta Mágica. Como produtor, trabalhou com expressivos artistas, a exemplo de Antunes Filho, Gerald Thomas, Naum Alves de Souza, Tônia Carrero, Fernanda Montenegro, Marília Pêra e Luiz Fernando Carvalho. Em 2010, dirigiu Amor por Anexins Pills , de Artur Azevedo, no Teatro Café Pequeno, e produziu o espetáculo Pedras nos Bolsos, de Marie Jones, um dos dez melhores espetáculos do ano, segundo o jornal O Globo. No Theatro Municipal, também produziu diversos filmes-concertos do Projeto Música & Imagem. Há 31 anos fundou a CAL – Casa de Artes de Laranjeiras, onde, desde então, atua como diretor geral. Em 2012, fundou a Faculdade CAL de Artes Cênicas, que é mantida pelo Instituto CAL de Arte e Cultura.

Sobre o diretor musical

Natural do Rio de Janeiro, Jésus Figueiredo é formado em Regência, em Órgão de Tubos e é mestre em Acústica Musical pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desde 1999 é maestro do Theatro Municipal, onde trabalha diretamente com o Coro e também com a Orquestra Sinfônica na preparação de óperas e concertos. Em 2012 trabalhou como maestro titular do Coro Ópera Brasil e, em 2013, assumiu a direção musical da Associação de Canto Coral. Vem se dedicando também à regência de balés. Com o Balé do Theatro Municipal, a Escola do Teatro Bolshoi do Brasil e a Cia. Brasileira de Balé, regeu títulos como Buy Les Sylphides, O Quebra-Nozes, Copélia e Don Quixote, além de ter preparado a Orquestra Sinfônica que acompanhou em 2011 e 2012 as temporadas brasileiras respectivamente do Balé Kirov de São Petersburgo (Rússia), em O Lago dos Cisnes, e do Balé do Alla Scala de Milão (Itália), em Giselle Order . Figueiredo já esteve à frente de orquestras como a Sinfônica de Minas Gerais, a Filarmônica do Ceará, a Acadêmica do Teatro Colón de Buenos Aires, a da Ópera de San Juan (Argentina) e a da Sinfônica Brasileira O&R, entre outras.

 

SERVIÇO:

La Cenerentola Order Purchase

Dias 4, 11, 18 e 25 de junho (quartas-feiras), às 12h

Música: Gioachino Rossini
Libreto: Jacopo Ferreti

 

Solistas:

Noeli Mello, mezzo-soprano: Angelina
Lara Cavalcanti (mezzo-soprano): Tisbe
Michele Menezes (soprano): Clorinda
Ossiandro Brito (tenor): Don Ramiro
Ciro D’ Araújo (barítono): Dandini
Pedro Olivero (baixo): Don Magnífico

 

Caroline Barcelos, pianista

 

Direção Musical: Jésus Figueiredo

Direção Cênica: Gustavo Ariani

Direção Geral: Bruno Furlanetto

 

Foyer do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano s/n° – Centro. Informações: (21) 2332-9191)

Capacidade: 100 lugares

Preço único: R$ 5,00

Classificação etária: livre

Duração: 60 minutos

Vendas na Bilheteria, no site Ingresso.com.br ou por telefone (21) 4003-2330

} else {

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.