LateralMúsica antigaMúsica contemporâneaMúsica de câmaraMúsica sinfônicaNotíciaÓperaProgramaçãoSão Paulo

Theatro São Pedro divulga programação 2018

Casa paulistana apresentará quatro óperas, incluindo uma inédita no Brasil, produções em formato pocket prozac reviews , concertos sinfônicos e música de câmara.

 

O Theatro São Pedro, em São Paulo, anuncia sua programação para 2018. Serão quatro óperas: O Matrimônio Secreto, do compositor clássico italiano Domenico Cimarosa; Female Cialis cheap Alcina, do barroco George Friedrich Händel; e as obras do século 20 Kátia Kabanová, do tcheco Leos Janácek – que terá sua primeira montagem no Brasil –, e Sonho de uma Noite de Verão, do inglês Benjamin Britten, inspirada na comédia de Shakespeare.

A Orquestra do Theatro São Pedro ainda terá seis programas sinfônicos de março a dezembro, com uma grande diversidade de maestros convidados. A regência ficará a cargo de Neil Thomson, Ligia Amadio, Ricardo Bologna Cláudio Cruz, entre outros. O repertório visa trabalhar as vozes em suas múltiplas facetas e traz obras de Beethoven, Prokofiev, Verdi, Wagner, Weber, Berio e Ginastera, entre outros, além de compositores brasileiros vivos, como Silvio Ferraz e Valéria Bonafé, e programa especiais com excertos de Carmen, de Bizet, e árias de Carlos Gomes.

Entre os cantores que irão passar pelo palco do Theatro São Pedro na programação sinfônica estão a soprano Eliane Coelho e o tenor Fernando Portari. No último programa sinfônico da temporada, o violoncelo será a voz. E para interpretar os concertos de Carl Philipp Emanuel Bach, ninguém melhor do que o maior representante brasileiro no instrumento e um dos grandes músicos do mundo: o pernambucano radicado na Suíça Antonio Meneses.

A temporada 2018 também vai contemplar concertos de música de câmara com grupos da Orquestra do Theatro São Pedro e convidados, que irão ocupar o hall e o palco do teatro.

Além da temporada profissional, o Theatro vai receber também duas montagens em formato pocket e um concerto lírico de gala, apresentados pela Academia de Ópera Theatro São Pedro e pela Orquestra Jovem do Theatro São Pedro. Sob nova denominação, o grupo passa agora a fazer parte do núcleo de Grupos Artísticos de Bolsistas da Emesp Tom Jobim, integrando ainda mais o plano artístico e pedagógico da escola. A programação completa dos Grupos Artísticos de Bolsistas será divulgada em março.

 

Temporada lírica

Com repertório dos séculos 18 e 20, que transita nas margens históricas da ópera, do barroco à música moderna, o Theatro São Pedro apresenta quatro montagens inéditas neste ano. A estreia será em 4 de maio, com O Matrimônio Secreto, do italiano Domenico Cimarosa, com libreto de Giovanni Bertati.

Com direção cênica de Caetano Vilela e direção musical da italiana Valentina Peleggi, as apresentações seguem até 13 de maio. Cômica, é uma das grandes óperas bufas, junto às de Mozart. Ambientada em Bolonha, conta a história de Gerônimo, um comerciante que deseja casar suas filhas. O elenco conta com Jean William como Paolino, Joyce Lima como Elisetta, Ana Lucia Benedetti como Fidalma, Pepes do Valle como Geronimo e Michel de Souza como Conte. O figurino é assinado por Fause Haten, enquanto Duda Arruk assina a cenografia.

Caetano Vilela já trabalhou em dezenas de produções no Brasil e no exterior, incluindo na iluminação da ópera Tannhäuser, regida por Gustavo Dudamel no bicentenário do compositor alemão Richard Wagner. Vencedor de Prêmio Shell em teatro, dirigiu a última montagem do São Pedro em 2017, a opereta La Belle Hélène, de Offenbach.

Valentina Peleggi é regente titular do Coro da Osesp e acaba de ganhar uma bolsa de estudos da English National Opera, uma das principais companhias de ópera de Londres.

No final de junho é a vez do barroco com a ópera Alcina, de Händel. Com libreto de Antonio Marchi, é composta por três atos e conta a história de uma maga, soberana na ilha em que vive. A montagem terá direção cênica de Red Viagra cheap William Pereira e Luis Otavio Santos é quem vai conduzir a Orquestra do Theatro São Pedro. No elenco, destaque para a soprano Marília Vargas no papel principal. A estreia ocorre no dia 22 e segue até 1º de julho.

William Pereira tem no currículo trabalhos importantes, como as estreias mundiais das óperas A Tempestade, de Ronaldo Miranda; Olga, de Jorge Antunes; Onheama e Natividade, de J. G. Ripper. No teatro dirigiu grandes sucessos, entre eles, O Burguês Fidalgo e Dom Juan, de Molière, e conquistou diversos prêmios, como Shell e da APCA. No ano passado, dirigiu no Theatro São Pedro o programa duplo inédito com o balé Pulcinella e a ópera Arlecchino, de Igor Stravinksy e Ferruccio Busoni, respectivamente.

Luis Otavio Santos é um dos principais músicos brasileiros especializado no repertório barroco. Maestro e violinista, é reconhecido internacionalmente por seu trabalho com música antiga – em 2005, seu CD Sonatas para Violino de J. M. Leclair recebeu o prêmio francês Diapason D’Or.

A temporada 2018 também promove uma estreia no Brasil: Kátia Kabanová, do compositor tcheco Leoš Janáček, com libreto de Vincenc Červinka. Com direção cênica de André Heller-Lopes (responsável também pelos figurinos) e regência do norte-americano Ira Levin, a primeira récita ocorre em 17 de agosto. O elenco traz Gabriella Pace no papel de Katerina, Eric Herrero como Boris, Savio Sperandio como Savël, Red Viagra cheapest Luisa Francesconi como Varvara, Giovanni Tristacci como Vania e Vinicius Atique como Kuligin. A cenografia fica por conta de Renato Theobaldo, e Fábio Retti assina a iluminação.

Baseada na peça A Tempestade, do escritor e dramaturgo russo Aleksandr Ostrovsky, a ópera é inspirada no grande amor do compositor, Kamila Stösslová, uma mulher casada e cerca de quarenta anos mais jovem. Até 26 de agosto, o público poderá conferir a trágica história de amor entre Kátia e Boris.

André Heller-Lopes já dirigiu óperas nos principais teatros do Brasil e exterior, incluindo em Salzburgo, na Áustria, quando em 2010 apresentou Tosca, de Giacomo Puccini, no Kleinesfestpielhaus.

Ira Levin é mundialmente aclamado pela sua versatilidade musical, já regeu centenas de concertos e montagens líricas e retorna ao Brasil depois de comandar com sucesso Pulcinella/Arlecchino, no ano passado.

Encerrando a temporada, o São Pedro apresenta, a partir de 9 de novembro, Sonho de uma Noite de Verão, do britânico Benjamin Britten. A direção cênica será de Jorge Takla e o maestro Cláudio Cruz generic prozac  será responsável pela direção musical, que contará, além da Orquestra, com um coro adulto e outro coro infantil. A produção ficará em cartaz até 18 de novembro.

Jorge Takla já dirigiu diversas óperas, produções de teatro e musicais da Broadway. Para citar algumas montagens, destaque para Il Tabarro, de Puccini, em 1992; Cavalleria Rusticana, de Pietro Mascagni, e Pagliacci, de Ruggero Leoncavallo, ambas em 1993; Female Cialis cheapest La Traviatta, em 1996, e La Bohème, em 1998, estas duas de Puccini. Este ano, além da montagem no Theatro São Pedro também vai dirigir outras duas obras.

O maestro Cláudio Cruz é o atual diretor musical da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo e ano passado esteve à frente em duas óperas do São Pedro: Don Giovanni, de Mozart, e La Belle Hélène, de Jacques Offenbach. Cruz é reconhecido como músico de orquestra e grupo de câmara e regente convidado das principais sinfônicas do Brasil, América do Sul, Europa e Japão.

Cada montagem terá cinco récitas em dias alternados, com a estreia sempre às sextas, seguido de domingo, quarta, sexta e domingo subsequentes. Os horários também são fixos: às 20h; exceto aos domingos, que começa mais cedo, às 17h.

Além de grandes nomes do cenário lírico brasileiro nos papeis principais, o Theatro São Pedro vai também abrir espaço para jovens cantores, por meio de audição para as demais personagens. O intuito é dar oportunidade aos novos talentos, mesclando experiência e juventude.

Como novidade da temporada lírica de 2018, será montada uma programação de ensaios abertos, com o intuito de atrair novos públicos para o teatro. Os ensaios abertos terão entrada gratuita e acontecerão em todas as sextas-feiras vésperas de estreia.

 

Concertos sinfônicos

Criada em 2010, a Orquestra do Theatro São Pedro fará seis diferentes programas ao longo do ano. Para a abertura da temporada, nos dias 3 e 4 de março, o grupo receberá o maestro inglês Neil Thomson, atual regente titular da Orquestra Filarmônica de Goiás e especialista em música contemporânea, além dos cantores Paulo Mandarino (tenor) e Luciana Bueno (mezzo-soprano). O repertório reúne obras de Weber, Prokofiev e Bizet, e a entrada será gratuita nos dois dias.

Ainda em março, nos dias 24 e 25, a Orquestra apresenta um programa totalmente dedicado a Carlos Gomes. Sob a regência de Cláudio Cruz e com participação de Eliane Coelho (soprano), Fernando Portari (tenor) e Lício Bruno (barítono), o grupo apresenta árias do compositor brasileiro.

Em julho, nos dias 13 e 14, Ligia Amadio rege um programa com obras de Beethoven e Schumann, além dos Rückert-Lieder, de Mahler – que terá como solista a mezzo-soprano Ana Lucia Benedetti. No quarto programa da temporada, o maestro Roberto Tibiriçá assume a batuta da orquestra, que interpreta obras de Verdi e Wagner, e novamente com Eliane Coelho (soprano). Apresentações nos dias 15 e 16 de setembro.

No mês seguinte, Ricardo Bologna é o convidado para conduzir repertório com obras dos séculos 20 e 21, de Alberto Ginastera, Silvio Ferraz, Luciano Berio e Valéria Bonafé. Os concertos estão marcados para os dias 13 e 14 de outubro.

E para encerrar a temporada sinfônica deste ano, nos dias 15 e 16 de dezembro, a Orquestra do Theatro São Pedro recebe o maestro Ricardo Kanji e o violoncelista Antonio Meneses para um repertório barroco com obras de Carl Philipp Emanuel Bach.

Todos os concertos sinfônicos ocorrem aos sábados e domingos, sempre às 20h e 17h, respectivamente, exceto no programa de julho. Assim como acontece na programação lírica, alguns concertos também terão ensaios abertos gratuitos, também às sextas-feiras, nas vésperas dos concertos.

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.