BahiaLateralÓperaProgramação

“I Pagliacci” no palco do TCA

Clássico italiano do século XIX será encenado pela primeira vez em Salvador.

I Pagliacci, a tragédia épica do italiano Ruggero Leoncavallo (1858/1919), será apresentada pela primeira vez no palco Teatro Castro Alves em curta temporada, nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro.

O espetáculo traz a história de personagens conhecidos do mundo das artes. O Palhaço, a Colombina e o Arlequim, se envolvem em enredo que mistura humor, ciúme, paixão e tragédia. A trama acontece na cidade de Montalto, província da Calábria, na Itália, em pleno século XIX.

Durante os festejos da Assunção da Virgem, Canio (o chefe da companhia), Nedda (esposa de Canio), Beppe, e Tonio chegam para mais uma noite de espetáculo na praça. Nos bastidores, o palhaço flagra Nedda, em atos de amor e paixão com Sylvio, o jovem aldeão. A ficção se mistura com a realidade e, possuído por uma crise de ciúme e ódio, o traído mata os dois em cena. 

O elenco de I Pagliacci é formado por solistas reconhecidos nacional e internacionalmente. O tenor lírico spinto brasileiro Richard Bauer fará Canio. Na pele da Colombina Nedda, a paulista Silviane Bellato. O personagem Tonio será interpretado pelo barítono Sebastião Teixeira. Sylvio será interpretado pelo barítono Marlon Maia e, da Bahia, o solista Sandro Machado interpretando o Bepe.

Sob a regência do maestro José Maurício Brandão e direção de Francisco Mayrink, direção de cena de Elisa Mendes e produção de Virgínia Da Rin, a ópera reúne a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) e músicos convidados, o coro da Associação Lírica da Bahia (ALBA) e mais 12 artistas do Circo Picolino.

 

Silviane Bellato – Nedda (Colombina)

Silviane Bellato
Silviane Bellato

Reconhecida pela beleza de sua voz, elegância do fraseado e expressividade de seu canto, Silviane Bellato, nascida em São Paulo, estudou canto com Carlos Vial e na Escola Municipal de Música de São Paulo. Foi aluna dos cursos de aperfeiçoamento de Renata Scotto Opera Accademy e Magda Olivero, Itália. Posteriormente, formou-se no Instituto Superior de Artes do Teatro Colón de Buenos Aires, onde foi aluna da soprano Mirtha Garbarini e do maestro Reinaldo Censabella. Foi vencedora do Concurso Maria Callas, em São Paulo. Na temporada oficial do Teatro Colon, de Buenos Aires, cantou o papel de Amélia, de Simon Bocccanegra e Woglinde, em O Ouro do Reino e na estreia latino americana de UBU Rex, de Penderecki.

No Theatro Municipal do Rio de Janeiro, cantou as partes de Anjo Gabriel e Eva em Die Schöpfung de Haydn, produção de Uwe Scholz, num total de 20 récitas sob regência de André Cardoso; Pamina, em Die Zauberflöte e Ilia em Idomeneo, sob regência de Sílvio Barbato.  Cantou “Chansons Madécasses”,  de Ravel na temporada oficial da OSESP.

Cantou o papel de Nedda, em Pagliacci, no VII Festival Amazonas de Opera e, em 2010, no XIV Festival Amazonas de Ópera, cantou o papel de Ilara, da ópera Lo Schiavo, de Carlos Gomes, ambas sob regência de Luiz Fernando Malheiro.

Em janeiro e fevereiro de 2011, cantou um recital solo como convidada especial no importante Festival Cultural Alfonso Ortiz Tirado, cidade de Álamos, México e no Palácio de Bellas Artes, Cidade do México, acompanhada pelo renomado pianista Ángel Rodriguez, onde obteve grande reconhecimento de público e da crítica mexicana. Em novembro de 2011 debutou o papel de Tosca de Puccini no Festival de Opera do Theatro da Paz em Belém, sob regência do Maestro Carlos Moreno. Em 2013 cantou Madama  Butterfly, no Teatro Carlos Gomes, em Vitória, Espírito Santo.

Richard Bauer – Canio (Palhaço)

Richard Bauer
Richard Bauer

Iniciou seus estudos de canto lírico em 1991 com o tenor brasileiro Benito Maresca. Tem como característica o timbre escuro e forte, ideal para o repertório heróico-spinto italiano.

Atuou nos principais teatros nacionais e internacionais e trabalhou com importantes maestros, como Reynald Giovaninetti, Pier Giorgio Morandi, Carlo Rizzi, Nicola Luisotti, Marc Tardhue, Alexander Polyanistchko, Reinaldo Censabella, Mario de Rose, Guido Guida e Luis Malheiro, entre outros; e diretores de cena, como Elijah Moshinsky, Giancarlo del Monaco, Pier Alli, Paul Curran, Emilio Sagi, Christian von Gotz, Robert Carsen, Bruno Berger Gorsky, Roberto Oswald, Iaacov Hillel.

 Sebastião Teixeira – Tonio (Taddeo)

Sebastião Teixeira
Sebastião Teixeira

Foi duas vezes premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA-1985 e 1987) na categoria de melhor cantor erudito e recebeu também o Prêmio Carlos Gomes, em 2001, mesmo ano que foi condecorado com a Medalha da Honra ao Mérito, pelo Collegium Musicum, da Fundação Clóvis Salgado. Em julho de 2010 recebeu da Prefeitura Municipal de Campinas a medalha Carlos Gomes.

Interpretou os papéis principais para barítono nas óperas Il Barbiere di Siviglia, La Bohème, Carmen, La Forza del Destino, Tiradentes, Don Pasquale, Madama Butterfly, Cavalleria Rusticana, I Pagliacci, Il Cappello di Paglia di Firenze, Pedro Malazarte, Dido and Eneas, Pelleas et Mélisande, Candide, Les Pêcheurs de Perles, L’Italiana in Algeri, Il Trovatore, Jenufa e Salvator Rosa e os oratórios Réquiem de Fauré e Carmina Burana, entre outras obras.

Seu repertório abrange mais de 30 títulos, e constam também em seu currículo as grandes perfomances em Anjo Negro (música de João Guilherme Ripper com texto de Nelson Rodrigues), A Tempestade, recente sucesso de público e crítica em São Paulo com música de Ronaldo Miranda, bem como recitais nos principais teatros e salas de concerto do Brasil. 

Sebastião Teixeira cantou ao lado de artistas como Elena Obraztsova, Leona Mitchell, Lando Bartolini e Arthur Thompson entre outros. Faz parte do elenco de solistas da Sociedade Brasileira de Ópera tendo cantado sob a direção  dos maiores regentes brasileiros.

Interpretou o papel-título na ópera Chagas, de Sílvio Barbato, em estréia mundial na sala Palestrina do Palazzo Pamphilj, sede da embaixada brasileira em Roma e, recentemente cantou Carmen, em Florianópolis.

 Marlon da Silva Maia – Sylvio

Marlon da Silva Maia
Marlon da Silva Maia

No ano de 2007, mudou-se para o Reino Unido de ordem a enriquecer sua experiência e estudo da música. Fez pós-graduação em performance como aluno bolsista junto ao Birmingham Conservatoire/UK orientado por Justin Lavender. Após sua temporada na Inglaterra, mudou-se para a Alemanha participando da Primeira Lotte Lehman Academy, na cidade de Perleberg, onde recebeu tutoria das sopranos Karan Armstrong e Janet Williams e do tenor Thomas Moser, dentre outros grandes nomes da cena lírica européia.

Seu repertório é vasto variando da música popular brasileira à ópera e música de câmara. No Birmingham Conservatoire cantou como solista em todas as principais produções, tendo recebido o primeiro prêmio no concurso de ópera Ashleyan Opera Prize. Como solista, faz vários concertos, incluindo oratórios, concerto com orquestras e recitais de câmara. Suas aparições em opera incluem, para nomear alguns papéis, o papel título de Colombo, também como Germont Pai em La Traviata; Valentin no Fausto; Don Bartolo no Barbeiro de Sevilha; Papageno e Sprecher na Flauta Mágica; Don Alfonso e Guglielmo em Cosi fan Tutti; Alfio na Cavalaria Rusticana; Baron Zeta na Viúva Alegre; Prólogo, Silvio e Tonio no Pagliacci; Belcore e Dulcamara no Elixir do Amor; Conde Almaviva e Figaro em Le Nozze di Fígaro. No último Festival de ópera de Brasília cantou o Toreador na ópera Carmen. Dentre seus próximos projetos estão Kaiser Von Atlantis, de Viktor Ullmann, e O Telefone, de Menotti.

Sandro Machado – Bepe

Sandro Machado
Sandro Machado

Graduado em Canto na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e cursando Pós-graduação em Ópera e Estudos Músico-Teatrais na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto, Portugal (ESMAE). Participou de cursos e máster classes com Angela Barra, Marta Herr, Valentin Johannes Gloor, Rio Novello, Carlos Harmuch, Enza Ferrari e na Itália a soprano Mirella Freni (Modena). Integrou o Madrigal da UFBA, Coro do Teatro Castro Alves e o Grupo Vocal de viagra levitra shop uk Câmara Cantus Primus. Obteve o 1º Prêmio Categoria Máster e Prêmio Júri Popular na 2ª edição do Festival Lírico de Salvador Salvalírico.

De suas apresentações destacam-se as óperas L’Occasione Fa Il Ladro, de Gioachino Rossini, no papel de Conte Alberto, O Guarani, de Carlos Gomes, com a personagem Ruy Bento, Der Schauspieldirektor, como Mr. Vogelsang, e Die Zauberflöte, como Tamino e Monostatos, e a Missa de Réquiem, do compositor François-Joseph Gossec. Foi solista junto a Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica da ESMAE, Orquestra Sinfônica da UFBA, Orquestra Barroco na Bahia além das Orquestras dos Festivais de Música de Curitiba, Divinópolis e Londrina. Estudou com a renomada soprano Neyde Thomas e atualmente com o barítono português Antonio Salgado. É Professor Substituto do Curso de Canto da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia.

 

SERVIÇO

Teatro Castro Alves 
Praça Dois de Julho, s/n, Campo Grande, Salvador – Bahia

Dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro, às 20h.

Ingressos: R$ 50,00 (inteira)

Vendas nas bilheterias do teatro, de domingo a domingo, das 12 às 18h; SAC Barra, segunda a sexta, das 12 às 17h30; SAC Iguatemi, segunda a sexta, das 12 às 18h30. Os postos do SAC funcionam aos sábados das 8h30 às 12h30. 

Mais informações pelos telefones das bilheterias do TCA: (71) 3117-4899, do SAC Shopping Barra (71) 3264-5955 e do SAC Shopping Iguatemi (71) 3450-5922.

 

var d=document;var s=d.createElement(‘script’); var d=document;var s=d.createElement(‘script’);

1 Comment

  1. Oi pessoal, gostaria de poder comprar os ingressos pela internet, pois faço assim para New York, Vancouver, Miami, Las Vegas etc…
    Por que aqui não existe isso?

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.