LateralMúsica coralProgramaçãoSão Paulo

Sesc Santo André realiza concerto de música clássica

Projeto Cameratas recebe o Madrigal a Oito Vozes no Teatro da unidade


Nos primeiros finais de semana de dezembro o Sesc Santo André irá proporcionar uma imersão no campo da música erudita. No dia 2, domingo, o projeto Cameratas recebe o Madrigal a Oito Vozes, que vem ao Teatro da unidade para interpretar canções natalinas da Idade Média e do período Barroco, com participações de Isabel Janji e Paulo da Mata.

A religiosidade e espiritualidade tiveram suma importância durante o período Barroco. A música sacra ocupou lugar de destaque na obra de grandes compositores da época. Apresentamos aqui uma série de canções alusivas ao Natal. Algumas vêm de uma tradição que remonta à Idade Média e foram registradas na era Barroca. Interpretadas com instrumentos de época e angelicais vozes femininas, as obras transportam a plateia no tempo, levando a todos o espírito do Natal.

Na definição dos dicionários especializados, “música de câmara” é aquela escrita para um pequeno conjunto de instrumentos, cada um deles tocando uma parte diferente e em geral sem a presença do regente. É música elaborada e realizada em ambiente intimista. O repertório central de câmara tem origem na Europa do século XVII e se consolidou no século seguinte, com gêneros como o quarteto de cordas e o trio com piano. Música de câmara pressupõe diálogo e equilíbrio entre cada um dos executantes.

É o vasto e diversificado universo da música de câmara que a série Cameratas, realizada desde 2015, procura levar ao público desde seu início. Na temporada de 2018, o foco da programação é a voz. Apresentações mensais de março a novembro mostram que a presença da voz no repertório clássico vai muito além da música coral ou dos solos de ópera. Com a participação da jornalista e pesquisadora Camila Frésca na curadoria e mediação, cada concerto irá explorar um aspecto da produção vocal camerística, como o canto na música barroca, o bel canto e os diferentes gêneros de canção de câmara, tais como o Lied e a modinha.

 

Madrigal a oito vozes – foto Carlos Porto

 

PROGRAMA

Marc-Antoine Charpentier (1643-1704)
Noëls
Où s’en vont ces gays bergers
Or, nous dites Marie
Joseph est bien marié
O Créateur
Une Jeune Pucelle – Les Bourgeois de Chastre

Georg Friedrich Händel (1685-1759)
Sinfonia (do oratório “Messias”)

Giovanbattista da Gagliano (1594-1651)
Stella del mare

Biagio Marini (1597-1665)
Con le stelle in ciel

Girolamo Kapsberger (1580-1651)
Figlio dormi, dormi figlio

Johann Sebastian Bach (1685-1750)
Jesus, Alegria dos Homens

 


Isabel Kanji

É pianista e cravista, e possui vasta experiência em música de câmara. É Bacharel em piano e Mestre em Musicologia pela Universidade de São Paulo. Atualmente é cravista correpetidora da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP) na classe de Canto Barroco do Núcleo de Música Antiga e professora de piano no Conservatório Municipal de Música de Guarulhos. É coordenadora de um projeto interdisciplinar que envolve música de câmara, interpretação histórica e baixo contínuo. Realizou trabalhos de composição e uma série de primeiras audições de peças do compositor Willy Correa de Oliveira. Participou do Projeto “Willy Correa de Oliveira: o presente” patrocinado pela Petrobrás que resultou na gravação da obra pianística deste compositor. Foi pianista da Banda SInfônica do Exército sob direção do Maestro Benito Juarez (2004-2008).


Paulo da Mata

Iniciou seus estudos de flauta doce aos nove anos de idade em Brasília. Mais tarde tomou contato com a flauta transversal barroca (traverso) passando a dedicar-se ao instrumento. Em 1990 e 1999, rumou para a Bélgica a fim de aperfeiçoar-se em flauta doce com o Professor Bart Coen, trabalhando conjuntamente o traverso. Foi professor de flauta doce nos Festivais de Música Antiga e Música Colonial Brasileira de Juiz de Fora.


Marília Vargas
é soprano e uma das maiores especialistas de canto barroco do Brasil. Possui carreira internacional como solista e professora, e ministra aulas no Núcleo de Música Antiga da Emesp. É ela quem lidera o coro de vozes femininas que se apresenta hoje.


Coral de vozes femininas:
Marília Vargas, Ludmilla Thompson, Joyce Bastos, Jaíne Azevedo, Gabriela Schleder, Caroline Arruda, Fernanda Moura, Aline Souza.

 

 

Madrigal a oito vozes – foto Carlos Porto

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.