Jazz/BluesLateralProgramaçãoRio de JaneiroSão Paulo

Série Jazz All Nights 2012 apresenta Keith Jarrett

Um dos grandes expoentes do jazz contemporâneo, pianista norte-americano traz para o Rio e São Paulo em outubro o onlinepharmacywithoutprescription show “An Evening of Solo Piano Improvisations”.

SERVIÇO

 

RIO DE JANEIRO

Theatro Municipal Rio de Janeiro
Praça Floriano s/n – Rio de Janeiro
Tel: (21) 2262-3501

Dia 24 de outubro (quarta-feira), às 21h.

Preços:
Plateia ……………………………………………… R$ 400,00
Balcão nobre ……………………………………. R$ 400,00
Balcão superior ……………………………….. R$ 250,00
Galeria …………………………………………….. R$ 100,00

Vendas: Disque Dell`Arte: 4002-0019
http://www.theatromunicipal.rj.gov.br/
http://www.ingresso.com.br

Importante: Não são permitidas fotos, filmagem, câmeras de qualquer tipo ligadas e sendo utilizadas durante o concerto.

 

SÃO PAULO

Sala São Paulo
Praça Júlio Prestes, nº 16

Dia 29 de outubro (segunda-feira), às 21h.

Preços:

Plateia Central …………………………………………….. R$ 400,00
Plateia Elevada ……………………………………………. R$ 350,00
Balcão Mezanino …………………………………………. R$ 400,00
Coro …………………………………………………………….. R$ 400,00
Camarote Mezanino …………………………………….. R$ 400,00
Camarote Superior ………………………………………. R$ 100,00
Balcão Superior ……………………………………………. R$ 350,00

Vendas: Praça Júlio Prestes, 16. Tel: (11) 3367-9500
4003-1212 (Ingresso Rápido)
Site: www.salasaopaulo.art.br
Site: http://www.ingressorapido.com.br

Importante: Não são permitidas fotos, filmagem, câmeras de qualquer tipo ligadas e sendo utilizadas durante o concerto.

 

 

 

No show, o artista mostra ao público as improvisações que o consagraram em todo o mundo. Durante turnê, artista lança seu mais recente CD, “Rio”, gravado no Theatro Municipal do Rio em abril de 2011.

A incrível capacidade de Jarrett de conjurar harmonias ricas e variadas nuanças é sempre inspiradora e muitas vezes de tirar o fôlego” – The Chicago Tribune

Patrocinada pelo grupo Bradesco Seguros, com realização da Dell’Arte Soluções Culturais, a série Jazz All Nights 2012 traz em outubro, para os palcos do Rio de Janeiro e de São Paulo, sua terceira e última atração do ano: Keith Jarrett, saudado como um dos mestres da música instrumental contemporânea.

Durante a nova turnê brasileira, Jarrett aproveita para lançar e apresentar ao público brasileiro seu mais recento CD, gravado no Rio de Janeiro, com o título “Rio”. Em abril de 2011 Keith Jarrett fez sua primeira turnê à América do Sul em décadas, para realizar três concertos solo. No terceiro e último concerto, no Theatro Municipal carioca, encontrou uma casa cheia e um público encantado. Inspirado pela atmosfera eletrizante, fez um concerto único que acabou registrado em CD – um álbum duplo com o clímax numa sequência maravilhosa de bis. Keith Jarrett conta que considera este um dos seus melhores discos: “muito bem estruturado, jazzy, sério, doce, alegre, quente, econômico, energético, apaixonado e ligado à cultura brasileira de uma forma única. O som na sala foi excelente, assim como o entusiasmo do público.”

Jarrett já conquistou cadeira cativa na história do jazz. Celebrado como criança prodígio, o artista começou a tocar piano aos três anos de idade, fez seu primeiro recital aos sete anos e, ainda adolescente, tornou-se músico profissional. Hoje, aos 66 anos, é um ícone da música mundial. Suas técnicas de improvisação, que conjugam o jazz a outros gêneros, como a música erudita, o blues e o gospel, entre outros, criaram um estilo à parte, que vem definindo sua carreira desde o começo dos anos 70. É esta opção por um modo acústico de tocar que dá o tom do espetáculo que o artista traz ao país – “An Evening of Solo Piano Improvisations”.

A Série Jazz All Nights foi lançada em 2007 para estabelecer uma nova plataforma de música para a cidade e fomentar a criação de novas platéias para o gênero. Rapidamente a série se solidificou como um dos principais eventos musicais calendarizados do país. Em seus seis anos de existência, o evento já apresentou nomes do quilate de Toots Thielemans, Madeleine Peyroux, The Swingle Singers, Teresa Salgueiro, Freddy Cole, Terence Blanchard, Arturo Sandoval, Bobby McFerrin, Branford Marsalis, Esperanza Spalding, Candy Dulfer, New Orleans Jazz Orchestra, Brad Mehldau, Jazz Orchestra of the Concertgebow e Preservation Hall Jazz Band.

A Série Jazz All Nights faz parte do Circuito Cultural Bradesco Seguros, que apresenta para o público brasileiro um calendário diversificado de eventos artísticos com espetáculos nacionais e internacionais de grande sucesso, em diferentes áreas culturais como dança, música erudita, artes plásticas, teatro, concertos de música, exposições, etc.

Keith Jarrett

Reconhecido como um dos músicos mais criativos de todos os tempos, Keith Jarrett é universalmente aclamado como um improvisador de insuperável genialidade. Mestre do piano de jazz, tecladista clássico de grande profundidade, é também o compositor que escreveu centenas de peças executadas por seus vários grupos de jazz, além de obras mais extensas para orquestra, solista e conjunto de câmara.

Jarrett nasceu em Allentown, Pensilvânia, em 8 de maio de 1945. Aos três anos já tocava piano. Ao longo de toda a sua juventude estudou música clássica. Ainda criança apresentou-se em programas na Academia de Música de Filadélfia e no Madison Square Garden. Aos 15 anos empreendeu estudos das formas de composição, antes de mudar-se para Boston, onde teve breve passagem pelo Berklee College of Music. Ainda adolescente, quando tinha tudo pronto para embarcar para Paris, onde estudaria composição com a grande pedagoga Nadia Boulanger, cancelou o projeto na última hora e optou por transferir a residência para Nova York onde começou a tocar jazz, em 1964.

Após experiências no Village Vanguard e outras casas de jazz da cidade, Jarrett participou de uma turnê com os Jazz Messengers de Art Blakey. De 1966 a 1968 foi pianista do Quarteto de Charles Lloyd, que logo se tornou um dos grupos mais populares da mutante cena de jazz do final dos anos sessenta. Suas gravações eram campeãs de vendagem e puxavam as turnês mundiais.

O pianista não tardaria a formar seu próprio trio com Charlie Haden e Paul Motian (que em 1972 se transformaria em quarteto com o ingresso do saxofonista Dewey Redman). Entre 1970 e 1971, Jarrett foi membro ativo do grupo de “electric fusion” de Miles Davis, onde tocou piano e órgão — seu canto do cisne com “sideman”. Passou a dedicar-se exclusivamente à apresentação de música acústica como solista e líder.

Em 1971, Keith Jarrett deu início à sua colaboração em gravações com o produtor alemão Manfred Eicher e a gravadora ECM (Editions of Contemporary Music). Essa frutífera associação já produziu cerca de sessenta álbuns. A base da discografia de Jarrett/ECM é constituída por gravações referenciais de piano solo, que ajudaram a redefinir o papel do instrumento na música contemporânea. As improvisações de piano em “Facing You”, “Solo Concerts”, “The Köln Concert”, “Staircase”, “Sun Bear Concerts”, “Moth and The Flame”, “Concerts”, “Paris Concert”, “Dark Intervals”, “Vienna Concert” e “La Scala” incorporam um vasto espectro de idiomas e linguagens musicais — da clássica ao jazz, passando pela étnica, gospel, folk e blues. Esse corpo de obras para piano solo é sem precedentes. “Köln Concert” foi a gravação de piano mais vendida da história.

Nas duas últimas décadas, Jarrett passou a apresentar-se quase que exclusivamente com o trio integrado pelo baixista Gary Peacock e pelo baterista Jack DeJohnette. Jarrett e seus músicos abordam com insistência os grandes standards da tradição americana. Antecipando-se à crítica, o pianista diz que o importante é mostrar que “música não se refere ao material em si, mas ao tratamento que o músico dispensa a esse material.” O lançamento da ECM de 1995, “Keith Jarrett at The Blue Note: The Complete Recordings” é uma caixa especial com 6 CDs, que registra o show completo do trio no clube de jazz Blue Note de Nova York, realizado em 1994 com lotação esgotada. Nela estão contidos cerca de quarenta standards, além de originais de Jarrett e alentadas improvisações do trio. A caixa foi apontada “Album of the Year” em 1996 pelos críticos da Downbeat.

Em 2003, para comemorar os 20 anos de colaboração, a ECM lançou “Up For It” — mais uma gravação ao vivo da apresentação do trio em 2002 no Festival de Jazz de Antibes/Juan-Les-Pins (França). Seguiu-se “The Out-of-Towners”, gravação de um concerto ao vivo do trio realizada em julho de 2001 em concerto na Ópera Estadual de Munique, que seria indicado ao Grammy de 2004, e que recentemente recebeu o prêmio “Schallplattenpreis” na Alemanha.

De 2005 para cá, a ECM lançou “Radiance”, um concerto no Carnegie Hall incluindo versões solo de suas populares composições “My Song” e “Paint My Heart Red”. Em 1999 surgiu “The Melody at Night With You”, uma gravação de estúdio de piano solo de melodias clássicas, que se tornou uma das campeãs de vendas das gravações instrumentais de artista de jazz da década, conquistando vários prêmios “Best of the Year” na Europa, Japão e Estados Unidos.

Além dos já citados, seus principais álbuns são: três volumes de “Standards” — “Standards Vol. 1”, “Standards Vol. 2” e “Changes: Standards Live (Paris, 1985)”, “Still Live” (Munique, 1986), “Changeless” (turnê americana1987), “Tribute”(Colônia, 1989), “Standards in Norway” (Oslo, 1989), “The Cure” (Nova York/Town Hall, 1990), “Live at The Blue Note” (NovaYork, 1994), “Tokyo ’96” (Tóquio, 1996), “Whisper Not” (Paris, 1999), e os lançamentos “Inside Out” (Londres, 2000) e “Always Let Me Go” (Tóquio, 2001), todas elas gravações de música livremente improvisada pelo trio.

Jarrett também faz ocasionais incursões na música clássica. Para a ECM gravou as obras para teclados de J.S. Bach, “O Cravo bem temperado”, livro I (piano) e livro II (cravo), as “Variações Goldberg” (cravo), “Suítes francesas” (cravo) e “Sonatas para viola da gamba e cravo com Kim Kashkashian” (viola); os “24 Prelúdios e Fugas, op. 87” de Shostakovich, e uma seleção das Suítes para teclados de Händel. Há ainda dois volumes da ECM com Jarrett tocando concertos para piano selecionados de Mozart com a Orquestra de Câmara de Stuttgart regida por Dennis Russell Davies. A BMG/RCA lançou dois CDs com Jarrett (cravo) acompanhando a flautista Michala Petri em um programa de Sonatas para flauta doce e cravo de Händel e as Sonatas para flauta e cravo de J.S. Bach.

As distinções atribuídas a Keith Jarrett incluem um Guggenheim Fellowship, Prix du Président de la République e Grand Prix du Disque, prêmios da Academia Charles Cros (França), sete Deutscher Schallplattenpries (Alemanha) e oito indicações para o Grammy (EUA). Em 1989 foi feito “Officier de l’Ordre des Arts et des Lettres”, uma das mais altas honrarias do Ministério da Cultura da França. Em 1996 tornou-se membro da Academia Real de Música da Suécia e em 2002 Fellow da Academia Americana de Artes e Ciências.

Site: http://www.keithjarrett.org/