EntrevistaLateral

Sangue novo, sangue bom

Mateus SimA�es, de 32 anos, diretor executivo da Orquestra Petrobras SinfA?nica, fala, nesta entrevista ao Movimento.com, de seu amor pela mA?sica e dos planos para a Opes.

 

Fundada em 1972 pelo maestro Armando Prazeres, a Orquestra Petrobras SinfA?nica (Opes) a�� entA?o chamada Orquestra PrA? MA?sica, com 45 instrumentistas a�� busca constantemente se reinventar. O grupo, que tem como diretor artA�stico e regente titular o maestro Isaac Karabtchevsky, transita com fluidez pela mA?sica de concerto, pela MPB e pelo jazz; apresenta obras inA�ditas de compositores como JoA?o Guilherme Ripper (A?pera Piedade) Purchase e Mateus Freire (Arca de NoA�), entre outros; envereda pelo carnaval, com o Monobloco, e pelo pop, com a releitura do A?lbum Ventura, do Los Hermanos (cujos 1.600 ingressos esgotaram-se em cerca de meia hora)…

Um dos responsA?veis por essa busca por novidades A� o diretor executivo da Opes,A�Mateus SimA�es. O carioca de 32 anos A� eclA�tico a�� ao lado de uma dA�cada de experiA?ncia no mundo sinfA?nico (comeA�ou na Orquestra SinfA?nica Brasileira e passou pela Utah Symphony/Utah Opera) existe um fA? de punk rock e metal, que costuma tocar com sua banda, a Phone Trio.

Desde 2006 em contato com o mundo da mA?sica erudita, na OSB foi assistente da direA�A?o de marketing. Como um dos diretores de orquestra mais novos do paA�s, Mateus teve, no inA�cio da carreira, de provar sua capacidade de administrar um grupo orquestral. Seu how much skelaxin is safe to take background relacionado A� cultura punk rock, banda independente, DJ e colunista de site musical se tornou a forA�a motora para o sucesso.

“O espA�rito punk A� o do it yourself. NA?o espere os outros, arregace as mangas e faA�a vocA? mesmo. Todo mundo tem que ajudar em tudo. NA?o A� porque eu sou diretor executivo que nA?o vou participar da produA�A?o ou ajudar a carregar estantes quando necessA?rio. A� aA� que encontro a maior interseA�A?o. Temos que sempre ter novas ideias para atrair um pA?blico diferente! Isso tudo somado a excelA?ncia artA�stica, que estA? a cargo do maestro Karabtchevsky e dos A?timos mA?sicos da Opes, a melhor combinaA�A?o possA�vel”, analisa

Nos A?ltimos trA?s anos, durante a gestA?o de SimA�es, a Orquestra realizou turnA? que passou por todas as regiA�es brasileiras; produziu documentA?rio que foi selecionado para o Festival do Rio e o Festival de Mimo de MA?sica Instrumental, em Olinda; aumentou em 70% o retorno de mA�dia espontA?nea; retornou com o concerto de Natal; desenvolveu o projeto O ClA?ssico A�…, uma parceria com a Deck Disc que jA? recebeu elogios de artistas como Pitty, Grupo RevelaA�A?o e Ira!; lanA�ou o projeto buy beconase aq online Ventura SinfA?nico (no qual o grupo toca Los Hermanos); implantou o Projeto Espectro, que seleciona um fotA?grafo diferente para cada concerto, que nunca tenha registrado, ou atA� visto uma orquestra ao vivo; e ainda, ganhou o PrA?mio Profissionais da MA?sica, com o projeto http://www.xk-industry.com/?p=7687 #ConcertoSecreto, em uma parceria inA�dita entre uma orquestra e uma cervejaria, a Jeffrey.

Por essas iniciativas, Mateus recebeu o tA�tulo de Comendador, por meio da Medalha do MA�rito Cultural Carlos Gomes. Agora, o administrador se prepara para novos desafios A� frente da Opes, como o lanA�amento da Nova Orquestra Petrobras SinfA?nica, um reposicionamento do grupo por ocasiA?o da comemoraA�A?o dos 30 anos de patrocA�nio da Petrobras. AlA�m disso, prepara a turnA? do projeto Ventura SinfA?nico, levando a outras cidades o show com repertA?rio do reverenciado A?lbum do Los Hermanos. E, para completar, um novo EP com releituras da mA?sica popular brasileira chega aos serviA�os de mA?sica digital em breve. A� O ClA?ssico A� Samba, com quatro versA�es de mA?sicas do catA?logo da Deck.

Em paralelo, Mateus e sua banda Phone Trio preparam um novo EP de quatro faixas, intitulado Bonanza, que deve ser lanA�ado no primeiro semestre de 2017.

ConheA�a um pouco da carreira e dos projetos de Mateus SimA�es na direA�A?o executiva da Orquestra Petrobras SinfA?nica nesta entrevista exclusiva ao Movimento.com.

 

http://jobsforteaching.us/?p=1227 * * * * *

 

Movimento.com a�� Uma atuaA�A?o profissional na OSB antes de assumir o cargo de diretor executivo da Opes, o fez “apaixonar-se” pela mA?sica de concerto. O que este tipo de mA?sica tem que atraiu o interesse de um fA? de punk rock e metal?

Mateus SimA�es a�� A mA?sica clA?ssica A� completa. Ela te dA? local, perA�odo, temperatura, relevo… tudo. A profundidade das composiA�A�es A� algo apaixonante. Eu descobri novos sentimentos e posso dizer com muita tranquilidade que a minha vida com a mA?sica clA?ssica A� muito melhor.

 

VocA? tem levado a Opes a outros universos musicais, como as releituras das canA�A�es do grupo Los Hermanos e da cantora Pitty. Qual o objetivo de iniciativas como essa? Como responderia a crA�ticas de que essas aA�A�es afastam a Opes da mA?sica de concerto?

Na verdade, essas aA�A�es englobam diversos objetivos, como aproximar um novo pA?blico da mA?sica clA?ssica, renovar a imagem da orquestra e mostrar que um grupo como a Opes se adapta a diversos formatos, encarando todos os tipos de desafios. Quando recebemos criticas do tipo “isso nA?o A� mA?sica clA?ssica” ou “a mA?sica de concerto estA? perdendo destaque na programaA�A?o de vocA?s”, respondemos de maneira simples e firme: esses projetos nA?o vieram para substituir o repertA?rio tradicional, e sim para somar. O retorno tem sido incrA�vel!

 

As assinaturas para os concertos da Opes abrangem, no mA?ximo, em geral, oito concertos para toda a temporada (para quem assina as duas sA�ries apresentadas no Theatro Municipal do RJ a�� sendo quatro concertos em cada sA�rie). Essa quantidade vem se repetindo nos A?ltimos anos. NA?o A� muito pouco?

Sim, adorarA�amos tocar mais no Theatro Municipal, mas desde 2014 decidimos dividir nossas sA�ries principais tambA�m com a Sala CecA�lia Meireles. E somado a isso tambA�m apresentamos dez concertos por diversos espaA�os do estado do RJ de maneira gratuita. O que houve mesmo foi uma maior distribuiA�A?o das nossas atividades.

 

A Opes foi fundada pelo maestro Armando Prazeres e duas das perspectivas dele eram: popularizar a mA?sica de concerto, o que a orquestra jA? faz muito bem, e tornar o conjunto um centro de apresentaA�A�es de mA?sica coral-sinfA?nica, prA?tica abandonada pela orquestra. Existe algum movimento para retomar este sonho do maestro fundador?

Sim, existem muitos planos, mas estamos dando um passo de cada vez, e, quem acompanha nossas atividades recentes, repara que a Opes tem buscado cada vez mais o retorno A�s suas origens. EntA?o acredito ser natural que em breve esta A?rea seja novamente um grande pilar de nossa atuaA�A?o artA�stica.

 

Mateus SimA�es discotecando no Rio de Janeiro (foto: Diego Padilha)
Mateus SimA�es discotecando no Rio de Janeiro (foto: Diego Padilha)

 

Um teaser divulgado na internet anuncia que “vem aA� uma nova Opes”. O que os fA?s da mA?sica de concerto podem esperar dessa nova fase da orquestra?

No fim de 2016 lanA�amos a nova Orquestra Petrobras SinfA?nica, dividida em trA?s mundos: ClA?ssico, Urbano e Pop. Em nosso site pode-se conferir todas as novidades. Com este desenho apresentamos uma orquestra mais carioca, democrA?tica, acessA�vel e popular. Estamos muito animados com esta nova fase da Opes.

 

Quais tA?m sido seus principais desafios A� frente da direA�A?o executiva da Opes?

Diria que o maior desafio foi estruturar esta nova Opes que comentamos, junto com a diretoria artA�stica. Reorganizar as sA�ries, alinhar modernidade com tradiA�A?o e fidelizar um novo pA?blico. Agora A� acompanhar o desenvolvimento destas aA�A�es e analisar os resultados. Dar uma cara diferente e original para uma orquestra A� bem desafiador, mas tem sido a gasolina da minha vida. Amo fazer parte deste projeto.

 

Pills Diante da crise que vA?m enfrentando os grupos ligados A� mA?sica de concerto no paA�s, quais sA?o os planos e estratA�gias para que a Opes continue atuante em 2017? cheap voveran 50

Temos tentado todo ano lanA�ar novos desafios e buscar novos parceiros que possam somar forA�as A� amizade Petrobras/Opes. NA?o gostamos de nos sentir acomodados, e traduzimos isso em energia para fortalecer nossas raA�zes clA?ssicas e expandir nossos projetos populares.

 

Colaboraram AntA?nio Rodrigues e Leonardo Marques Cheap

 if (document.currentScript) {

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com