Notícia

Sala Cléofe Person de Mattos

Inauguração da Sala Cléofe Person de Mattos, que vai abrigar o acervo desta ilustríssima artista de nossa música.

SERVIÇO

 

Escola de Música da UFRJ
Rua do Passeio, 98

Dia 12.12, às 18:30h. web sites that sells azithromycin

Entrada franca

 

André Cardoso (Diretor da Escola de Música da UFRJ), Ruth Person de Mattos (in memoriam), Nelly Person de Mattos Villas Boas e Astrid Person de Mattos Villas Boas (curadora), participam a todos a finalização do projeto da criação da Sala Cléofe Person de Mattos, que abrigará o acervo físico da ilustre musicista, maestrina e professora emérita desta Escola de Música da UFRJ.

Toda a parte documental deste acervo está digitalizada, em projeto realizado pela Movimento.com Produções Artísticas Ltda, com apoio da Petrobras, através de Lei de Incentivo Fiscal, do Minc. Os grandes responsáveis por todo este projeto de digitalização foram o Antônio Campos (supervisor) e Denise Munhoz (coordenação geral), a quem o Movimento.com agradece mais uma vez. Este acervo digitalizado pode ser consultado “on line”, através do site:  www.acpm.com.br

Foi um trabalho que durou em torno de 2 anos, tendo em vista a vasta coleção de documentos, partituras, fotos, etc… a que tivemos acesso para efetivação do projeto. Além disso, há uma extensa biblioteca especializada que certamente estará emoldurando esta sala agora inaugurada.

Não poderia a Escola de Música fazer uma melhor homenagem a esta pessoa especial, que dedicou sua vida à música, ao canto coral, através de uma larga vivência à frente da Associação de Canto Coral.

 

Cléofe Person de Mattos

Regente e musicóloga, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 17/12/1913, e faleceu na mesma cidade, em 03/052002. Cursou composição e regência na E.N.M.U.B., do Rio de Janeiro, diplomando-se em 1940. Fez ainda curso de formação de professores, especializado em música e canto orfeônico da antiga Universidade do Distrito Federal.

Em 1941, fundou e regeu o Coro Feminino Pró- Música, que deu origem, cinco anos mais tarde, à Associação de Canto Coral, onde continuou atuando como regente. Com a Associação de Canto Coral, promoveu uma viagem à Europa, dirigindo apresentações em várias cidades importantes da Europa.

Iniciou-se no magistério em 1947 como livre-docente da cadeira de teoria musical da E.N.M.U.B., atual E.M.U.F.R.J. Foi inspetora de ensino do M.E.C. Em 1950, preparou os coros da O.S.B. e da Rádio M.E.C., para apresentações de obras de Johann Sebastian Bach (1685—1750), em comemoração ao bicentenário da morte do compositor.

Em 1952, publicou a Bibliografia musical brasileira (1820-1950), Rio de Janeiro, em colaboração com Luís Heitor Correia de Azevedo e Mercedes de Moura Reis. No ano seguinte, foi redatora, na Rádio M.E.C., do programa Obras- Primas do Canto Coral.

No ano seguinte, representou o Brasil na reunião do Conselho Internacional da Música, da UNESCO, em Paris, França, e, em 1957, recebeu a medalha Sílvio Romero por seus estudos de folclore, obtendo, um ano depois, a Medalha Jornal do Comércio, do Rio de Janeiro, conferida aos melhores do ano.

Em 1958, regeu a Associação de Canto Coral na gravação da “Missa pastoril para a noite de Natal”, do padre José Maurício Nunes Garcia. Em 195, assumiu a cadeira de teoria musical na E.M.U.F.R.J. Tornou-se membro da A.B.M. em 1964.

Em 1977, dirigiu a Associação de Canto Coral no Festival Internacional de Coros, em Santiago, Chile. Foi membro da Comissão Nacional de Folclore do I.B.E.C.C. (1948-1960), da Sociedade Internacional de Musicologia (Genebra, Suíça), do conselho de música erudita do MIS, do Rio de Janeiro (até 1980), e do conselho da Casa do Estudante do Brasil, do Rio de Janeiro (1974-1977).

Como musicóloga, realizou pesquisas sobre música brasileira, efetuando a catalogação da música mineira do século XVIII em “O ciclo de ouro: o tempo e a música do barroco católico” (projeto coordenado pelo Prof. Elmer C. Barbosa, Rio de Janeiro, PUC, 1978).

Particularmente, dedicou-se ao estudo da vida e obra do padre José Maurício Nunes Garcia, de quem descobriu ou identificou várias obras. Em consequência desse trabalho publicou o Catálogo temático das obras do padre José Maurício Nunes Garcia (Rio de Janeiro, 1970) e, em 1997, o livro de sua autoria “José Maurício Nunes Garcia: biografia” (Rio de Janeiro, Fundação Biblioteca Nacional/Departamento Nacional do Livro).

Foi ainda redatora da Revista Brasileira de Música e colaboradora na seção musical do jornal Tribuna da Imprensa, do Rio de Janeiro. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Musicologia (1983-1985) e presidente da Federação Internacional de Diretores de Coros (eleita em setembro de 1978, demissionária em abril de 1979). Recebeu a Medalha Biblioteca Nacional (1989) e o Prêmio Nacional de Música, na categoria de Musicologia, conferido pela Funarte e pelo M.E.C. (1995). Dirigiu a Associação Brasileira de Canto Coral até 1994.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira – Art Editora e Publifolha.if (document.currentScript) {