Música de câmaraPernambucoProgramação

“Relicários: Memórias do Som” – Quarteto Variante

Quarteto Variante abre projeto Relicários: Memórias do Som de setembro.

 

Setembro começa bem para os amantes da boa música clássica. O projeto Relicários: Memórias do Som leva para o Museu de Arte Sacra de Pernambuco, em Olinda, no dia 2 de setembro, às 16h, a arte do Quarteto de Cordas Variante. Os ingressos têm preços simbólicos (R$ 2) e toda a renda é revertida para o Lar Fabiano de Cristo.

O Quarteto Variante foi criado em 2014 e é formado por alunos do Bacharelado em Música da UFPE. Desde sua criação, vem atuando na cena de musical erudita de Pernambuco, tendo participado, em outubro de 2015, da 7º Mostra de Música Leão do Norte, na qual estreou uma peça dedicada ao evento e ao quarteto, composta pelo pernambucano Victor Luiz. Em novembro de 2016, o quarteto fez sua primeira turnê em igrejas locais no Mês da Música, onde estreou outra peça dedicada a eles do também pernambucano Ivanubis Hollanda.

O grupo é formado por Kedma Johnson e Jade Martins (violinos), Alexsandro Castro (viola) e Herlane Franciele (violoncelo), jovens atuantes como solistas em importantes orquestras de Pernambuco e da Paraíba.

 

Relicários: Memórias do Som

A ideia da série de concertos é apresentar um conceito de “museu vivo do som”. Da mesma forma que um relicário guarda objetos sagrados, a partitura preserva em si a música de diversas épocas e estilos. Durante os concertos os músicos trazem à vida o som guardado nessas partituras escritas no passado.

“Se por um lado nosso projeto apresenta a tradição da música clássica, revelando a genialidade de compositores como Bach, Vivaldi ou Verdi ou os brasileiros Carlos Gomes, José Maurício Nunes Garcia, Guerra-Peixe, entre outros, ao mesmo tempo propõe a ideia de renovação pela possibilidade de transgressão na liberdade de novas experiências interpretativas”, explica a cravista Maria Aída Barroso, idealizadora e coordenadora do projeto. “A criação de espaços e séries musicais que permitem o acesso gratuito da população a esta arte é fundamental para o aprimoramento do ser humano. A música é muito mais que um breve entretenimento, se revelando um estímulo à sensibilidade. Propomos esta série de concertos por acreditar profundamente nesse pensamento e na necessidade da divulgação desta arte se ampliar e chegar de forma mais intensa e eficaz ao público pernambucano”, completa.

Os concertos têm duração de uma hora e apresentam peças para diferentes formações instrumentais, abrangendo as diversas famílias de instrumentos: cordas friccionadas, cordas percutidas, cordas pinçadas, sopros (madeiras e metais), voz, teclas e percussão. Todos os grupos e músicos foram selecionados por sua reconhecida atuação no meio cultural brasileiro, em trabalhos de performance, pesquisa interpretativa e/ou musicológica, sendo a maioria dos artistas professores, alunos e ex-alunos do Departamento de Música da UFPE.

 

PROGRAMA:

Ivanubis Hollanda (1981-)
De Sertão, para Quarteto de Cordas, Op. 13: Alvorada | Velha História | Filosofia

Victor Luiz (1989-)
Paranâbuku: Aboio | Barro | Boi | Acalanto | Fulô

 

SERVIÇO:

 

Projeto “Relicários: Memórias do Som”

Quarteto de Cordas Variante

 

2 de setembro, domingo, às 16h

Museu de Arte Sacra de Pernambuco (R. Bispo Coutinho, Carmo – Olinda)

 

Ingresso: R$ 2, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.