CríticaLateralMusical

Receita de sucesso

Musical Gabriela, em cartaz em SA?o Paulo, A� espetA?culo cheio de talentos e de sabor marcante.

 

Engana-se redondamente quem pensa que com qualquer dez mil-rA�is e uma nA?ga que saiba mexer se faz um espetA?culo como Gabriela, Um Musical. Em cartaz no Teatro Cetip, em SA?o Paulo, atA� 7 de agosto, a atraA�A?o tem sabor A?nico, daqueles que deixa uma lembranA�a doce e marcante. Sua aparente simplicidade esconde desafios artA�sticos e criativos que apenas encenadores talentosos e experientes conseguem superar, sem que isso, paradoxalmente, esconda o frescor da novidade. Alguns ingredientes sA?o fundamentais para a receita se transformar nesse delicioso acepipe.

A base da receita A� facilmente identificA?vel: a conhecidA�ssima trama do romance Gabriela, Cravo e Canela, do baiano Jorge Amado. A histA?ria publicada em 1958, com seus coronA�is e personagens sensuais, jA? se transformou em filme (com Marcello Mastroianni) e novela (cuja versA?o de 1975 eternizou Sonia Braga), chega a esta versA?o mantendo sua aura mA�tica. Em IlhA�us, na dA�cada de 1920, em meio A� decadA?ncia dos coronA�is do cacau e A� chegada da industrializaA�A?o, a retirante Gabriela e o turco Nacib vivem um romance alegre e sensual.

A adaptaA�A?o, de JoA?o FalcA?o (com colaboraA�A?o de sua ex-mulher, Adriana FalcA?o) A� eficiente e coesa. No segundo ato, no entanto, ao deixar um pouco de lado a trama romA?ntica da protagonista e acompanhar o embate polA�tico entre Mundinho FalcA?o e o coronel Ramiro Bastos, a narrativa perde um pouco o ritmo, sem, contudo, desandar a mistura.

Sobre essa massa bem trabalhada, A� preciso despejar fartamente uma porA�A?o de excelente equipe tA�cnica, cujas contribuiA�A�es acrescentam tanto para manter tanto a singeleza da encenaA�A?o quanto seu encanto. ResponsA?vel por direA�A?o de arte, cenografia e figurinos, Simone Mina acerta em cheio. No palco nu, esteiras deslizantes (para os lados e para a frente) dA?o um belo efeito de movimento. A chegada dos retirantes a�� entre os quais estA? Gabriela a��, por exemplo, A� arrojada e impactante, toda em silhuetas. O guardarroupa tambA�m tem beleza e funcionalidade, A� base de ensolarados vestidos de linho para as moA�as e ternos para os rapazes, alguns bordados e aplicaA�A�es rebuscados, botas de couro para os coronA�is, andrajos e surrA�es para os retirantes, chapA�us para as recatadas senhoras a�� tudo em uma palheta majoritariamente bege, ocre e marrom e demais tons terrosos. Destacam-se o belo costume com flores aplicadas de Gloria e os barrocos paletA?s do Moleque e do Velho TuA�sca. O visagismo, de Order Simone Momo e Roger Ferrari, aposta na simplicidade e acompanha bem a�� exceto pelas barbas postiA�as dos coronA�is, pouco naturais e bastante caricatas.

Outro ingrediente fundamental para a mistura crescer A� uma iluminaA�A?o estonteante, cujo desenho A� de Cesar de Ramires. Sem cenA?rios, a luz ganha mais destaque, e os lindos violetas e lilases dos fins de tarde, os cA�us azuis profundos e os vermelhos intensos e ensolarados do sertA?o baiano deixam marcas profundas nas retinas da plateia. O trabalho de Ramires A� brilhante, impecA?vel do inA�cio ao fim.

Gabriela, Um Musical
A bela luz de Cesar de Ramires

 

TA? Brandileone A� outro profissional sem o qual a receita desandaria. Sua direA�A?o musical, com a colaboraA�A?o de Guilherme Borges Purchase nos arranjos vocais, A� um acerto. A trilha sonora a�� de cerca de 30 pA�rolas da MPB garimpadas pelo diretor a�� vai das esperadas canA�A�es das adaptaA�A�es anteriores (Modinha para Gabriela, de Dorival Caymmi; Tema de Amor de Gabriela, de Tom Jobim) a preciosidades de Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, JosA� Miguel Wisnik, Gonzaguinha, Milton Nascimento, Pixinguinha, Martinho da Vila, passando por bem-vindas surpresas como Skank, Tribalistas e Lulu Santos. Tudo inserido e colaborando com a trama a�� a exemplo do Coronel Ramiro Bastos vociferando Buy Volte para o seu Lar para o estrangeiro Mundinho FalcA?o; a apresentaA�A?o da protagonista com a inesquecA�vel canA�A?o de Caymmi, cheia de inocente sensualidade; e o desejo quase incontrolA?vel que a morena cravo e canela desperta nos homens ilustrado pelo coro masculino entoando os versos de Samuel Rosa e Chico Amaral em Garota Nacional: Porque ela derrama um banquete, um palacete / Um anjo de vestido, uma libido do cacete…

Os mA?sicos Antonio Loureiro (bateria e percussA?o), Danilo Penteado (baixo elA�trico e sanfona), Edson Santanna (teclado), Maria Beraldo Bastos (clarinete, clarone e pA�fano) e Rafa Barreto (violA?o e guitarra), A�s vistas do pA?blico, valorizam os arranjos e deixam espaA�o de sobra para as boas vozes do elenco que, alA�m de cantar, executa as interessantes coreografias e movimentaA�A�es de Lu Brites.

Danilo Dal Farra e Daniela Blois
Danilo Dal Farra e Daniela Blois

 

JovensA�talentos

Mas o sabor especial A� oriundo, principalmente, de uma pitada generosa de A?timos (novos) atores, em sua maioria, pouco famosos. Como a protagonista, uma atriz ainda desconhecida do grande pA?blico: a paraense Daniela Blois, de 26 anos, recA�m-formada em Medicina e moradora de Manaus, escolhida entre mais de 700 candidatas. Dona de charme, viA�o e brejeirice, a novata dA? conta do papel central com talento e boa voz. A seu lado, como Nacib, Danilo Dal Farra, na dose exata de virilidade, doA�ura e ingenuidade.

Em meio a um elenco de jovens cheios de vontade estA?o purchase beconase aqueous nasal spray Marcel Octavio, que tem atuaA�A?o apaixonada como o idealista Mundinho (A� tocante sua cena ao som de Cais, de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos), e Leo Bahia (de Chacrinha, o Musical), que vive o Coronel Altino e JosuA�, o professor poeta que, na trama, escreve a letra de Rosa, de Pixinguinha. Em meio A�s meninas, destacam-se Ingrid Gaigher, a jovem estudante que apaixona-se pelo engenheiro de fora, combina de fugir com ele e, quando ele a deixa a ver navios no cais, vai embora sozinha mesmo, porque propecia online no prescription “queria ver novos horizontes e nA?o precisava de ninguA�m pra fazer isso”; e Juliana Linhares como a voluptuosa Gloria, moA�a de decotes e desejos profundos que vive suas paixA�es debruA�ada A� janela. A� sua a voz mais educada e bonita do elenco.

Tempero extra A� dado ainda pelos dois intA�rpretes de TuA�sca: MaurA�cio Tizumba (Velho), ator de hipnA?tica presenA�a e voz marcante, perfeito como o narrador da trama, e Eliane Carmo (Moleque), jovem atriz de sorriso cativante que, em cena, tem entrega e carisma.

Eliane Carmo e MaurA�cio Tizumba
Eliane Carmo e MaurA�cio Tizumba

Como um chef gourmet, misturando os ingredientes em busca do resultado perfeito, estA? o experiente e criativo diretor Order JoA?o FalcA?o (de peA�as antolA?gicasA�como O BurguA?s RidA�culo e A Dona da HistA?ria, entre outras, e o lindo musical GonzagA?o a�� A Lenda Purchase ). ApA?s perA�odo de ensaios no qual os atores nA?o sabem que personagens vA?o interpretar (A� exceA�A?o da protagonista) e subindo o pano com a encenaA�A?o ainda precisando de alguns ajustes, que vA?o se acertando durante a temporada (ainda careciam de ritmo as passagens de uma cena para outra, por exemplo, na rA�cita de 18 de junho, na qual o Movimento.com esteve presente), FalcA?o cria um espetA?culo orgA?nico e cheio de vida, visualmente impactante, musicalmente envolvente, recheado de novos talentos e com um sabor marcante. Um gosto de cravo e canela quase impossA�vel de esquecer.

Fotos: Roberto Setton | DivulgaA�A?o omnicef price in india

 

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com