LateralNotíciaÓperaSão PauloTecnologia

Projeto Guri e Theatro São Pedro: ópera O Matrimônio Secreto

O Guri Capital e Grande São Paulo e o Theatro São Pedro, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, geridos pela organização social Santa Marcelina Cultura, estreiam o projeto #ÓperaEmSérie e apresentam O Matrimônio Secreto, de Domenico Cimarosa (1749-1801), com libreto de Giovanni Bertati (1735-1815).

Ao longo do mês de julho, o público vai poder conferir em quatro episódios comentados a ópera que é considerada a obra-prima do compositor italiano. Estreada no ano de 1792, O Matrimônio Secreto conta a história de um velho pai, já meio surdo e turrão, que recebe uma ótima notícia: um nobre deseja se casar com sua filha mais velha! Enquanto pai e filha comemoram as boas novas, a caçula toma coragem para contar que se casou em segredo com o jovem empregado Paolino. Até aí tudo bem! O problema é quando o nobre homem muda de ideia e decide se casar com a mais nova.

Toda essa confusão, cheia de ciúmes e reviravoltas subiu ao palco do Theatro São Pedro em maio de 2018, com encenação de Caetano Vilela. Na direção musical e à frente da Orquestra do Theatro São Pedro esteve a maestrina Valentina Peleggi. A montagem teve ainda cenografia de Duda Arruk, figurinos de Fause Haten e caracterização de Edu VonGomes.

O elenco contou com a soprano Caroline de Comi como Carolina, a soprano Joyce Martins como Elisetta, a mezzosoprano Ana Lúcia Benedetti como Fidalma, o tenor Jean William como Paolino, o barítono Michel de Souza como Conde Robinson, e o baixo Pepes Do Valle como Geronimo.

Como forma de ampliar o acesso aos conteúdos produzidos pelo Theatro São Pedro e de aproximar crianças e adolescentes ao universo da ópera, a montagem será dividida em quatro episódios comentados, que terão a participação de Caetano Vilela e de Michel de Souza, e que serão transmitidos pelos respectivos canais do YouTube e pelas redes sociais do Guri Capital e Grande São Paulo e do Theatro São Pedro. O primeiro episódio tem estreia no dia 3 de julho, sexta-feira, às 17h.

 

#GuriEmCasa e #TheatroSãoPedroEmCasa

 

SERVIÇO

Dia 03 de Julho (sexta-feira) – Episódio 1

Dia 10 de Julho (sexta-feira) – Episódio 2

Dia 17 de Julho (sexta-feira) – Episódio 3

Dia 24 de Julho (sexta-feira) – Episódio 4

Sempre às 17h

 

YouTube Guri Capital e Grande São Paulo

https://www.youtube.com/user/ProgramaGuri

YouTube Theatro São Pedro

https://www.youtube.com/TheatroSaoPedroTSP

 


Guri Capital e Grande São Paulo

O Guri é um programa que desenvolve o ensino musical e a inclusão sociocultural para 13 mil crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos em 44 polos da capital e em cidades da Região Metropolitana de São Paulo. Sob gestão da Santa Marcelina Cultura, Organização Social (OS) qualificada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o programa proporciona a oportunidade de crescimento cultural e inclusão social por meio de uma educação musical de qualidade apoiada por um trabalho social efetivo. Sempre apostando na plena capacidade de desenvolvimento do ser humano, o Guri oferece não apenas uma rede de apoio para suas alunas e alunos, mas também para seus familiares e comunidades nas quais o programa atua.

 

Theatro São Pedro

O Theatro São Pedro completa 100 anos com uma das histórias mais ricas e surpreendentes da música nacional. Inaugurado em uma época de florescimento cultural, o teatro se insere tanto na tradição dos teatros de ópera criados na virada do século XIX para o XX quanto na proliferação de casas de espetáculo por bairros de São Paulo. É o único remanescente dessa época em que a cultura estava espalhada pelas ruas da cidade, promovendo concertos, galas, vesperais, óperas e operetas.

Nesses 100 anos, o teatro passou por diversas fases e reinvenções. Já foi cinema, teatro, e, sem corpos estáveis, recebia companhias itinerantes que montavam óperas e operetas. Entre idas e vindas, foi palco de resistência política e cultural, e recebeu grandes nomes da nossa música, como Eleazar de Carvalho, Isaac Karabtchevsky, Caio Pagano e Gilberto Tinetti, além de ter abrigado concertos da Osesp.

Após passar por uma restauração, foi reaberto em 1998 com a montagem de La Cenerentola, de Gioachino Rossini. Gradativamente, a ópera passou a ocupar lugar de destaque na programação do São Pedro e, em 2010, com a criação da Orquestra do Theatro São Pedro, essa vocação foi reafirmada.

Ao longo dos anos, suas temporadas líricas apostaram na diversidade, com títulos conhecidos do repertório tradicional, obras pouco executadas, além de óperas de compositores brasileiros, tornando o Theatro São Pedro uma referência na cena lírica do país.

Agora, o Theatro São Pedro, instituição do Governo do Estado de São Paulo gerido pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social parceira da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo inicia uma nova fase, respeitando sua própria história e atento aos novos desafios da arte, da cultura e da sociedade.

 

Foto do post: Sérgio Ferreira

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.