Movimento

Programação 2020 – Dell’Arte

Espetáculos de música e dança acontecem em cinco capitais, de abril a dezembro.

A Dellarte Soluções Culturais apresenta sua Programação 2020, que traz 14 atrações de música e dança, entre orquestras e companhias internacionais e nacionais. São 27 espetáculos entre os meses de abril e dezembro, em palcos de cinco capitais brasileiras – Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre.

Entre os destaques está a 27ª edição da Série O Globo/Dellarte Concertos Internacionais, com uma seleção reunindo oito atrações de primeira linha do universo clássico mundial no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

A programação, que vai de abril a novembro, apresenta quatro orquestras, um conjunto, dois pianistas e um tenor. Merece atenção a Bamberg Symphony, uma das orquestras que mais empreendeu turnês ao exterior do país, apresentando um repertório que inclui, além das obras clássicas e românticas, criações contemporâneas. Na regência, Jakub Hrůša e a companhia do pianista polonês Piotr Anderszewski.

Destaca-se também a jovem pianista georgiana Khatia Buniatishvili, pertencente à nova geração de artistas e referência do piano mundial, graças ao seu excepcional talento e presença de palco. E ainda a Academy of St Martin in the Fields, um dos mais proeminentes conjuntos de câmara do mundo, que segue mantendo seu espírito colegiado e a flexibilidade original, sem regente. Ela se apresenta com o consagrado violinista americano Joshua Bell, virtuose do instrumento, com uma carreira de mais de trinta anos como solista, músico de câmara, maestro e diretor.

A Temporada Dellarte de Dança traz grandes companhias internacionais de balé e flamenco. Entre os destaques, Ballet Flamenco Sara Baras, que se apresenta nas cinco capitais; e Ballet du Grand Théâtre de Genève, com o espetáculo Tristão e Isolda, no Rio de Janeiro, além do Balletto di Roma, com uma versão inédita de Giulietta e Romeo.

Já a Série Jazz All Nights brilha com duas grandes atrações, que fazem espetáculos no Rio de Janeiro e em São Paulo: a pianista japonesa Hiromi Uehara, em maio; e Quinteto Astor Piazzolla, que faz turnê, em novembro, precedendo as comemorações pelo aniversário de 100 anos do lendário Astor Piazzolla.

Para os cariocas fãs de música clássica e dança, uma opção para garantir presença em todos os espetáculos pagando menos, é torna-se assinante das séries. Entre os benefícios, até 50% de desconto no valor dos ingressos para estudantes e idosos e 30% de desconto para todos, garantia do mesmo lugar/assento em toda a temporada e prioridade na compra de outros espetáculos da Dellarte.

Há 37 anos no mercado, a empresa comemora as mais de 1.500 apresentações para três milhões de apreciadores, admiradores e amantes da música clássica, balé, jazz, ópera e o que há de mais emocionante no cenário cultural ao redor do mundo. Nosso lema é O espetáculo já começou”, exalta sua presidente, Myrian Daueslberg.

 

PROGRAMAÇÃO

CONCERTOS INTERNACIONAIS

Dia 16 de abril, quinta-feira, às 20h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro Série o Globo/Dellarte

Orchestre de Chambre Nouvelle Europe
Nicolas Krauze, regente

A orquestra, criada e estruturada pelo multipremiado maestro Nicolas Krauze, se propõe a quebrar a barreira entre o músico de orquestra e o solista, dando oportunidade aos mais jovens de iniciarem suas carreiras de maneira única, não apenas acompanhando solistas renomados, mas também sendo protagonistas eles mesmos.

Uma grande novidade na rígida estrutura de uma orquestra tradicional. Em pouco mais de quinze anos, Krauze conseguiu construir, a partir da formação original uma orquestra reconhecida pela crítica e público por sua excelência, intensidade e perfeição de suas apresentações.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=hKh4splj8Bw

 

Dia 14 de maio, quinta-feira, às 20h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Série o Globo/Dellarte

Elena Bashkirova & Jerusalem Chamber Music Festival Ensemble

Elena Bashkirova é definida pela crítica como “um impressionante modelo de pianista que anima todos os sons com uma linguagem figurativa e vivaz”. Inteiramente à vontade tanto nos repertórios Clássico e Romântico quanto na música do século XX, a pianista empreende constantes turnês mundiais com seu conjunto, além de apresentar-se com algumas das mais conceituadas orquestras e regentes.

Russa de nascimento, teve como seu primeiro mestre, o célebre Dmitri Bashkirov, seu próprio pai. Não satisfeita com a limitação que lhe impunha o repertório pianístico, decidiu ampliar o escopo de seu repertório. Para tanto selecionou alguns dos melhores instrumentistas disponíveis e fundou o Jerusalem Chamber Music Festival Ensemble na esteira do Festival de Música de Câmara de Jerusalém criado por ela em 1998 e do qual se mantém diretora artística. O Festival, com seu elevado padrão artístico, é considerado um dos principais eventos do gênero no mundo.

 

Dia 18 de junho, quinta-feira, às 20h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Série o Globo/Dellarte

Daniil Trifonov, piano

Russo nascido em Nizhny Novgorod em 1991, Trifonov começou sua formação musical aos cinco anos de idade e frequentou a Gnessin School of Music de Moscou como aluno de Tatiana Zelikman, antes de continuar seus estudos com Sergei Babayan no Instituto de Música de Cleveland.

Trifonov teve uma ascensão espetacular seja como solista, concertista, camarista e compositor combinando uma técnica consumada com sensibilidade e profundidade interpretativa raras.

Recentemente adicionou um primeiro Grammy à sua considerável série de honras, ganhando o Melhor Álbum Solo Instrumental de 2018 com Transcendental, um álbum duplo de obras de Liszt que marca seu terceiro título como artista exclusivo da Deutsche Grammophon. Como observa o The Times of London, ele é “sem dúvida o pianista mais surpreendente da nossa época”.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=-tgjX8RpiMM

 

Dia 03 de setembro, quinta-feira, às 20h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Série o Globo/Dellarte

São Paulo – data a definir
Sala São Paulo

Curitiba – data a definir
Local a definir

Lucerne Symphony Orchestra
James Gaffigan, regent
Steven Isserlis, violoncelo

Fundada em 1806, a Orquestra Sinfônica de Lucerna é uma das mais antigas da Suíça sendo considerado como um dos principais conjuntos sinfônicos do mundo. Exibindo grande dinamismo desenvolveu a maestria de alavancar a criatividade dentro da tradição. Frequentemente seleciona compositores específicos, que dão origem a ciclos criativos de suas obras, permitindo que o público aprofunde a apreciação da música.

Seu perfil internacional se reflete em uma discografia substancial e variada. Além disso, a orquestra aproveita todas as oportunidades para valorizar as raridades do repertório, ampliando os horizontes de seu público ávido e enfatizando a música contemporânea.

Nomeado em 2011, seu diretor musical, James Gaffigan, estrela em ascensão no cenário musical. Gaffigan mantém a política tradicional da orquestra, de ter em seu pódio, como convidados, maestros como Neeme Järvi, Sir Neville Marriner, Leonard Slatkin e Vasily Petrenko encarregados de ciclos específicos de concertos.

O violoncelista inglês Steven Isserlis, dos mais notáveis da atualidade, se distingue pela diversidade do repertório, domínio do fraseado e pela sonoridade peculiar que extrai do seu instrumento.

link: https://www.youtube.com/watch?v=WxhDouOdHk4&feature=youtu.be

 

Dia 24 de setembro, quinta-feira, às 20h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Série o Globo/Dellarte

Bamberg Symphony
Jakub Hrůša, regente
Piotr Anderszewski, piano

A história dessa tradicional orquestra formada em 1946 demonstra sua grandeza. Integrada principalmente por ex-membros da Orquestra Filarmônica Alemã de Praga acrescida de colegas que fugiam da guerra e de suas consequências. Juntos, fundaram a Orquestra de Músicos de Bamberg, logo após renomeada como Sinfônica de Bamberg.

Sua linhagem pode ser rastreada da Orquestra de Praga até os séculos XIX e XVIII, chegando a Mozart e Mahler. Até hoje ela já atuou em mais de 7 mil concertos em mais de quinhentas cidades de sessenta e três países.

Expoente cultural da cidade alemã de Bamberg, é uma das orquestras que mais empreendeu turnês ao exterior do país: desde 1946 ela vem encantando o público em todo o mundo com sua peculiar sonoridade escura, arredondada e brilhante. Seu repertório inclui, além das obras clássicas e românticas, criações contemporâneas.

Desde setembro de 2016 a Sinfônica de Bamberg tem o tcheco Jakub Hrůša como seu quinto Regente Principal. Sob sua liderança, se reafirma como um elo vivo das raízes históricas da Sinfônica de Bamberg com o seu presente.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=LHpmbAOdanA

 

– Dia 04 de outubro, domingo, às 17h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Série o Globo/Dellarte

Khatia Buniatishvili, piano

A jovem artista georgiana se firma na paisagem da música clássica a partir de sua gravação mágica e excepcional da Sonata para piano em Si menor de Liszt. Desde a lendária Martha Argerich, ninguém havia conquistado tamanha unanimidade.

As possibilidades da pianista parecem ilimitadas, graças ao seu virtuosismo, que lhe abre um amplo repertório, e a uma enorme força que, erroneamente, se acredita ser reservada aos pianistas do sexo masculino. Essas qualidades levaram-na a obter alguns dos mais cobiçados prêmios internacionais, dentre eles o ECHO Klassik 2016 Award.

Khatia Buniatishvili pertence à nova geração de artistas capazes de quebrar os estereótipos da música clássica e conquistar o público mais jovem, graças ao seu excepcional talento e presença de palco.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=yrNvJ_l7TVI&feature=youtu.be

 

Dia 05 de novembro, quinta-feira, às 20h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Série o Globo/Dellarte

Piotr Beczala, tenor

Piotr Beczala é um dos maiores astros da atualidade no universo do canto lírico. Já se apresentou em todos os principais teatros e protagonizou apresentações históricas em vários papéis de destaque. A estreia do tenor polonês no Metropolitan de Nova York em 2006 foi um acontecimento tendo, desde então, retornado à casa em praticamente todas as temporadas, abordando tanto os grandes heróis verdianos, quanto as principais obras de Puccini, Donizetti, Gounod e Wagner, ao lado de estrelas da grandeza de Anna Netrebko.

Aplaudido nos principais teatros líricos da Europa, como o Scala de Milão, as Óperas de Munique, Viena, Hamburgo, Berlim, Genebra, Bolonha e no Teatro Mariinsky de São Petersburgo, Beczala é convidado habitual do Festival de Salzburgo.

Dentre os papéis assumidos por Beczala destacam-se os de Alfredo em La Traviata, Duque de Mântua em Rigoletto, Rodolfo em La Bohème, Edgardo em Lucia di Lammermoor, Chevalier des Grieux em Manon, além dos papéis-título de Roméo et Juliette e Faust e do seu aclamado Lohengrin, para citar apenas alguns.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=FIDnJNhD3JY

 

Dia 16 de novembro, segunda-feira, às 20h
Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Série o Globo/Dellarte

Academy of St. Martin in the Fields
Joshua Bell, violino

A Academy of St Martin in the Fields, sob a direção do consagrado violinista Joshua Bell, continua a redefinir os padrões da música clássica. Elogiada como um “conjunto impressionante e irretocável” pelo Chicago Classical Review, a Academy é admirada pelo frescor de suas interpretações do melhor da música clássica notabilizando-se por seu som distinto, polido e refinado, documentado por uma vasta produção fonográfica.

Um dos mais proeminentes conjuntos de câmara do mundo, segue mantendo seu espírito colegiado e a flexibilidade do pequeno conjunto original, sem regente. Dependendo do repertório a ser apresentado, seu efetivo aumenta até o limite de uma orquestra sinfônica.

Com uma carreira de mais de trinta anos como solista, músico de câmara, maestro e diretor, Joshua Bell é um dos maiores virtuosos do violino da atualidade tendo sido nomeado diretor musical da Academy of St Martin in the Fields em 2011, sendo a única pessoa a ocupar esse cargo desde que Sir Neville Marriner formou a orquestra em 1958.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=1WZRMFimt3Y&feature=youtu.be

 

TEMPORADA DELLARTE DE DANÇA

Dia 20 de junho, sábado, às 20h
Theatro Municipal RJ

São Paulo – data a definir
Teatro Alfa

Balletto di Roma
Giulietta e Romeo

Após apresentar uma versão inovadora de Romeu e Julieta em 1987, o coreógrafo Fabrizio Monteverde retorna à tragédia de Shakespeare, buscando explorar emoções mais profundas e complexas do feminino. A ordem inversa do título indica que a personagem principal desta história é Julieta, uma jovem que, apesar das crenças conservadoras de sua aldeia, tem uma tendência rebelde e um desejo de emancipação.

A história é transposta de Verona para uma comunidade rural no sul da Itália, norteada por antigas tradições e feudos familiares. A ação se desenrola a partir do final da Segunda Guerra Mundial, quando tensão e tradicionalismo são confrontados com um movimento de reconstrução, o que proporciona um clima mais exasperado para a paixão do jovem casal.

E é o audacioso espírito independente de Julieta que faz com que o tímido e solitário Romeu se apaixone por ela.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=sXKgMKIkvio&feature=youtu.be

 

– Dia 22 de agosto, sábado, às 20h
Theatro Municipal RJ

Ballet du Grand Théâtre de Genève
Tristão e Isolda

A ópera Tristão e Isolda de Wagner não parece talhada para a dança. Ao assumir este desafio, o coreógrafo Joëlle Bouvier criou um ballet inteligente, que projeta os artistas em direção à excelência, esbanjando sobriedade e precisão.

É um verdadeiro desafio trabalhar sobre sua música; não é fácil. Tristão e Isolda é uma história de amor frustrada que, em geral, é conhecida apenas superficialmente. A ópera dura 4 horas. Eu mantive os 3 atos, a cronologia, o espírito. Mas resumi a história a uma hora e meia. Foi um trabalho de longo prazo. Fui me assenhorando pouco a pouco. Penetrei no mundo de Wagner. A história é complexa como os seres humanos”.

A atmosfera, sombria e dramática como essa história de amor, é realçada pelo claro-escuro que parece ter saído das pinturas da escola holandesa do século XVII. Com elementos simples, cortinas, uma escada dupla, um fundo negro e alguns praticáveis como acessórios, Joëlle Bouvier evita o supérfluo e o inútil.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=8ISqMN1_QZY&feature=youtu.be


– Dia 13 de novembro, sexta-feira, às 20h
Theatro Municipal RJ

São Paulo – data a definir
Teatro Alfa

Belo Horizonte – data a definir
Local a definir

Curitiba – data a definir
Teatro Guaíra

Porto Alegre – data a definir
Local a definir

Ballet Flamenco Sara Baras
Sombras

A superestrela do flamenco Sara Baras retorna em boa hora ao Brasil com Sombras, seu mais recente e inebriante espetáculo. Aclamada por sua presença carismática no palco e por seu sapateado, Baras se baseia em uma linha de dança que permeia sua carreira, e comemora, paralelamente, o 20º aniversário de sua companhia.

No flamenco, La Farruca, geralmente é reservado para os homens. Exibindo-se ao lado de seis bailarinos e acompanhada por sete músicos, Baras, “uma mulher que pode trazer na dança não somente uma tempestade de flamenco, mas também um furacão” (The Guardian), assume La Farruca como sua.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=zIvAN6ABGPw&feature=youtu.be

 

– Temporada em dezembro – local a definir
Theatro Municipal RJ

Companhia BEMO
O Quebra-Nozes

Um dos balés mais populares do mundo, o clássico natalino O Quebra-Nozes será apresentado no mês de dezembro. Um clássico do período de Natal, a obra mundialmente reconhecida com música de Tchaikovsky e coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov nos remete a um mundo de lindos sonhos e suaves sentimentos que faz a alegria de crianças e adultos.

Estreado em 1892 no Teatro Mariinsky de São Petersburgo, seu enredo se baseia em uma adaptação do conto infantil “O Quebra-nozes e o Rei dos Camundongos”, de E.T.A. Hoffmann, realizada por Alexandre Dumas pai. A primeira apresentação no ocidente só aconteceu em 1934, no Sadler’s Wells Theatre, em Londres. Desde então, tornou-se um dos balés mais montados em todo o mundo.

 A Companhia BEMO – Theatro Municipal do Rio de Janeiro é uma iniciativa que vem firmar a fusão da premiada Cia Brasileira de Ballet à Escola Estadual de Danças Maria Olenewa do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (EEDMO).

Com direção Artística de Jorge Texeira e Direção Geral de Hélio Bejani, esta fusão se deu unindo a tradição construída ao longo de mais de 90 anos da EEDMO, com as produções de obras, cenografias e de figurinos, além de 18 anos de experiência e renome conquistado pela Cia Brasileira de Ballet.

 

SÉRIE JAZZ ALL NIGHTS

Dia 04 de maio, segunda-feira
Theatro Municipal RJ

– Dia 08 de maio, sexta-feira
Teatro Bradesco São Paulo

Hiromi Uehara

Famosa pela mistura de diferentes estilos – como jazz e música clássica – a pianista japonesa vencedora do Grammy Hiromi Uehara retorna ao Brasil em maio para duas apresentações. Quando Hiromi se aproxima dos teclados, a plateia pode ter certeza da precisão dos acordes que nascerão no seu piano. A compositora japonesa tem um estilo inconfundível que conjuga técnica e energia vibrante, transformando cada apresentação num show inesquecível.

O talento prodígio começou a tocar piano aos seis anos de idade. Em seguida, passou pela Yamaha School of Music e a Berklee School of Music de Boston, onde conheceu seu mentor, Ahmad Jamal, um dos pianistas favoritos de Miles Davis. Acompanhada pela The Stanley Clarke Band, Hiromi conquistou em 2011 o Grammy, na categoria de melhor álbum de jazz. Compôs um novo tema para Tom & Jerry Show, incluída no álbum Another Mind (2003) e em seu dueto com o pianista americano Chick Corea, que fez parte da banda de Miles Davis, angariou milhares de fãs pelo mundo.

Para Hiromi, a música é muito mais do que apenas notas em uma escala ou uma série de teclas brancas e pretas. Ao contrário, é um fenômeno que ocorre naturalmente e que tira o ar, uma vibração a ser capturada e retransmitida para os ouvidos receptivos e o coração aberto.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=A8RCz_RoefM

 

Dia 17 de novembro, terça-feira
Teatro Bradesco São Paulo

Dia 24 de novembro, terça-feira
Theatro Municipal RJ

Quinteto Astor Piazzolla

O legado e a magia do inigualável bandeonista e compositor argentino Astor Piazzolla chega a São Paulo e Rio de Janeiro, pelas mãos do grupo que melhor expressou as ideias do grande precursor da renovação do tango e que o acompanhou nos momentos mais importantes de sua vertiginosa carreira internacional: o Quinteto Astor Piazzolla.

Com mais de 20 anos percorrendo o mundo, aclamado pela crítica e imprensa internacional, o Quinteto oficial da Fundação Astor Piazzolla, dirigido pela esposa de Astor, Laura Escalada Piazzolla, é a único grupo musical capaz de representar com fidelidade o estilo único e irrepetível do grande maestro que revolucionou a música e o tango.

O Quinteto Astor Piazzolla volta ao Brasil como ponto de partida para a turnê latino-americana e lançamento de seu mais novo trabalho, “Revolucionário”. Integrado por Lautaro Greco no bandoneon, Sérvio Rivas no contrabaixo, Germán Martínez na guitarra, Sebastián Prusak no Violino e Cristian Zárate no Piano e sobre a direção musical do saxofonista e flautista Julián Vat, o Quinteto Astor Piazzolla brindará São Paulo e Rio de Janeiro com um concerto especial de lançamento de “Revolucionário”, o novo disco do Quinteto.

O show contará com composições pouco conhecidas de Astor, como a célebre homenagem a Milton Nascimento “Retrato de Milton”, e também a Alfredo Gobbi, considerado por Astor como o pai do tango, “Retrato de Alfredo Gobbi”. Terá também músicas de grande sucesso e já conhecidas pelo público como “Chin”, “Camorra”, “Adios nonino”, entre outras.

O novo disco do Quinteto é o primeiro de uma série de quatro, que em sua edição final coincidirá com o centenário do nascimento de Astor Piazzolla em 11 de março de 2021. Este novo trabalho já possui as melhores críticas das prestigiosas revistas Scherzo (Espanha), e Songlines e Gramophone (Reino Unido).

Link: https://www.youtube.com/watch?v=KOaYST9mO7Y

 


SERVIÇO

Assinatura Série O Globo/Dellarte – Concertos Internacionais

Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Benefícios:

Mesmo lugar/assento em toda a temporada

Prioridade na compra de outros espetáculos Dellarte

Preços:

Frisa ou Camarote – R$ 18.984 / R$ 13.560 (idosos e estudantes)      

Plateia ou Balcão Nobre – R$ 3.164 / R$ 2.260 (idosos e estudantes)

Balcão Superior – R$ 1.400 / R$ 1.000           (idosos e estudantes)

Galeria – R$ 560 / R$ 400 (idosos e estudantes)

Assinaturas:

https://www.assinaturas.dellarte.com.br/concertos

Tel: 4002-0019

 

Assinatura Temporada Dellarte de Dança

Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Benefícios:

Mesmo lugar/assento em toda a temporada

Prioridade na compra de outros espetáculos Dellarte

Preços:

Frisa ou Camarote – R$ 3.360 / R$ 2.400 (idosos e estudantes)

Plateia ou Balcão Nobre – R$ 560 / R$ 400 (idosos e estudantes)        

Balcão Superior – R$ 350 / R$ 250 (idosos e estudantes) 

Galeria – R$ 224 / R$ 150  (idosos e estudantes)

Assinaturas:

https://www.assinaturas.dellarte.com.br/danca

Tel: 4002-0019

 

Série Jazz All Nights

Preços e local a definir

Em breve no site da Dellarte

 

Companhia BEMO

Theatro Municipal do Rio de Janeiro

O Quebra-Nozes

Temporada em dezembro – local a definir

 

 

Antônio Rodrigues
Apaixonado por música coral, é um dos fundadores e mantenedor do movimento.com.