LateralMúsica coralMúsica sinfônicaProgramaçãoSão Paulo

“Petite Messe Solennelle”, de Rossini, pela Osesp

Thomas Blunt rege o espetáculo.

 

SERVIÇO

 

Sala São Paulo
Praça Júlio Prestes, 16

Dias 24 2 25.10, às 21h. e dia 26.10, às 16:30h.

Preços entre R$ 28,00 e R$ 67,00
Bilheteria: (11) 3223-3966 (1340 lugares)

Aposentados, pessoas acima de 60 anos, estudantes e professores da rede pública têm 50% de desconto, mediante comprovação em todas as atividades.

Ingresso Rápido: (11) 4003-1212; www.ingressorapido.com.br 

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.

Recomendação etária: 7 anos

Estacionamento: R$ 18,00 (611 vagas, sendo 20 para portadores de necessidades especiais e 33 para idosos).

 

 

O Coro da Osesp recebe o maestro inglês Thomas Blunt, da Orquestra Filarmônica de Londres, que volta à Sala São Paulo para reger a Petite Messe Solennelle, do compositor italiano Gioacchino Rossini. Escrita em 1863, depois de 30 anos afastado do mundo da ópera, a denominação “pequena missa” se justifica por ser originalmente concebida para uma capela, com acompanhamento de dois pianos e um harmônio. Esta, porém, é uma obra de grande intensidade emocional, além de ter quase uma hora e meia de duração. 

Os concertos da Osesp contam com a realização do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Estado da Cultura. 

 

 ARTISTAS ENVOLVIDOS


Thomas Blunt – regente

O maestro inglês Thomas Blunt estudou na Universidade de Cambridge e no Royal College of Music, em Londres, onde foi aluno de Neil Thomson. Foi regente do Coral de Glyndebourne de 2006 a 2009, experiência que lhe valeu o convite para ser regente assistente de Vladimir Jurowski na Orquestra Filarmônica de Londres. Apresentou-se com a Filarmônica no Royal Festival Hall, no Queen Elizabeth Hall e na própria Sala São Paulo, em concerto com participação do Coro da Osesp. Também regeu a Royal Liverpool Philharmonic, a Welsh National Opera, a English Chamber Orchestra e a Northern Sinfonia, entre outras orquestras. Blunt trabalhou com maestros como Iván Fischer, Kazushi Ono, Maurizio Benini, Lothar Koenigs e, mais recentemente, Bernard Haitink, na Sinfônica de Chicago.

 

Roxana Kostka – soprano

Integrante do Coro da Osesp, nasceu em Buenos Aires e estudou com Mirtha Garbarini no Conservatório Municipal Manuel de Falla. Participou do Coral de Crianças do Teatro Colón e, posteriormente, do Coral Nacional do Teatro Cervantes, onde também atuou como solista. Atualmente, dá continuidade a seus estudos sob a orientação da professora Laura de Souza. Na Sala São Paulo, interpretou como solista o Réquiem, de José Mauricio Nunes Garcia, sob regência de Cláudio Cruz.

 

Sílvia Tessuto – contralto

A paulistana estudou na Fundação das Artes de São Caetano do Sul com os professores Eladio Pérez-González, Baldur Liesenberg, José Angrisani, NeideThomaz e Marga Nicolau. Solista em dezenas de óperas e também em cantatas e obras sinfônicas, apresentou-se com a Osesp, interpretando a Sinfonia nº 8, de Mahler. Em 1991, recebeu o prêmio da APCA de Melhor Cantora Lírica.

 

Miguel Geraldi – tenor

Iniciou seus estudos com Gledys Pierri e tem se aperfeiçoado com Neyde Thomas. Integrou grupos especializados em música antiga, como Armonico Tributo, Coro Bach e Camerata Antiqua de Curitiba. É cantor do Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo. Venceu o v Concurso Carlos Gomes, de Campinas, o II Concurso Aldo Baldin, em Florianópolis, e o III Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão.

 

Francisco Meira – baixo-barítono

Membro do Coro da Osesp desde 2001, Francisco Meira é mineiro de Diamantina. Estudou com Hugo A. Silva e Marcos Thadeu Miranda Gomes. Na Sala São Paulo, foi solista do Oratório de Natal, de Camille Saint-Saëns, sob regência de Naomi Munakata, e da Missa Breve em Lá Menor, de Johann Sebastian Bach, sob regência de Celso Antunes. Apresentou-se na série “Um certo olhar”, interpretando Liebeslieder Waltzes Op. 52, de Johannes Brahms. Em fevereiro de 2012, foi o barítono solista da gravação de Tombeau, deAylton Escobar, com o Coro da Osesp.

 

Dana Radu – piano

Pianista da Fundação Osesp, nasceu na Romênia e se formou na Universidade de Música de Bucareste. Apresentou-se na Sala São Paulo na série “Um Certo Olhar” e em concertos do Quarteto Osep. Como pianista correpetidora, acompanhou masterclasses de músicos como Pinchas Zukerman, Nathalie Stutzmann e Antônio Meneses. Participou do CD Por Toda Minha Vida (Clássicos, 2009), da contrabaixista Ana Valeria Poles, e foi solista no CD Sonatas Para Violino e Piano nos 4, 5 e 6 (BIS, 2011), com a Osesp e o violinista Emmanuele Baldini. Em fevereiro de 2012, gravou a Missa Orbis Factor, de Aylton Escobar, com o Coro da Osesp.

 

Fernando Tomimura – piano

Pianista da Fundação Osesp, é regente e mestre pela USP. Participa de importantes produções musicais como pianista e regente, ao lado dos principais nomes do cenário musical no Brasil, e em concertos na Europa e na América do Sul. É regente do Coral Jovem do Estado de São Paulo e professor na Faculdade Cantareira e na Escola Municipal de Música de São Paulo. Gravou Os Quatro Temperamentos, de Hindemith, no CD Camerata Fukuda 20 Anos (Paulus, 2010) e obras para piano solo no disco Willy Corrêa de Oliveira – O Presente (2006).

 

Samuel Kerr – harmônio

Estudou piano e órgão, frequentou os Seminários de Música da Pró-Arte e aperfeiçoou seus estudos de regência com Robert Shaw na Meadow Brook School of Music, nos EUA. É Bacharel em Composição e Regência pela Faculdade de Música e Educação Artística do Instituto Musical de São Paulo e mestre em Artes pelo Instituo de Artes da UNESP. Foi Diretor da Escola Municipal de Música (1971-75) e regente da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal de São Paulo (1971-82). Foi professor de Regência Coral no Departamento de Música da ECA-USP (1974-75) e de Regência no Instituto de Artes da UNESP (1977 a 2005). Atuou como Regente convidado da Camerata overnight cipro Antiqua de Curitiba em 2002, 2004 e 2005 e Regente convidado do Coral da OSESP em 2003 e 2005. Trabalhou ainda como diretor musical em diversas montagens teatrais.

 

Coro da Osesp

A combinação de um grupo de cantores de sólida formação musical com a condução de Naomi Munakata, uma das principais regentes brasileiras, faz do Coro da Osesp uma referência em música vocal o Brasil. Nas apresentações junto à Osesp, em grandes obras do repertório coral-sinfônico, ou em concertos a cappella na Sala São Paulo e pelo interior do estado, o grupo aborda diferentes períodos musicais, com ênfase nos séculos XX e XXI e nas criações de compositores brasileiros, como Almeida Prado, Aylton Escobar, Gilberto Mendes, Francisco Mignone, Liduíno Pitombeira, João Guilherme Ripper e Villa-Lobos, entre outros. À frente do grupo, Naomi Munakata tem regido também obras consagradas, que integram o cânone da música ocidental. Em 2009, o Coro da Osesp lançou seu primeiro disco, Canções do Brasil, que inclui obras de Osvaldo Lacerda, Francisco Mignone, Camargo Guarnieri, Marlos Nobre, Villa-Lobos, entre outros compositores brasileiros. Em 2013, lançou gravação de obras de Aylton Escobar, pelo Selo Digital Osesp.

 

 

if (document.currentScript) {

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.