LateralMúsica contemporâneaNotíciaParanáTecnologia

Paula Senna Lalli na 38ª Oficina de Música de Curitiba

Apresentação virtual de “A Criação do Dia” será ao lado da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa.

A compositora musical e artista visual Paula Senna Lalli, ao lado da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa, é uma das convidadas virtuais da 38ª Oficina de Música de Curitiba. O evento, que acontece de 17 a 31 de janeiro e contempla a música erudita, a música antiga e a música popular brasileira, terá como palco o Coreto Digital, instalado no Passeio Público da capital paranaense.

A participação da compositora Paula Senna Lalli e da orquestra paraibana será através de um vídeo a ser exibido durante a semana de 17 a 23 de janeiro. Na gravação, a artista e a orquestra executam a peça “A Criação do Dia”, composta por Paula em 2015, especialmente para a abertura do III Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa. A composição é uma homenagem de Paula Senna Lalli à OSMJP, ao Povo da Paraíba e ao seu Festival, com regência do maestro Laércio Diniz.

“A Criação do Dia” surgiu a partir da inspiração de Paula, que também é antropóloga, de retratar o Sol como o grande advento da criação do dia, e seu ciclo de morte e renascimento. “Quando o Sol nasce, ele cria o dia, e cumpre a sua função de permitir a vida na Terra. Quando o dia chega ao fim, ele se põe e parte para um mundo noturno e desconhecido de sombras. Meu objetivo foi expressar, com música, a grande integração entre o Sol e a Terra, os aspectos telúricos e celestes em comunhão para a Criação, e o seu ciclo eterno de ressurreição”.

Paula considera a Paraíba um celeiro de compositores e artistas. “Sou uma admiradora de muitos artistas da Paraíba. Vejo na cultura paraibana uma grandeza, e aprecio sua forte conexão com a terra. Foi inspirada nela que criei essa composição”.

 

Paula Lalli 

Paula Senna Lalli

É formada pela USP – Universidade de São Paulo em Ciências Sociais com ênfase em Antropologia da Arte e cursou História da Arte na ECA – Escola de Arquitetura e Urbanismo da USP em 2007. Tem várias composições gravadas e uma das peças, em 2011, foi apresentada no Festival de Bragança/SP.

Estuda Composição, Harmonia, Contraponto Modal e Tonal, Piano Clássico e Orquestração com Paulo Gazzaneo – mestre pela Unicamp e pianista formado na Hungria. Tem formação em Composição e Composição para Trilhas Sonoras na Academia de Audio Omid Burgin desde 2007.

De 2011 a 2015, participou de diversos cursos de desenho tradicional com o renomado artista Glenn Vilppu, em Los Angeles, Estados Unidos. Nesta ocasião, desenvolveu sua formação em Artes Digitais e Computação Gráfica na Gnomon Shool of Visual Effects, também em Los Angeles, até 2014. Em seguida, estudou técnicas de Pintura Medieval (Prince School of traditional Arts) em Londres, Inglaterra, além de diversos cursos técnicos de arte na Europa em países como Itália, Espanha e Grécia.

Entre 2016 e 2017, em Boston, nos Estados Unidos, produziu obras de grande porte em vidro e dirigiu produções audiovisuais relacionadas a suas composições musicais e a suas obras artísticas. Em 2018, modelou o busto em mármore do piloto Ayrton Senna, em exposição permanente no Museu do Vaticano. Para 2021, Paula planeja a inauguração do busto do atleta, seu tio, estilizado e em escala monumental, a ser instalado na praça Ayrton Senna, na região do complexo do Ibirapuera, em São Paulo.

É membro do Conselho Consultivo do Instituto Ayrton Senna e tem atuação como ativista humanitária.

 

Orquestra Sinfônica Municipal de Joao Pessoa

A OSMJP surgiu dos quadros da antiga Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa, criada em 2001. Em 2013, transformou-se em Orquestra Sinfônica, sendo oficialmente lançada no primeiro Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa, sob a direção artística e regência do maestro Láercio Sinhorelli Diniz.

Desde a sua criação, a orquestra realizou, além dos seus concertos oficiais de temporada, vários mega concertos sinfônicos populares para grande público e dividiu o palco com grandes nomes como Wágner Tiso, Quarteto Jobim, Yamandu Costa, Leila Pinheiro, Leo Gandelman, e muitos outros.

orquestra também acompanhou solistas de renome como Anna Fedorova, Alberto Johnson e Patricia Biccerè, e trabalhou com maestros convidados, como Gerard Oskamp, João Carlos Martins, Júlio Medaglia e Isaac Karabtschewsky.

Além dos concertos da temporada, a OSMJP realizou diversos concertos didáticos na capital, voltados principalmente ao público escolar da rede municipal de ensino. As ações são consideradas de extrema importância para a socialização das crianças, oferecendo a este público, através da música sinfônica, novas perspectivas culturais do mais alto nível.

“A criação do dia” – obra de Paula Senna Lalli com Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa

 

Oficina de Música de Curitiba

Em fins de 1982, Lúcia Camargo, então diretora executiva da Fundação Cultural de Curitiba, em conversa com a cravista Ingrid Seraphim, rememorava momentos de vanguarda na capital paranaense.  O saudosismo resultou na primeira Oficina de Música de Curitiba que, em 1983, ocupou as salas do Solar do Barão, espaço da FCC.

Já na primeira edição, um grupo seleto de docentes de várias cidades brasileiras participou do evento. As edições seguintes serviram para definir a Oficina como um dos principais acontecimentos artísticos da América do Sul.

A música popular começou a se destacar no evento dez anos depois, quando a Oficina de MPB ganhou notoriedade e seus cursos foram ampliados. Em vista disso, a Oficina de Música passou a ser dividida em música erudita e música popular brasileira.

Ao longo dos anos, a Oficina vem se diversificando para atender um número maior de interessados. Há muito sua relevância transcendeu as salas de aula para atingir praças, parques, terminais de ônibus e Ruas da Cidadania. Por conta do momento atual, a edição 2021 acontece no Coreto Digital, um novo e inovador espaço.

 

Coreto Digital

A cidade de Curitiba inova mais uma vez, dando vida a um antigo equipamento de lazer. Dentro do Passeio Público revitalizado, uma nova ação tecnológica movimenta o espaço. O antigo coreto deu lugar a uma versão digital, um encontro de tradição e inovação no parque da cidade.

O Coreto Digital ocupa a antiga estrutura erguida pelo prefeito Cândido de Abreu, em 1915. A construção ganhou uma grande tela curva de LED, com 25 metros lineares por 2 metros de altura e um sistema de som. A partir dessa reforma, o espaço transmite intervenções de videodança, mostras de artes visuais, contações de histórias, conteúdos institucionais da Prefeitura e o que mais a imaginação permitir.

Em sua programação regular aos fins de semana, o Coreto Digital une sessões de filmes e concertos eruditos e populares.

 

SERVIÇO

 

38ª Oficina de Música de Curitiba

“A Criação do Dia” – composição de Paula Senna Lalli
Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa (apresentação virtual)

Data: de 17 a 23 de janeiro

Local: Coreto Digital – Passeio Público

Grátis

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.