LateralMovimentoMúsica sinfônicaProgramaçãoRio Grande do Sul

Ospa traz Alexandre Dossin e Germán Gutiérrez

Concerto em homenagem ao dia do Funcionário Público ocorre nesta terça-feira (25/10), às 20h30, no Salão de Atos da UFRGS.

 

SERVIÇO

 

Salão de Atos da UFRGS
Av. Paulo Gama, 110

Dia 25.10 (terça-feira), às 20:30h.

Público em geral …………………………………………… R$  20,00
Estudantes e maiores de 60 ……………………………. R$  10,00
Titulares do Clube do Assinante Zero Hora ……….  R$  15,00

Ingressos à venda na bilheteria do Salão de Atos na segunda-feira (24/10), das 11h às 18h e na terça-feira (25/10), das 11h até o horário do espetáculo exelon

 

Considerado um fenômeno pela crítica internacional, o pianista gaúcho que leciona na escola de música da Universidade de Oregon (EUA), Alexandre Dossin estará em Porto Alegre a convite da Ospa. Ele irá participar do 23º Concerto Oficial, sob a regência do maestro colombiano que vive nos Estados Unidos Germán Gutiérrez, atual diretor artístico da Youth Orchestra of Greater Fort Worth (YOGFW).

Dossin será o solista em Concerto nº 1 para Piano e Orquestra em Dó Maior, de Ludwig van Beethoven (1770-1827). A obra foi composta quando Beethoven se mudou para Viena, em 1972. Nesta época, seu renome como pianista e improvisador já percorria os salões musicais da cidade. E, a exemplo de muitos pianistas-compositores da época, suas composições justificavam sua fama de compositor e pianista e lhe asseguravam um lugar de destaque junto ao exigente público vienense.  Concerto nº 1 tem as cadências escritas por Dossin, que as dedica à memória de sua mãe, Marli Dossin– que trabalhou por mais de 20 anos na Ospa e faleceu em junho deste ano.

Além desta obra, a orquestra ainda executa An Out Door Overture, de Aroon Copland (1900-1990), conhecido por composições que retratam aspectos da vida e cultura dos Estados Unidos. Escrita entre os anos de 1937 e 1941, An Outdoor Overture foi encomendada por Alexander Richter, diretor da High School of Music and Art, de Nova York. Richter disse que a peça faria parte de uma campanha da escola, intitulada “American Music for American Youth.” Portanto, sugeriu que a composição tivesse um tom otimista, sendo um claro apelo motivacional aos adolescentes do país.

Na segunda parte do Concerto,  a Ospa ainda executa Sinfonia Nº 2, Op. 30 – “Romântica” 28′, considerada a maior obra de Harold Howard Hanson (1896 – 1981).

 

Alexandre Dossin

Alexandre Dossin

Considerado por Martha Argerich um “músico extraordinário” e pela crítica internacional um “fenômeno” e “um mestre de contrastes”, Alexandre Dossin mantém uma carreira ativa de concertos, gravações e como pedagogo.

Nascido em Porto Alegre, Brasil, onde viveu até os 19 anos, passou nove anos estudando em Moscou, na Rússia, antes de estabelecer residência nos Estados Unidos. Recentemente promovido a professor associado com cátedra na escola de música da Universidade de Oregon, Alexandre Dossin é graduado da Universidade do Texas em Austin e do Conservatório Tchaikovsky de Moscou, na Rússia.

Estudou com Hubertus Hofmann e Dirce Knijnik, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, com Boris Romanov (Pré-Escola Merzliakovsky Conservatório de Moscou) e foi assistente de Sergei Dorensky no Conservatório Tchaikovsky (Moscou, Rússia) e Willliam Race e Gregory Allen na Universidade do Texasem Austin (EUA).

Premiado em diversos concursos internacionais de piano, Dossin recebeu o Primeiro Prêmio e Prêmio Especial em 2003 no Concurso Internacional de Piano Martha Argerich, em Buenos Aires, Argentina. Outros prêmios internacionais incluem a Medalha de Prata e Segunda Menção Honrosa no Grande Prêmio Maria Callas e Terceiro Prêmio e Prêmio Especial no Concurso Internacional de Piano de Mozart, além de vários prêmios no Brasil.

Realizou inúmeros recitais ao vivo para a rádio pública no Texas, Wisconsin e Illinois, incluindo compromissos de retornar ao Dame Myra Hess Memorial Concert Series. Dossin já se apresentou em mais de vinte países, incluindo festivais internacionais no Japão, Canadá, Estados Unidos, Brasil e Argentina, em algumas ocasiões, dividindo o palco com Martha Argerich.

Tem CDs lançados pelo selo Musicians Showcase Recordings (Alexandre Dossin, 2002), Blue Griffin (A Touch of Brasil, 2005), e Naxos (Verdi, Liszt paráfrases, 2007, as Sonatas completas de Kabalevsky em 2009, e todos os Prelúdios de Kabalevsky em 2009), recebendo elogios em críticas pela revista Diapason, o Financial Times, Fanfare Magazine, American Record Guide, Cravo e outras publicações internacionais. Maestros com quem tem se apresentado incluem Charles Dutoit, Isaac Karabtchevsky, Keith Clark e Michael Gielen. Atualmente, prepara gravações dos Prelúdios de Rachmaninov para a mesma editora.

Dossin é membro o Board of Directors da American Liszt Society e presidente da filial de Oregon da Sociedade Americana de Liszt.

 

Germán Augusto Gutiérrez

Germán Gutierrez

Atuou como Diretor de Orquestras e Professor de Estudos de Orquestrais na Texas Fort Worth Christian University (TCU), além de ter sido Diretor do Centro de Música Latino Americana da TCU. Desde 2000, Gutiérrez também atua como Diretor Musical da Orquestra da Juventude da GrandeFort Worth (YOGFW).

Gutiérrez é convidado frequentemente para reger em orquestras em todos os lugares do mundo. Recentemente, gravou um CD com a Orquestra de Câmara de Hong Kong, tendo Daniel Binelli e Polly Ferman como solistas. A temporada de 2011/2012 inclui convites para reger  a State Symphony Orchestra da África do Sul, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, no Brasil, a Sinfônica Nacional do Peru, a Sinfônica Nacional de Cuba  e a Orquestra Filarmónica da Juventude na Colômbia.

Em 2008, regeu como maestro convidado a Sinfônica de Dallas no Festival Hispânico. Em 2006, foi convidado para conduzir a Czech National Symphony no histórico Smetana Hall, em comemoração ao 110º aniversário de Carl Orff, onde conduziu a orquestra durante uma apresentação de Carmina Burana. O Maestro Gutiérrez também tocou junto das orquestras sinfônicas de Xangai (China), Xalapa e San Luís Potosí (México), Filarmônica de Auckland (Nova Zelândia), Filarmônica de Bogotá (Colombia), Sinfônica Nacional de Porto Rico, Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro (Brasil), entre outras. Em 2002, foi convidado para a região de Trentino na Itália para conduzir a Rossini’s Barber of Seville  no 30º aniversário da Pergine Spettacolo Aperto.

Sob sua batuta, a TCU e a YOGFW alcançaram níveis excepcionais de reconhecimento “em Fort Worth” e no exterior. Ambos os grupos têm realizado várias turnês internacionais, recebendo críticas positivas, incluindo convites para reapresentações em festivais conceituados, como o Festival de Música Ibero-americana em Porto Rico, e o Texas Música Educadores Convention Association,em San Antonio.

Com a Orquestra Sinfónica TCU, Gutiérrez também conduziu a estreias mundiais de mais de doze obras contemporâneas. Em 2004, liderou o YOGFW em uma turnê pela Europa que incluiu apresentações no Mozarteum de Salzburgo, Eisenstadt do Palácio Esterházy da Áustria e um concerto em Praga.

Concluiu o mestrado na Illinois State University e doutorado pela University of Northern Colorado. Por seu envolvimento e dedicação ao TCU, Gutiérrez recebeu o Prêmio de Reitor de Ensino, Prêmio de Reitor para a Investigação e atividade criativa e Prêmio do Chanceler 2003 de Pesquisa e “Atividade de Criatividade Distinguida”, o maior prêmio que da universidade. Atualmente, vive em Fort Worth, com sua esposa Silvia e os dois filhos Nicolás e Gabriel.

 

PROGRAMA

L. van Beethoven
Concerto n. 1 – Op.15 – Dó Maior
– Solista: Alexandre Dossin

Aaron Copland
An Out Door Overture

Howard Hanson
Sinfonia No 2, Op. 30 – “Romântica” 28′