Música coralMúsica sinfônicaProgramaçãoRio de Janeiro

OSB, Cia. Bachiana e Ricardo Rocha

Programa inclui Stabat Mater, de G. Rossini, celebrado em 2018 pelos 150 anos de morte.

 

A Cia. Bachiana Brasileira inicia o ano de 2018 com novidades! No sábado, dia 7 de abril, às 20 horas, haverá o Concerto de Abertura da Série Sala Lírica 2018 na Sala Cecília Meireles, com a  OSB – Orquestra Sinfônica Brasileira, o Coro da Cia. Bachiana e solistas convidados, sob a regência do maestro Ricardo Rocha. O programa é uma homenagem aos 150 anos de morte de Gioacchino Rossini, mas também à nossa época de Páscoa, no Ocidente e no Oriente. Participação de Marina Considera (soprano), Carolina Faria (mezzosoprano), Paulo Mandarino (tenor) e Licio Bruno (baixo-barítono).

Rossini virá representado pela abertura da ópera La Gazza Ladra e, fechando a noite, a sua genial versão musical para a cena de Maria ao pé da Cruz diante de seu Filho morto, o oratório sacro Stabat Mater, para coro, orquestra e  solistas, cujo quarteto é formado por Marina Considera, soprano; Carolina Faria, mezzo-soprano; Paulo Mandarino, tenor, e Lício Bruno, barítono.

Antes do intervalo, em comemoração à Páscoa ortodoxa, que acontece neste próximo fim de semana, será apresentada buy prozac online “A Grande Páscoa Russa” (abertura), op. 36, de Nikolay Rimsky-Korsakov, uma ode à Ressurreição de Jesus Cristo, construída sobre quatro melodias da antiga tradição cristã russa. Ingressos a R$ 40,00 e R$ 20,00.

Já no domingo, dia 8, o 4º. Concerto para a Juventude da OSB, igualmente sob a regência do maestro Ricardo Rocha, contará com a execução da belíssima peça Le Tombeau de Couperin, de Maurice Ravel, da reprise da “A Grande Páscoa Russa”, de  Rimsky-Korsakov, e duas aberturas de Rossini. O concerto será igualmente na  Sala Cecília Meireles, às 11h , com o ingressos a R$ 10,00 e R$ 5,00.

 

 

Stabat Mater prozac online Female Cialis cheap de Rossini

Gioacchino Rossini, considerado um dos maiores operistas italianos e celebrado em 2018 pelos 150 anos de morte, conheceu o conceituado banqueiro espanhol Alejandro María Aguado quando morava em Paris em 1827. Uma grande amizade se formou e Aguado passou a ser uma espécie de patrocinador e administrador financeiro do compositor. Depois de abrir as portas da alta sociedade parisiense, Alejandro convidou-o a visitar sua terra natal, onde foi recebido com festejos pela corte do rei Fernando VII.

Junto à nobreza espanhola, Rossini conheceu o arquidiácono de Madri, Dom Manuel Fernández Varela que, encantado com a calorosa recepção do público à encenação de O Barbeiro de Sevilha, fez questão de encomendar para sua coleção pessoal uma obra do compositor italiano. O problema é que Varela queria uma obra religiosa, mais especificamente sobre o texto litúrgico Stabat Mater Dolorosa, que relata a dor de Maria ao ver seu filho Jesus crucificado. Rossini, que não se via como um compositor de música sacra, e que também admirava o trabalho feito pelo compositor Giovanni Pergolesi sobre este poema, temia que sua obra pudesse ser comparada com a peça escrita por ele.

Assim, acordou que, após sua estreia, o manuscrito deveria voltar aos arquivos do arquidiácono e nunca ser publicado. Pela encomenda, Rossini receberia uma caixa de rapé feita inteiramente de ouro e recoberta com muitos diamantes. O arquidiácono tinha a expectativa que a première Viagra Sublingual buy da obra ocorresse na Páscoa de 1831 e ficou frustrado com a demora de Rossini, que não estava bem de saúde. O trabalho de composição se estendeu até 1832 e Rossini só conseguiu entregar 6 partes das 12 previstas inicialmente. Para resolver essa pendência, o compositor implorou para que seu amigo e compositor Giovanni Tadolini terminasse os demais trechos. Finalmente, em 1833, o Stabat Mater original estrearia numa Sexta-Feira Santa com um sucesso relativo na capela particular de Varela.

Quatro anos mais tarde, um infortúnio ocorreu quando, após o falecimento do arquidiácono, a obra foi vendida para um editor parisiense que queria publicá-la. Com medo de que sua obra viesse a público com os trechos não compostos por ele, um já semiaposentado Rossini reduziu a obra para dez números e substituiu as partes de Tadolini. Além da questão musical, havia, para Rossini, a vantagem econômica de promover uma segunda estreia de sua obra. Assim, vendeu os direitos para seu editor pessoal e, ao mesmo tempo, impediu judicialmente a outra edição, que foi autorizada apenas a ser impressa com os trechos compostos por Tadolini.

A versão final do Stabat Mater, de Rossini, teve sua primeira execução no Théâtre Italien de Paris, no dia 7 de janeiro de 1842, e sua estreia italiana, a pedido de Rossini, foi regida por Gaetano Donizetti na cidade de Bolonha, três meses depois da estreia francesa.

 

Concerto para a Juventude

No dia seguinte, 8 de abril, domingo, às 11h, a OSB e o maestro Ricardo Rocha se apresentam novamente na Sala Cecília Meireles, como atração do quarto Concerto para a Juventude. Os ingressos custam R$ 10 (inteira).

O programa inclui G. Rossini (aberturas de La Gazza Ladra e O Barbeiro de Sevilha), M. Ravel (Le Tombeau de Couperin) e N. Rimsky-Korsakov (abertura de A Grande Páscoa Russa, Op. 36 Viagra Sublingual purchase ).

 

SERVIÇO:

 

Orquestra Sinfônica Brasileira e Coro da Cia. Bachiana Brasileira

Marina Considera (soprano), Carolina Faria (mezzosoprano), Paulo Mandarino (tenor) e Lício Bruno (baixo-barítono)

Female Cialis order Ricardo Rocha, regência

 

Dia 7 de abril, sábado, às 20h

 

Ingressos: R$ 40, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 


“Concerto da Juventude”

Orquestra Sinfônica Brasileira – Ricardo Rocha, regência

Dia 8 de abril, domingo, às 11h

Ingressos: R$ 10, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Sala Cecília Meireles (Largo da Lapa, 47, Centro – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2332 9223)

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.