CantoMúsica contemporâneaMúsica sinfônicaNotíciaProgramaçãoRio de Janeiro

OSB canta Tom, Vinícius e as maravilhas do Rio

Concerto da série Rio 450 Anos Buy da Orquestra Sinfônica Brasileira homenageia a Cidade Maravilhosa com popular e erudito.

 

A Orquestra Sinfônica Brasileira, no próximo dia 21 de março, às 16h, na Cidade das Artes, continua a sua homenagem aos 450 anos do Rio de Janeiro com o concerto Minha Alma Canta. Com músicas de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, passando pela estreia mundial da Abertura Rio 450 Anos online , de Dimitri Cervo, e da estreia carioca de Cinco Poemas de Vinicius de Moraes, de João Guilherme Ripper, o concerto já está com os ingressos à venda.

Com regência do maestro-assistente Lee Mills Cheap Cheap (na foto), o espetáculo integra a série Rio 450 Anos da orquestra e presenteia o público com as famosas canções Samba do Avião, Imagina e Águas de Março, de Tom Jobim; Garota de Ipanema, de Tom e Vinicius de Moraes; Aquarela do Brasil, de Ary Barroso; e Cidade Maravilhosa, de André Filho, com participação do Coro de Crianças da OSB.

Natural dos EUA e morador do Rio de Janeiro desde agosto do ano passado, o maestro Mills declara mal poder esperar para reger um concerto tão “brasileiro”: “Mesmo não sendo carioca de nascimento, me sinto um carioca de coração, pois é difícil estar no Rio e não se sentir ‘poético’ também. Estou ansioso para reger este concerto que tem um repertório de músicas tão conhecidas e populares, mas também peças do repertório sinfônico overnight pharmacy dilucan .

A apresentação ainda dá espaço a obras nem tão conhecidas do grande público, mas que carregam sua essência carioca: Sinfonieta Seconda – Carnevale, de Ernani Aguiar, Abertura Rio 450 Anos, estreia mundial da obra de Dimitri Cervo, que assume a posição de música tema das comemorações; e Cinco Poemas de Vinicius de Moraes, peça de João Guilherme Ripper que faz seu début no Rio com solo da soprano Edna D’Oliveira Purchase (a estreia ocorreu em São Paulo, em 2013 – leia crítica aqui).

“Desde sua fundação, em 1565, o Rio de Janeiro se caracterizou por ser a cidade do encontro de diferentes culturas. Dessa interação vem a nossa musicalidade tão diversa, tão múltipla, tão democrática”, diz Marcelo Calero, secretário municipal de Cultura e presidente do Comitê Rio 450 Anos.

 

http://sakaraboutique.com/what-does-allegra-cost/ Série Rio 450 Anos

Criada especialmente para celebrar o aniversário da cidade, a série com cinco concertos na Cidade das Artes contempla obras de compositores cariocas e, também, daqueles que não necessariamente são nascidos na cidade ou brasileiros, mas que nela viveram e foram influenciados pelo seu estilo de vida ou a influenciaram e a homenagearam em suas músicas. A programação traz, ao longo do ano, obras com Fantasia Brasileira n° 4, de Francisco Mignone; O Boi no Telhado, de Darius Milhaud; Insônia, de Francisco Braga; e Purchase Ave Libertas, de Leopoldo Miguez.

Destacam-se ainda obras de Padre José Maurício, Villa-Lobos, Henrique Oswald, Tom Jobim e do compositor austríaco Sigismund von Neukomm, que veio para o Rio e se estabeleceu na cidade por muitos anos. Entre os intérpretes, despontam as soprani Rosana Lamosa, Edna D’Oliveira e Gabriella Pace, o pianista Jean-Louis Steuerman, o violinista Daniel Guedes e o regente Bruno Procopio.

 

Sobre Lee Mills

Formado em regência orquestral em 2011 pelo prestigioso programa da Sinfônica de Baltimore/Peabody Institute, Mills vem construindo uma carreira internacional reconhecida pelo tom vibrante e multifacetado de seu estilo. Este ano, o maestro ganhou a bolsa da Fundação Georg Solti dos Estados Unidos e, de 2011 a 2014, atuou como diretor musical da Orquestra Sinfônica da Universidade de Towson, em Maryland, cargo que entregou para assumir o posto de maestro assistente na OSB.

Foi o fundador da Orquestra de Câmara Divertimento em Walla Walla, Washington, e já atuou à frente das sinfônicas de Saint Louis, Baltimore e Bozeman, dos balés de Moscou e Montana, e de diversos outros grupos. Com a orquestra do Teatro la Fenice, foi maestro assistente e regente dos ensaios de As Bodas de Fígaro, Don Giovanni e Così Fan Tutte. Mills foi convidado a conduzir, junto ao maestro David Robertson, a Sinfônica de St. Louis na estreia americana de Thirty Pieces for Five Orchestras, de John Cage, e colaborou com George Manahan na produção de Candide, realizada pela companhia do Aspen Opera Theater.

Foto do post: André Telles

 

SERVIÇO:

Concerto Minha Alma Canta

Orquestra Sinfônica Brasileira

Lee Mills, regente

Edna D´Oliveira, soprano

Coro de Crianças da OSB – Julio Moretzsohn, regente

 

21 de março, sábado, às 16h

Cidade das Artes (Av. das Américas 5.300, Barra da Tijuca – Rio de Janeiro. Tel.: 21 3325-0102)

 

Ingressos: R$ 100 (plateia), R$ 60 (frisas e camarotes), R$ 20 (galerias)

Desconto de 50% para maiores de 60 anos, menores de 21 anos, estudantes, pessoas com necessidades especiais e professores da rede municipal de ensino; e de 20% para Programa Travessa Leve, da Livraria da Travessa e Assinantes OSB. Os descontos são limitados a uma pessoa e não cumulativos.

 

Bilheteria: de terça a domingo, das 13h às 19h. Em dias de espetáculo a partir das 13h até 30 minutos após o início do espetáculo.

Compras e informações pelo telefone 4003-1212 ou pelo site Ingresso Rápido.

Capacidade: 1.250 pessoas

Estacionamento: R$ 10 por veículo

 

Programa:

Antonio Carlos Jobim – Samba do Avião / Imagina / Águas de Março

Antonio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes – Garota de Ipanema

Ernani Aguiar – Sinfonieta Seconda – Carnevale

Dimitri Cervo – Abertura Rio 450 Anos

João Guilherme Ripper – Cinco Poemas de Vinicius de Moraes

Ary Barroso – Aquarela do Brasil

André Filho – Cidade Maravilhosa