Artigo

Os limites da opinião pessoal

O blog Música, Ópera e Ballet publicou artigo de Henrique Marques Porto sobre o veteraníssimo e maravilhoso soprano italiano MAGDA OLIVERO.

Nascida em 1910 e completando portanto 103 anos de vida.Vi-a muitas vezes, no TMRJ, no Metropolitan de NYC e em Milão, onde morava pertinho de Piazza San Babila, bem no centro. Apresentei-me a ela no Rio e em Milão e uma vez a cumprimentei  por uma belíssima entrevista na TV. Vi-a cantando, sempre sob aplausos delirantes, ADRIANA, MEFISTOFELE, FANCIULLA. Uma grande “attrice cantante”.

No entanto – ai de mim, sempre há um “no entanto” na vida – sua voz não era de timbre sumamente agradável e dentro da tradição do grande belcanto italiano ou mesmo do verismo, apresentando certas asperezas, certo vibrato incômodo. Tudo isso era suplantado por seus variados dotes vocais e histriônicos. Magda agradava o público.

É claro que Marques Porto tem todo direito de opinião. No entanto, afirmar que “não há paralelo possível entre a Olivero e as cantoras…de sua geração” é um exagero que ultrapassa os limites do direito de opinião. Assim como não posso afirmar que Agnaldo Rayol foi o maior tenor de todos os tempos, nosso caro Marques Porto também não pode subir a tais exageros.

A geração de Magda e sua contemporaneidade com outros sopranos famosos  é a geração e o tempo de CLAUDIA MUZIO, GABRIELLA BESANZONI, HELEN TRAUBEL, ROSA PONSELLE, GERMAINE LUBIN, LILY PONS, CATERINA MANCINI, ROSANNA CARTERI, MARIA REINING, MARIA MULLER, ELEANOR STEBER, GIULETTA SIMIONATO, JOAN TURNER e muitas outras, inclusive até sua contemporânea MARIA CALLAS, de menos idade, mas do mesmo tempo. Magda estreou no Metropolitan de NYC quando a Callas já findava sua carreira útil. A Callas já cantava em grandes teatros em 1947, quando a Olivero interrompia por alguns anos uma já extensa carreira.

Magda Olivero é uma grande artista e grande cantora, mas não é tão única e sem paralelos quanto quer um agiográfico Marques  Porto. Aliás, única e sem paralelos nenhum soprano é ou  foi. Falam da Patti, da Malibran, da Lind, da Sutherland, quase sempre sem  resvalar para exageros que desautorizam uma opinião. E não confundamos opinião sobre maiores valias com gosto. Gostar mais é uma coisa, afirmar que é a maior e a melhor é outra. Maior mesmo era a Emilinha…

PS. SEMPRE ADOREI MAGDA OLIVERO…
MARCUS GÓES- ABRIL  2013

1 Comment

  1. A grande Magda Olivero, inesquecível em todo o Universo !
    Quando será que surgirá outra desse nível, desse quilate e dessa arte soberba !

Leave a Response

Marcus Góes
Musicólogo, crítico de música e dança e pesquisador. Tem livros publicados também no exterior. Considerado a maior autoridade mundial sobre Carlos Gomes.