Música sinfônicaProgramaçãoRio de Janeiro

Opes e Roman Zaslavsky

Pianista russo toca com a Petrobras Sinfônica sob regência de Carlos Moreno.

 

Os próximos concertos da série Na Sala, que reúne as apresentações da Orquestra Petrobras Sinfônica (Opes) na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, têm dois convidados ilustres. Sob regência do maestro Carlos Moreno, um dos mais requisitados de sua geração, o grupo recebe também o pianista russo Roman Zaslavsky, que já tocou em palcos de Israel, Alemanha, Holanda, Itália, Espanha, França, Japão e Canadá. As apresentações ocorrem nos dias 22 e 23 de junho (sexta e sábado), sempre às 20h.

O programa inclui duas obras do alemão Johannes Brahms, uma das figuras mais importantes do Romantismo musical europeu do século 19. São elas: a alegre Abertura do Festival Acadêmico, Op. 80 e os três movimentos do consagrado Concerto para piano n. 1 em ré menor, Op. 15.

 

Artistas

O pianista russo de ascendência israelita Roman Zaslavsky ganhou reconhecimento internacional após conquistar o primeiro prêmio no Concurso Internacional de Piano Jose Iturbi, na Espanha. Desde então, tem se apresentado em grandes salas de concertos ao redor do mundo, em salas de concerto como a Berliner Philharmonie, a Alte Oper e o Concertgebouw, em Amsterdã. Descrito como “virtuoso leão do piano” pelo Badische Neueste Nachrichten, Zaslavsky atua como solista, camerista e como professor na Universidade de Música e Artes em Viena.

Carlos Moreno

Carlos Moreno é regente titular da Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro e regente principal convidado da Orquestra Sinfônica de Goiânia. Foi regente titular da Osusp, da Sinfônica de Santo André, da Orquestra Experimental de Repertório – uma das mais importantes orquestras de formação da América Latina, pertencente a Fundação do Theatro Municipal de São Paulo –, entre outras. Em 2012 gravou a Sinfonia n. 8 do compositor Anton Bruckner, em primeiro registro desta obra na América do Sul, com a Orquestra Sinfônica de Santo André em parceria com a Osesp.

Fundada em 1972 pelo maestro Armando Prazeres, a Orquestra Petrobras Sinfônica completa 46 anos de existência, reafirmando o compromisso que lhe deu origem: interpretar a tradição sinfônica sob uma ótica brasileira e atual, com o objetivo de aproximar novos públicos da música de concerto. Conta com uma formação de mais de 80 instrumentistas e tem como diretor artístico e regente titular o maestro Isaac Karabtchevsky, um dos mais respeitados regentes brasileiros e um nome consagrado no panorama internacional.

 

Foto do post: Nirto Karsten Fischer

 

SERVIÇO:

 

Orquestra Petrobras Sinfônica

Roman Zaslavsky, piano

Carlos Moreno, regência

 

22 e 23 de junho, sexta-feira e sábado, às 20h

Sala Cecília Meireles (Largo da Lapa, 47, Lapa – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2332-9223)

 

Ingressos: R$ 40, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Capacidade: 670 lugares

Sugestão etária: para todas as idades

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.