CinemaLateralNotíciaÓperaSão Paulo

Ópera na Tela exibe “Orfeu e Eurídice”, de Gluck

“Orfeu e Eurídice”, ópera de Christoph Willibald Gluck, é o destaque desta quinta-feira, 24, do festival Ópera na Tela que acontece até o domingo, 27, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo. Gravado no Teatro alla Scala de Milão e com a duração de 1h45m, o drama em três atos é cantado em francês, com legendas em português, sob a regência de Michele Mariott e direção de Hofesh Shechter e John Fulljames.

O famoso tenor peruano Juan Diego Flórez, que já se apresentou nos principais palcos do mundo e se consagrou como um dos maiores talentos da ópera com seu canto expressivo, interpreta um Orfeu imensamente comovente, com simplicidade e ternura extraordinária. Orfeu chora a morte de sua esposa, Eurídice, quando fica sabendo, por Amor, que Júpiter, comovido pela sua dor, permite que ele vá buscar Eurídice no Inferno, impondo como única condição a promessa de não se virar para trás e olhar sua mulher enquanto faz o caminho de volta.

Desde 18 de outubro o Museu da Casa Brasileira tem sido o palco da primeira edição do Festival Ópera na Tela, com projeções de montagens grandiosas em tela gigante e ao ar livre, com alta qualidade e som, cadeiras confortáveis e preços acessíveis. Até 27 de outubro os paulistanos terão a oportunidade de acompanhar projeções de filmes de óperas da temporada europeia recente. O festival segue para o Rio de Janeiro, a partir de 31 de outubro, quando abre a quinta edição carioca do evento no Parque Lage, no Jardim Botânico. Na sequência, segue para salas de cinema de diversas capitais do país com programação até meados de 2020.

O Festival Ópera na Tela tem produção da Bonfilm– responsável também pelo Festival Varilux de Cinema Francês – e da Atti Comunicação, e conta com patrocínio master da Leroy Merlin, de Sofitel Hotels & Resorts, Ministério da Cidadania, Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Especial da Cultura, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, Lei de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. E com o patrocínio da EDF e de EDENRED TICKET.

 

PROGRAMAÇÃO

Dia 24 de outubro

ORFEU E EURÍDICE, de Christoph Willibald Gluck
Teatro Alla Scala de Milão
Maestro: Michele Mariott
Direção: Hofesh Shechter e John Fulljames
Coreografia: Hofesh Shechter/Hofesh Shechter Company
Coro e orquestra do Teatro alla Scala
Cenografia e figurinos: Conor Murphy
Produção da Royal Opera House, Covent Garden, Londres.
Drama em três atos
Libreto de Pierre Louis Moline, no libreto original de Ranieri de Calzabigi.
Cantado em francês, com legendas em português.
Duração: 1h45
Encenado pela primeira vez em 1762 no BurgTheater de Viena.
Encenado pela primeira vez na versão francesa no Teatro alla Scala.
Elenco: Juan Diego Flórez (Orfeu), Christiane Karg (Eurídice) e Fatma Said (Amor)
Sinopse : Orfeu chora a morte de sua esposa, Eurídice, e decide pôr fim à vida ao ficar sabendo, por Amor, que Júpiter, comovido pela sua dor, permite que ele vá buscar Eurídice no Inferno, impondo como única condição a promessa de não se virar para trás e olhar sua mulher enquanto faz o caminho de volta.

Dia 25 de outubro

DON GIOVANNI, de Wolfgang Amadeus Mozart
Ópera Nacional de Paris
Maestro: Philippe Jordan
Direção: Ivo van Hove
Figurinos: An D’Huys
Maestro de coro: Alessandro Di Stefano
Orquestra e Coro da Ópera de Paris
Coprodução com o Metropolitan Opera de Nova York
Drama giocoso em 2 atos
Libreto de Lorenzo da Ponte
Cantada em italiano, com legendas em português
Duração: 3h10 com intervalo
Apresentada pela primeira vez em 1787, no Teatro dos Estados de Praga.
Elenco : Étienne Dupuis (Don Giovanni), Ain Anger (Il Commendatore), Jacquelyn Wagner (Donna Anna), Stanislas de Barbeyrac (Don Ottavio), Nicole Car (Donna Elvira), Philippe Sly (Leporello), Mikhail Timoshenko (Masetto) e Elsa Dreisig (Zerlina)
Sinopse: Don Giovanni, supostamente um sedutor de milhares de mulheres, falha em suas várias tentativas contra Donna Anna, Zerlina e Elvira. Ele é apresentado aqui como um mitômano que usa poder, intimidação e força muito mais do que sedução. Don Giovanni foi tanto caracterizado como viciado em sexo, campeão da liberdade ou “grande senhor homem mau”.

Dia 26 de outubro

LA TRAVIATA, de Giuseppe Verdi
Ópera Nacional de Paris
Maestro: Michele Mariotti
Direção: Simon Stone
Cenário: Bob Cousins
Figurino: Alice Babidge
Maestro de coro:José Luis Basso
Orquestra e Coro da Ópera Nacional de Paris
Ópera em três atos
Libreto de Francesco Maria Piave
Baseado na peça de Alexandre Dumas, La Dame aux Camélias
Encenada pela primeira vez em 1853 no Teatro La Fenice (Venezia)
Cantado em italiano, com legendas em português
Duração: 3h00
Elenco: Pretty Yende (Violetta Valéry), Benjamin Bernheim (Alfredo Germont), Catherine Trottmann (Flora Bervoix), Christian Helmer (Baron Douphol), Marion Lebègue (Annina) e Jean-François Lapointe (Giorgio Germont)
Sinopse: Violetta é a mais famosa e sofisticada cortesã de Paris e apaixona-se por Alfredo, que já a amava. Temendo a reação do pai do rapaz e da sociedade parisiense, mudam-se para o campo. Procurada por Giorgio Germont, pai de Alfredo, ela se afasta de seu amado e parte. Alfredo se sente traído e tem raiva. O pai, arrependido, revela a verdade, mas quando Alfredo retorna Violetta está gravemente doente e morre em seus braços.

Dia 27 de outubro

A COROAÇÃO DE POPEIA, de Claudio Monteverdi
Festival de Salzburgo
Maestro: William Christie
Direção: Jan Lauwers
Dramaturgia: Elke Janssens
Figurino: Lemm&Barkey
Coreografia: Academia Experimental de Dança de Salzburgo e Bodhi Project
Orquestra: Les Arts Florissants
Ópera em um prólogo e três atos
Libreto de Giovanni Francesco Busenello
Cantada em italiano
Encenada pela primeira vez em 1642, em Veneza.
Duração: 3h15
Elenco: Sonya Yoncheva (Popeia), Kate Lindsey (Nero), Stéphanie d’Oustrac (Otávia), Carlo Vistoli (Oto), Renato Dolcini (Sêneca), Ana Quintans (Virtude/Drusila), Marcel Beekman (A ama da imperatriz) e Dominique Visse (Arnalta)
Sinopse: O imperador Nero mantém um relacionamento apaixonado com Popeia, esposa de seu amigo Oto. Para se casar com a amante, Nero planeja se desvencilhar da imperatriz, Otávia. Esta, por sua vez, manipula Oto de modo que ele, com a ajuda de sua antiga amante, Drusila, venha a matar sua esposa infiel. O complô, contudo, acaba sendo revelado.

 

SERVIÇO

Festival ÓPERA NA TELA em São Paulo

Ingressos: https://site.bileto.sympla.com.br/operanatelasp/

Durante o evento também haverá bilheteria nos espaços

Data: entre os dias 18 e 27 de outubro

Horário: Sábado, 19/10 às 18h, Segunda a Sábado às 19h e Domingos às 18h.

Local: Museu da Casa Brasileira – Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Itaim Bibi

Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia)

Classificação indicativa: Livre ou 14 anos, dependendo da obra

Outras informações: meia entrada conforme legislação e para classe artística mediante comprovação

 

Festival Ópera na Tela

Em sua quinta edição, o Festival Ópera na Tela exibe até 12 óperas inéditas e recentes em um cinema, com telão, espreguiçadeiras e som de última geração, montado ao ar livre no Parque Lage especialmente para o evento. Em São Paulo, pela primeira vez, a tela gigante será montada no Museu da Casa Brasileira. Em seguida, a seleção de peças líricas entra em diversas cidades brasileiras. A programação completa está no site www.operanatela.com.br

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.