LateralMúsica sinfônicaProgramaçãoSão Paulo

OER celebra centenário de Cláudio Santoro

Apresentação também marca a estreia do mais novo regente assistente da OER, o maestro Guilherme Rocha.

A Orquestra Experimental de Repertório (OER) homenageia o centenário de nascimento de um dos compositores de grande projeção internacional do século XX, Cláudio Santoro, com um concerto especial no feriado da Proclamação da República, 15 de novembro, ao meio-dia, no palco do Theatro Municipal de São Paulo. A apresentação também marca a estreia do mais novo regente assistente do grupo, o maestro Guilherme Rocha.

A apresentação se inicia com Concerto Nº 1 para Piano e Orquestra, de Cláudio Santoro, que emprega na percussão instrumentos como pandeiro, chocalho e reco-reco, dando o caráter de brasilidade à peça. A obra foi composta na época em que Santoro estudava música brasileira de diversas regiões e foi executada pela primeira vez, em 1953, em um concerto no Theatro Municipal do Rio de Janeiro juntamente com a orquestra do Theatro com regência do maestro Eleazar de Carvalho.

Já no palco do Municipal, além da estreia de Guilherme Rocha como regente, a peça terá o premiado pianista Nahim Marun como solista. Marun já participou de recitais e concertos no Brasil, Uruguai, Colômbia, França Itália e Estados Unidos.

Na segunda parte do concerto, a OER executará a completa Sinfonia n° 2 (Pequena Russa), de Piotr i. Tchaikovsky, composta em 1872 na Ucrânia. A obra se caracteriza de referências à melodias da região, festas e até mesmo danças populares. No século 19, era comum a Ucrânia ser mencionada como “Pequena Rússia”, razão pela qual a peça recebeu este nome. “Estou contente e muito grato pela oportunidade, rara no Brasil, de atuar como regente assistente de uma orquestra semiprofissional. É realmente um privilégio para mim poder me dedicar exclusivamente ao estudo da regência e ao repertório orquestral”, afirma Guilherme.

 

PROGRAMA

Cláudio Santoro
Concerto Nº 1 para Piano e Orquestra 

Piotr I. Tchaikovsky 
Sinfonia Nº 2 (Pequena Russa) 
I – Andante sostenuto – Allegro vivo
II – Andantino marziale, quasi moderato
III – Scherzo: Allegro molto vivace
IV – Finale: Moderato assai – Allegro vivo

 

 

SERVIÇO

 

OER celebra centenário de Cláudio Santoro

Dia 15 de novembro, sexta-feira, às 12h   

Theatro Municipal de São Paulo (Praça Ramos de Azevedo, s/no. – Centro – São Paulo – 3053 2090)

Ingressos: R$ 20 / R$ 15 / R$ 10

Vendas: pelo site theatromunicipal.org.br ou pela bilheteria.

Classificação indicativa: livre

 

Horário da Bilheteria do Theatro Municipal: De segunda a sexta-feira, das 10 às 19h, e sábados e domingos, das 10 às 17h.

 


Orquestra Experimental de Repertório (OER)

A Orquestra Experimental de Repertório (OER) foi criada em 1990, a partir de um projeto do maestro Jamil Maluf, e oficializada pela Lei 11.227, de 1992. A OER tem por objetivos a formação de profissionais de orquestra da mais alta qualidade, a difusão de um repertório abrangente e diversificado, que mostre o extenso alcance da arte sinfônica, bem como a formação de plateias.

Entre os vários reconhecimentos que recebeu estão os prêmios Carlos Gomes, como destaque de música erudita de 2012, e APCA, de Melhor Produção de Ópera de 2017. A orquestra tem, atualmente, o maestro Jamil Maluf como regente titular.


Guilherme Rocha
– maestro assistente

Natural de Santo André, Guilherme Rocha iniciou seus estudos musicais aos 7 anos, tendo aulas de violino. Foi aluno de piano e canto da Escola Municipal de Música de São Paulo, orientado por Margarida Fukuda e Andrea Kaiser. Mais tarde, integrou como barítono o Coral Jovem do Estado, o Coro Acadêmico da Osesp, o World Youth Choir e a Common Ground Voices, com os quais realizou turnês pela Alemanha, Hungria, Croácia, Israel, Eslovênia, entre outros países.

Em 2015, co-fundou o Le Nuove Musiche, coro formado por jovens cantores profissionais de São Paulo. Foi aluno da classe de regência de Marin Alsop e Wagner Polistchuk na Academia de Música da OSESP, onde participou de masterclasses com Neil Thomson, Giancarlo Guerrero, Cristian Macelaru, Alexander Liebreich e Stefan Blunier.

Em 2019, integrou a classe de regência do 50º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, trabalhou com a Orquestra Sinfônica da USP e com o grupo de violões do festival. Em outubro do mesmo ano, foi apontado como regente assistente da Orquestra Experimental de Repertório, que tem como regente titular Jamil Maluf.


Nahim Marun
– piano

Nahim Marun recebeu durante sete anos orientação da célebre pianista Isabel Mourão, no Brasil. Após receber vários primeiros prêmios em concursos nacionais de piano, seguiu para os Estados Unidos onde estudou com Grant Johannesen – herdeiro pianístico de Casadesus e Busoni. Estudou harmonia, contraponto, análise e composição com Koellreutter, no Brasil, análise com Carl Schachter, nos EUA, e musicologia com Danièle Pistone, na França.

Concluiu o mestrado em Nova York no The Mannes College of Music e o pós-doutorado em Paris na Université Paris-Sorbonne. Marun é professor-doutor na Universidade Estadual Paulista, com diversos livros e artigos publicados. Apresentou-se em recitais e concertos no Brasil, Uruguai, Colômbia, França, Itália e Estados Unidos. Foi premiado Melhor Solista do Ano pela Associação Paulista dos Críticos de Arte e indicado Melhor Pianista pelo IV Prêmio Carlos Gomes.

Em 2016, recebeu o Prêmio Pró-Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo para gravar o CD piano solo Miniaturas de Oswald, que incluiu obras até então inéditas de Henrique Oswald. Suas gravações receberam o Diapason d’Or e o Prêmio Bravo! de Cultura. Foram também selecionadas entre as Melhores do Ano pela Iberian and Latin Music Society de Londres (Ray Picot) e recomendadas pelas revistas Diverdi espanhola e American Record Guide.

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.