ArtigoLateralMovimento

O Trecento Italiano

O flautista Pedro Hasselmann Novaes fala da importância do período do Trecento italiano, apontando seus principais compositores e estilos.

O séc. XIV na Itália foi marcado por um esplendor artístico incomparável. A poesia e a literatura são renovadas com artistas como Dante e Petrarca, e a música desta época, de alto valor artístico, é ainda pouco conhecida do público em geral. O compositor máximo deste período foi Francesco Landini, nascido no vilarejo de Fiesole, nas colinas ao norte de Florença, que ficou cego na infância e acabou tornando-se organista vitalício da Igreja de S. Lourenço em Florença, recebendo então o título de Magister Franciscus Cecus (Mestre Francisco Cego).

Landini escreveu peças musicais a duas e a três vozes e uma das características que faz a sua música especial é o fato dele ter conferido interesse a cada uma delas, ao mesmo tempo em que soube integrá-las com perfeição. Foi um dos compositores mais produtivos da Europa medieval e o mais celebrado dos intérpretes.

Além de Landini, a Itália conheceu outros importantes compositores da Ars Nova, como: Jacopo da Bologna, e os mestres AndreaJohannesPieroGerardheloDonato e Lorenzo, todos de Florença. Muitos deles, apesar de serem homens da Igreja, tiveram poucas obras de caráter religioso preservadas. A maior parte delas fala do amor e de temas profanos.

A região do Vêneto foi um importante pólo cultural. Foi na corte de Verona que provavelmente foram compostos os primeiros madrigais e ballatas da História da música. Essas composições foram reunidas em um manuscrito conhecido hoje como Codex Rossi 215, a maior parte de autores anônimos.

Madrigal – gênero musical originado na Itália na primeira metade do século XIV. Durante o Trecento, os compositores produziram principalmente madrigais a duas vozes: superius e tenor. Mais raros são os exemplos a três vozes: superius, contratenor e tenor. A teatralidade dos seus versos, os longos melismas da voz superior e o gosto acentuado por dissonâncias fazem do madrigal deste período um gênero refinado e, de certa forma, mais complexo do que a ballata.

Ballata – O caráter dançante e festivo é o que mais chama a atenção na ballata italiana e parece que este era o gênero musical mais apreciado na Itália na época de Landini. Um exemplo que confirma essa popularidade são os personagens dos contos de Decameron, de Bocaccio, que sempre terminavam as festividades diárias dançando uma ballata.

Caccia – Alguns autores acreditam que a caccia vem do tema de caça que muitas delas descrevem, mas o que a caracteriza, do ponto de vista musical, é a semelhança com o cânone.

Saltarello – Como o nome sugere, é uma dança saltada que sobrevive até hoje na Itália em regiões como a Úmbria e o Láscio.

Discografia

– Landini e la musica fiorentina – Conjunto Micrologus – Gravadora: Opus 111 – Ref.: OPS 30-112

– D’Amor cantando ballate e madrigali veneti
 – Conjunto Micrologus – Gravadora: Opus 111 – Ref.: OPS 30-141

– Landini and Italian Ars Nova – Conjunto Alla Francesca – Gravadora: Opus 111 – Ref.: OPS 60-9206

– Les Maîtres de l Organetto Florentin au XIVe Siècle – C. Deslignes, organetto – Gravadora: Ricercar – Ref.: 206662

 

Autor Pedro Hasselmann Novaes
em 6/7/2000

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.