LateralMúsica de câmaraProgramaçãoRio de Janeiro

O talento e a ousadia do Duo Assad

Recital que vai de Albeniz a Tom Jobim.

A Sala Cecília Meireles, um espaço da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, e PETROBRAS apresentam quinta-feira, dia 22 de agosto, às 20h, dentro da Série Sala Música de Câmara, o Duo Assad. No programa, Giuliani, Albeniz, Piazzolla, Jobim e Sérgio Assad.

 

PROGRAMA

Mauro Giuliani
Variaciones Concertantes Op 130

Isaac Albeniz
Cordoba / El Puerto

Astor Piazzolla
Bandoneon /Zita

Joaquin Rodrigo
Tonadilla                     
– Allegro ma non troppo            
– Minueto Pomposo
– Allegro vivace  

Antonio Carlos Jobim
Crônica da casa assassinada                   
– Trem para Cordisburgo
– Chora coração
– Jardim abandonado
– Milagres e palhaços 

Sérgio Assad
Suíte brasileira                                       
– Baião                                                
– Canção  
– Samba 

 

 

SERVIÇO

 

O talento e a ousadia do Duo Assad

Dia 22 de agosto, quinta-feira, às 20h

Sala Cecília Meireles (Largo da Lapa, 47 – Centro – Rio – 2332 9223)


Ingressos a R$ 40,00 (R$ 20,00)

www.ingressorapido.com.br

 


Duo Assad

Com 50 anos de carreira internacional, os irmãos Assad sempre se encontram pelo mundo, seja para apresentações em recitais, com orquestras ou ao lado de igualmente grandes nomes internacionais como Yo Yo Ma, Paquito D´Rivera e Nadja Sonnenberg, ou para gravação de outro CD – já são 15, incluindo muitas indicações ao Grammy, das quais alguns vencedores.

Começaram a tocar juntos ainda muito jovens e rapidamente seu talento e ousadia artística tornaram-se reconhecidos. Com um repertório eclético que mistura tradição e contemporaneidade, o Duo Assad estabeleceu novos padrões para o conceito de virtuosismo.

A carreira internacional começou com um dos mais importantes prêmios para violão, o Young Artist Competition, em Bratislava, na atual Eslováquia, em 1979. Talento e técnica impecáveis têm inspirado muitos compositores a escreverem músicas especialmente para os Assad, entre os quais Astor Piazzolla, Terry Riley, Radamés Gnattali, Marlos Nobre, Nikita Koshkin, Roland Dyens, Edino Krieger, Francisco Mignone e, mais recentemente, o cubano Leo Brouwer.

Em 2001, a Nonesuch lançou “Sérgio e Odair Assad Tocam Piazzolla“, que rendeu para o Duo um Grammy Latino. “Jardim Abandonado“, sétimo álbum da Nonesuch, de 2007, foi novamente indicado para o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Clássico, mesmo ano em que Sérgio recebeu outro Grammy, de Melhor Compositor, por sua música Tahhiyya Li Ossoulina.

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.