CríticaLateralÓperaRio de Janeiro

Nos bastidores do poder

A Noiva do Czar, de Rimsky-Korsakov, exibida no Festival A�pera na Tela, tem montagem arrojada e cantores excepcionais.

 

Ao apagar das luzes no dia 23 de novembro, na Tenda de Cristal montada no Parque Lage, no Rio de Janeiro, para o Festival A�pera na Tela, a primeira imagem da A?pera A Noiva do Czar Cheap , de Rimsky-Korsakov, surgida no enorme telA?o era a de um grupo de russos agasalhados a�� homens barbudos, mulheres sisudas a�� em uma tradicional praA�a de Moscou. Aos poucos, um telA?o em primeiro plano eleva-se e revela que o grupo estA?, na verdade, em um estA?dio de TV, diante do fundo verde de um chroma-key. Essa A� apenas a primeira surpresa da noite.

Das 16 A?peras escritas pelo russo Nikolai Rimsky-Korsakov (1844-1908), A Noiva do Czar, cuja estreia ocorreu em Moscou, em 1899, A� uma das mais maduras e, mesmo assim, teve poucas rA�citas fora de seu paA�s de origem. O libreto, de Ilia Tyumenev, A� baseado na peA�a homA?nima de Lev Mey. A trama pode ser assim resumida: Gryaznoy, um nobre da corte do czar Ivan (O TerrA�vel), A� obcecado pela bela Marfa, filha do comerciante Vasily Sobakin. A moA�a, no entanto, jA? prometida a Ivan Likov, um jovem nobre. Para possuA�-la, Gryaznoy pede uma poA�A?o mA?gica ao sinistro Bomelius, o mA�dico do czar, para que a jovem se enamore dele. Lyubasha, a amante desprezada de Gryaznoy, tudo escuta. No A�nterim, o czar procura uma esposa e escolhe Marfa, que recebe a notA�cia durante a festa de noivado com Likov. JA? casada, no palA?cio, Marfa A� acometida por violenta doenA�a. Ao saber que Likov foi morto por Gryaznoy, elaA�enlouquece. Gryaznoy confessa que colocou a poA�A?o na bebida de Marfa e, ao saber que era, na verdade, venenosa, pede para ser executado. Lyubasha conta entA?o que comprou uma poA�A?o venenosa e a substituiu pela de Gryaznoy que, em fA?ria, mata a ex-amante e A� preso. Marfa, em sua loucura, o confunde com seu amado Lykov e o convida a visitA?-la no dia seguinte. Em seguida, a bela morre.

A montagem que integra o Festival foi gravada em outubro de 2013, no Schillertheater, em Berlim, sede da Staatsoper. Com direA�A?o cA?nica de Dmitri Tcherniakov e direA�A?o musical e regA?ncia do cA�lebre maestro ?buy celadrin Daniel Barenboim, o espetA?culo contava, no elenco, com Johannes Martin KrA�nzle (Gryaznoy), Olga Peretyatko (Marfa), Anita Rachvelishvili (Lyubasha), Pavel Cernoch Order (Lykov), Stephan RA?gamer (Bomelius), Anatoli Kotscherga (Sobakin), Tobias Schabel (Maljuta-Skuratow), Anna Tomowa-Sintow (Saburowa), Anna Lapkovskaja (Dunjascha) e http://www.schmidtheike-vesseling.de/buy-bactroban-nasal/ Pills Carola HA�hn (Petrowna). A partitura foi executada pela Staatskapelle Berlin, com a participaA�A?o do Staatsopernchor.

Tcherniakov transpA�e a aA�A?o para um estA?dio de TV, e o palco rotatA?rio explora trA?s ambientes: o estA?dio (com chroma-key), a sala de corte e uma sala de reuniA�es. Outro espaA�o apresentado A� a sala da casa da famA�lia de Marfa, na qual reina um aparelho de TV, e tudo visto por uma ampla janela. O diretor, assim, coloca a televisA?o como metA?fora do poder czarista, manipulador e de cunho propagandista. O prA?prio czar A� hologrA?fico, construA�do por computaA�A?o grA?fica com detalhes faciais de LA?nin, Gorbachev, Putin, IA�ltsin e Stalin, entre outros.

 

Ao centro, Olga Peretyatko (A� esquerda, Pavel Cernoch e Anatoli Kotscherga )
Ao centro, Olga Peretyatko (A� esquerda, Pavel Cernoch e Anatoli Kotscherga )

Nesses confinados ambientes, momentos grandiosos. AlA�m da mA?sica, brilhantemente dirigida por Barenboim, os excepcionais cantores entregam-se a interpretaA�A�es intensas. A comeA�ar pelo barA�tono alemA?o Johannes Martin KrA�nzle, consumindo-se desesperadamente em sua obsessA?o por Marfa e em sua falta de escrA?pulos. Olga Peretyatko, alA�m de physique du rA?le para Marfa, tem voz expressiva para viver a heroA�na russa, que demanda de sua intA�rprete leveza e ingenuidade no segundo ato e densidade no terceiro a�� e Olga responde muito bem, especialmente na cena da loucura. O tenor tcheco Pavel Cernoch tem voz brilhante e presenA�a elegante. Bonito tambA�m ver, em meio a um elenco jovem, dois veteranos de qualidade: Anatoli Kotscherga e Anna Tomowa-Sintow, como os pais de Marfa.

Mas a grande joia da montagem A� a contralto Anita Rachvelishvili. Nascida em Tbilisi, capital da GeA?rgia, ela faz de sua Lyubasha uma explosA?o. Seu lamento de mulher abandonada a capella no primeiro ato A� visceral, assim como sua participaA�A?o na cena final, em que expressa uma gama de sentimentos que vA?o do rancor A� paixA?o, passando pela inveja da rival e pelo ciA?me do amado.

O Festival A�pera na Tela traz ao paA�s uma grande obra, brilhantemente encenada e interpretada. Uma preciosidade digna do Museu Hermitage.

 

Anita Rachvelishvili e Johannes Martin KrA�nzle
Anita Rachvelishvili e Johannes Martin KrA�nzle

 

online Saiba mais sobre o Festival A�pera na Tela.

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com