Música de câmaraProgramaçãoRio de Janeiro

Noites com o Barroco francês

Orquestra Barroca da UniRio faz concertos no Rio de Janeiro nos dias 2 e 9 de dezembro.

 

As noites dos sábados, 2 e 9 de dezembro, são dedicadas ao Barroco francês. Com apoio do Centre de Musique Baroque de Versailles, a Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, apresenta, dentro da série Brasil-França na Sala, a Orquestra Barroca da UniRio, sob a direção artística de Laura Rónai. Os concertos começam às 20h e têm participação da violinista Stéphanie-Marie Degand e da soprano Katia Velletaz (apenas no dia 9).

Criado em 1987, o Centre de Musique Baroque de Versailles (CMBV) segue ideia essencial e simples: reunir em um só lugar as profissões destinadas a redescobrir e valorizar a herança barroca francesa. Nos últimos anos, o CMBV intensificou tais metas e ampliou seu escopo de atividades com o objetivo de produzir concertos e espetáculos acompanhados de palestras; aprofundar a investigação das fontes antigas; organizar conferências; implementar treinamento vocal inicial e desenvolver a formação profissional superior; publicar partituras, obras científicas e recursos digitais. Graças à singularidade da sua missão e de suas ações, o CMBV tornou-se, internacionalmente, o principal protagonista da redescoberta e valorização do patrimônio musical francês do período barroco.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Centre de Musique Baroque de Versailles continua com sua ação de sensibilização e de formação no Brasil com estudantes da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) e sua orquestra barroca, explorando obras do repertório francês dos séculos 17 e 18.

A Orquestra Barroca da UniRio se dedica à interpretação do repertório dos séculos 17 e 18 com instrumentos históricos. O grupo surgiu em 2002 a partir do trabalho da Camerata Quantz, grupo coordenado pela flautista Laura Rónai, que se propunha a ser, mais que um conjunto de câmara, uma oficina permanente de interpretação histórica que reunisse professores, alunos e músicos interessados nesse repertório.

Stephanie-Marie Degand doxycycline without prescription é até hoje uma das raras violinistas capazes de dominar a técnica e os códigos de um repertório que vai do século 17 até a contemporaneidade. Paralelamente à sua carreira de concertista, dedica-se também à regência. Ao violino, ela já regeu orquestras importantes como a Filarmônica de Liège e a Orchestre d’Auvergne.

Katia Velletaz começou sua formação artística em dança clássica e em canto no Conservatoire de Chambéry, em sua vila natal, e posteriormente no Conservatoire Supérieur de Genève, sob a orientação de Maria Diaconu, em que ela obteve seu primeiro prêmio de virtuosidade. Sua voz e sua musicalidade a fizeram debutar sob a direção de Michel Corboz com o Viagra Jelly cheapest Oratório de Natal, de J. S. Bach, e a conseguir seus primeiros papeis em óperas barrocas com Gabriel Garrido e com o Ensemble Elyma. Katia tem se apresentado em importantes teatros, como o Opéra de Bordeaux e o Angers Nantes Opéra, ao lado de importantes maestros como Michel Corboz, G. Garrido, C. Rousset e E. Lopez Banzo.

A flautista Laura Rónai formou-se em licenciatura em Música pela UniRio e em Flauta pela State University of New York. Obteve título de mestrado na City University of New York e de doutorado em Práticas Interpretativas na UniRio. Ministrou cursos no Real Conservatório Superior de Madri e, nos EUA, nas universidades de Rutgers e Princeton. Visitou a Inglaterra, a convite do British Council, e tocou recitais nos EUA e na Europa. Tocou em duo com a pianista Ruth Serrão e com a cravista Sula Kossatz, com quem integra os grupos de câmara Sine Nomine e Re-Toques. Escreve para as revistas norte-americanas viagra cheap Early Music America, Flute Talk e Fanfare, além de publicar artigos regularmente nas principais revistas de música do Brasil. Na UniRio é responsável pela cadeira de flauta transversal, além de ser professora do Programa de Pós-graduação em Música. De 2006 a 2010 foi chefe do Departamento de Canto e Instrumentos de Sopro da mesma instituição, e é coordenadora da Orquestra Barroca da UniRio.

 

PROGRAMAS:

2 de dezembro

Jean-Philippe Rameau (1683-1764)
Suite d’Hippolyte et Aricie

Jean-Marie Leclair (1697-1764)
Concerto pour violon et orchestre en ré mineur, Op. VII n. 1

Antonio Vivaldi (1678-1741)
Concerto para violino e orquestra em ré maior, Grosso Mogul, RV 208

Antoine Dauvergne (1713-1797)
Suite de Polyxène

 

9 de dezembro

André Campra (1660 1744)
Motets à voix seule

Jean-Baptiste Morin (1677-1745)
Tunc dicent intergentes

Jean-Joseph Mouret (1682-1738)
Usquequo Domine

Louis-Nicolas Clérambault (1676-1749)
Miserere

Arcangelo Corelli (1653-1713)
Concerto Fatto per la Notte di Natale Op. 6 n. 8

viagra cheap François Colin de Blamont (1690-1760)
Motet à Voix Seule et Symphonie
Attende anima mea

 
Viagra Soft online

SERVIÇO:

 

Orquestra Barroca da UniRio doxycycline without prescription

Stéphanie-Marie Degand, violino

Katia Velletaz, soprano

Laura Rónai, direção artística

 

2 e 9 de dezembro, sábados, às 20h

Sala Cecília Meireles (R. da Lapa, 47, Centro – Rio de Janeiro. Tels.: 21 2332-9223 e 2332-9224)

 

Ingressos: R$ 40, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.