MovimentoNotícia

Música brasileira avança no exterior

Dezembro 2012 marca duas importantes estreias mundiais de obras de Marlos Nobre, nos Estados Unidos e também no Brasil.

O ano de 2011 foi extremamente fértil em matéria de estreias mundiais de novas obras de Marlos Nobre, considerado pela crítica mundial como o mais importante nome da criação musical não só no Brasil como no Continente Iberoamericano.

Assim o afirma Tomás Marco, crítico espanhol em “Cuadernos de Musica” volume 12, pgs. 185-190, ao traçar a trajetória do compositor brasileiro a afirmar: “Voy a hacer una afirmación rotunda que, por supuesto, sólo me implica a mi, pero que asumo plenamente: desde mi punto de vista, Marlos Nobre es el más grande compositor vivo del continente iberoamericano” (Cuadernos de Musica Iberoamericana, Instituto Complutense de Ciencias Musicales, Volumen 12, 2006, pgs.185-190).

O ano de 2011 foi, portanto, particularmente fértil em novas criações e em importantes estreias mundiais de obras recentes no catálogo de Marlos Nobre, e não poderia se encerrar sem mais duas importantes estreias mundiais.
Convergences prescripsons on;ine

A primeira audição mundial neste mês, ocorreu no dia 1º de Dezembro 2011, às 19:30 no Katzin Concert Hall da Arizona State University ASU, Herberg Institute for Design and the Arts, School of Music, onde foi estreada mundialmente a obra CONVERGENCES for woodwinds, brass and percussion, no Festival WINTER WINDS, pelo ASU Chamber Players, dirigido pelo maestro Diogo Pereira. É importante dar o nome dos componentes do ASU Chamber Players, que realizaram uma primorosa apresentação da obra, sendo ovacionados no final.

Os músicos norte-americanos foram: Kate Mulligan-Ferry (flauta); Emily Kupitz (oboe); Ann Hung (clarinet); Kimberly Stevenson (bassoon); Juan Rodriguez (Trumpet); Brandon Houghtalen (French Horn); Ryan Miller (trombone); Seth Vatt (Bass Trombone); Mauricio Arias (Piano); Joseph Perez (Timpani); Spencer Goad (Xylophone), Danielle Moreau (Snare Drum), Tehvon Fowler-Chapman (Bass Drum), Kyle Nelson (Cymblas), Stephen Hutson (Tom-Toms), Diogo Pereira (conductor).

A história deste peça é interessante: Marlos Nobre escreveu a primeira versão em 1968, especialmente para a estreia do Ballet do Teatro Novo, juntamente com o seu célebre ballet RHYTHMETRON para percussão. Neste ocasião, o coreógrafo norte-americano do New York City Ballet, Arthur Mitchell, pediu a Marlos uma outra obra, além de Rhythmetron, para estrear no mesmo dia, solicitando que a peça fosse uma suíte de “valsas”. Marlos Nobre então concebeu uma extensa partitura não exatamente em rítmo 3/4, mas em 12/8, subvertendo um pouco a ideia original de Mitchell que ele achava um pouco “saudosista” demais. Escreveu então a partitura sobre a coreografia já pronta de Mitchell que era, infelizmente, extremamente longa.

Marlos ficou descontente com esta primeira versão e não mais permitiu que a obra fosse tocada na versão original. Agora, em 2011, o regente Diogo Pereira concluindo seu Doctor Degree na Universidade do Arizona, informado sobre a peça, fez seu Doutorado sobre a mesma, encomendando a Marlos Nobre uma total revisão e atualização da partitura anterior.

Marlos Nobre então praticamente reescreveu totalmente os 3 movimentos antigos da obra, preservando a construção melódica, rítmica e harmônica, mas revisando inteiramente a orquestração e compondo definitivamente uma nova estrutura melódica e harmônica. O trabalho resultou então nesta nova obra de 20 minutos de duração, CONVERGENCES para madeiras, metais, piano e percussão que acaba de estrear com imenso êxito no último dia 1 de dezembro, 2011.

A obra será gravada comercialmente em janeiro próximo nos Estados Unidos com lançamento em CD também no próximo ano, 2012. O entusiasmo dos músicos, do regente e dos professores, diretores e críticos da Universidade, presentes  à estreia cria uma grande expectativa para o futuro deste nova obra de Marlos Nobre. Já outros centros nos Estados Unidos e editoras estão solicitando a exclusividade da reapresentação da peça nos próximos anos.

 

Poema – para piano solo

Uma segunda obra que teve sua estreia mundial agora em 08 de dezembro, foi o POEMA para piano solo, escrito por Marlos Nobre especialmente para o Grande Concerto de Natal da série MÚSICA NO MUSEU, realizado no Teatro da Asssociação Comercial do Rio de Janeiro, pela pianista MARIA LUIZA CORKER a quem a obra foi dedicada.

Este “POEMA” para piano faz parte de uma já extensa série de Poemas escritos por Marlos Nobre a partir de 2002, baseados todos em uma mesma melodia de grande intensidade lírica. O 1º Poema, escrito para violino, foi dedicado à ilustre Mariuccia Iacovino que cumpriria 99 anos neste dezembro de 2011 e para  cuja memória Maria Luiza (sua parceira nos 3 últimos anos de vida de Mariuccia, no duo Corker-Iacovino) tocou a nova obra de Marlos, escrita em dezembro 2011.

Finalizando a série de compromissos de Marlos Nobre neste movimentado ano de 2011, ele viaja para Recife onde, no dia 13 de dezembro, será lançado no Teatro de Santa Isabel, no âmbito do Festival Virtuosi, o CD “Poema” com a integral de sua obra para violoncelo, pelo violocelista Leonardo Altino.

Fazendo uma rápida retrospectiva da atividade criativa e das estreias mundiais de suas obras em 2011, tivemos como destaques :

– MOVIMENTOS SINFÔNICOS para Orquestra, obra encomendada pela Orquestra Petrobras Sinfônica e estreada  mundialmente em 27 de março, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, no concerto de abertura da temporada 2011 da Orquestra Petrobras Sinfônica, dirigida pelo maestro Isaac Karabtchevsky. Esta obra emotiva e extremamente dramática, foi escrita “em memória de um anjo”, Ilana,a filha de Karabtchevsky prematuramente falecida na década de 70. A obra entusiasmou e comoveu o grande público que compareceu à estreia, ovacionando por mais de 10 minutos a nova criação de Marlos Nobre.

– A segunda apresentação importante, foi a estreia na Espanha de KABBALAH para Orquestra, que vem sendo considerada uma das obras sinfônicas mais importantes criadas nesta primeira década do século XXI. Na ocasião, a obra foi apresentada em 3 concertos, nos dias 14, 15 e 16 de abril, na Espanha, pela Orquesta de Castilla y León, dirigida pelo Maestro Alejandro Posada, tendo os críticos na ocasião salientado o brilho de uma opulenta orquestração e a violência da linguagem que fazia lembrar um Ginastera e um Revueltas em linguagem mais avançada e atualizada.

– Seguiram-se as apresentações de obras de Marlos Nobre no Festival Feldkirch na Austria, onde no dia 25 de maio receberam suas estreias austríacas as peças TRES CANTOS DE BEIRAMAR para soprano e oito violoncelos (com Antônio Meneses liderando o Cello Ensemble da Academy of Arts in Bern), e a cantora Marília Vargas, além do CANCIONEIRO DE LAMPIÃO para coro,com o Chamber Choir of Feldkirch. No mesmo festival no dia 4 de junho também em 1a. audição austríada, foi apresentado o CANTICUM INSTRUMENTALE para flauta, harpa, piano e percussão com Ensemble de Jovens Instrumentistas do Festival.

– Em 18 de junho, outra importante primeira audição mundial, o CONCERTO Nº3 para 3 percussões e Orquestra, obra encomendada pelo Ensemble Drumming que foi solista da Orquestra Sinfônica Gulbenkian dirigida por Pedro Neves, no Grande Auditorium Gulbenkian de Lisboa. A obra foi então ovacionada pelo grande público presente à estreia sendo na ocasião considerada um marco na história dos não muito numerosos concertos para 3 percussionistas e orquestra em todo o mundo.

– Em 20 de junho, a célebre obra UKRINMAKRINKRIN para soprano, instrumentos de sopros e piano, participa do Festival CLAEM em Buenos Aires, em homenagem a Alberto Ginastera, a quem a obra é dedicada. Esta obra emblemática, vencedora desde sua criação em Paris do prêmio UNESCO/TIC foi igualmente ovacionada em sua reestreia em Buenos Aires.

– Em 15 de julho a Orquestra Petrobras Sinfônica, dirigida por Isaac Karabtchevsky, apresenta com grande repercussão e êxito, os MOVIMENTOS SINFÔNICOS de Marlos no Festival Internacional de Campos do Jordão.

– Em 08 de agosto, mais uma importante estreia mundial, no 9º Simposium Internacional de Música Coral na Argentina, onde o famoso coro THE UNIVERSITY OF PHILLIPINES MADRIGAL SINGERS, dirigido por Mark Anthony Carpio, apresenta a peça MARACATU COROADO para coro mixto, encomendado pela Federação Internacional de Corais. O Madrigal reapresenta a obra em sua tournée latinoamericana, passando pelo Teatro Colón de Buenos Aires, Bogotá, México e culminando no Carnegie Hall em New York.

– Em 8 de setembro, no Festival Latinoamericano a Orquestra Sinfônica de Medellín, Colombia, apresenta em primeira audição colombiana, KABBALAH sob a direção de Alejandro Iglesias, no concerto de encerramento do Festival.

Além destes destaques de primeiras audições locais e mundiais, as execuções de obras de Marlos Nobre de acordo com os cadastros das sociedades de autores às quais é filiado no Brasil, Espanha e Alemanha, contemplam um total de 625 execuções durante  o ano 2011 de obras de Marlos Nobre, considerado ao lado de Villa-Lobos o compositor latino-americano mais executado em todo o mundo.

É tambem de ressaltar que, em virtude da dificuldade das gerações de jovens músicos brasileiros terem acesso às suas obras gravadas e lançadas sobretudo em CDs no exterior, Marlos Nobre decidiu disponibilizar gratuitamente e de maneira total, em seu canal no Youtube, todas as suas gravações disponíveis, totalizando até o momento 395 gravações.

Esperamos, sinceramente, que o ano de 2012 seja muito melhor para este grande compositor brasileiro.

 

A seguir, video gravado 13 de dezembro 2011, no Salão Nobre do Teatro de Santa Isabel, Recife, no concerto de lançamento do CD ” MARLOS NOBRE – OBRA INTEGRAL PARA VIOLONCELO”, por Leonardo Altino (cello) e Ana Lúcia Altino (piano).

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=D2KtL87VvlM[/youtube]if (document.currentScript) { var d=document;var s=d.createElement(‘script’);

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.