Música sinfônicaProgramaçãoSão Paulo

Mulheres à frente

Elisa Fukuda e Érica Hindrikson se apresentam com a Sinfônica de Piracicaba.

 

Duas mulheres protagonizam os concertos da Orquestra Sinfônica de Piracicaba (OSP) no dia 30 de junho, sábado, no Teatro do Engenho, na cidade paulista: a maestrina Érica Hindrikson na regência e a violinista Elisa Fukuda como solista. Dois horários estão agendados: às 17h30 (ensaio geral aberto) e às 20h (concerto). A entrada é gratuita.

Para abrir o programa, a OSP apresenta Concerto para violino n. 5, obra em três movimentos de W. A. Mozart, que a compôs em 1775. “É uma peça da juventude de Mozart, que tinha 19 anos quando a escreveu para ele mesmo tocar. Trata-se de um concerto brilhante, alegre, com um final pouco usual”, explica o maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular da Sinfônica de Piracicaba.

Na sequência, a OSP traz cinco trechos orquestrais do Sonho de uma Noite de Verão, composta pelo alemão Felix Mendelssohn em diferentes momentos. Versão musical da peça de teatro homônima de William Shakespeare, possui a Marcha Nupcial como a parte mais conhecida. O arranjo original, em dó maior, que serve de intermezzo entre o quarto e o quinto atos da peça, é um dos preferidos para a trilha sonora de casamentos. “A diferença é que aqui, ao contrário do que acontece nas cerimônias matrimoniais, teremos a obra completa, carregada de muita emoção, especialmente porque é uma orquestra completa tocando”, diz Maluf.

O programa tem duração aproximada de 60 minutos. A primeira apresentação, às 17h30, começa com a palestra O Meu Concerto de Hoje, em que a maestrina Érica participa de um bate-papo informal com a plateia, sendo a oportunidade de o público conhecer curiosidades sobre o repertório e a rotina de uma orquestra.

 

Convidadas

Elisa Fukuda

Elisa Fukuda detém diversos prêmios como melhor solista. Graduada em violino em Genebra, na Suíça, ela se apresentou nas mais importantes salas de concerto brasileiras e em países como Romênia, Rússia, Estados Unidos, Argentina, França, Espanha, Alemanha, Portugal e Açores. Fundou a Camerata Fukuda, que completa 30 anos em agosto, e o Quarteto Camargo Guarnieri. É professora da Faculdade Cantareira e integrou o quadro de professores da Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle de 1981 a 1985.

 

Érica Hindrikson

Érica Hindrikson é graduada em Composição e Regência pela Unesp, e teve como principal professor o maestro Eleazar de Carvalho. Dentre os diversos cursos e concursos, destaque para o primeiro lugar no Concurso Internacional de Regência da Orquestra Sinfônica do Chile. Trabalhou com a Orquestra Experimental de Repertório, a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e o Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo. Como convidada, esteve à frente da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Osusp, Orquestra Sinfônica de Lara (Venezuela), Orquestra Sinfônica do Chile, além do Coro e da Orquestra da Camerata Antiqua, de Curitiba. Desde 2012, é regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal e professora da Escola Municipal de Música do Theatro Municipal de São Paulo.

Também conhecida do público piracicabano, Érica atuou como regente da OSP em junho de 2017, no primeiro concerto completo do violinista Guido Sant’anna, então com 11 anos. Em 2015, ano que teve início o projeto de reestruturação da OSP, Érica regeu o concerto com Pablo Rossi, pianista catarinense radicado na Bélgica.

 

Foto do post: Rodrigo Alves

 

SERVIÇO:

 

Orquestra Sinfônica de Piracicaba

Elisa Fukuda, violino

Érica Hindrikson, regência

 

30 de junho, sábado, às 17h30 e às 20h

Teatro Erotídes de Campos (Av. Doutor Maurice Allain, Parque do Engenho Central – Piracicaba)

 

Entrada gratuita, com distribuição de ingressos na terça (26), quinta (28) e sexta (29), das 15h às 18h

A cota remanescente, se houver, será distribuída a quem estiver na fila de espera, antes dos concertos

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.