CríticaLateralMúsica sinfônicaRio de Janeiro

A matA�ria dos sonhos

Purchase Purchase http://www.vocationtraining.org/2018/02/01/can-you-buy-imitrex-over-the-counter-in-canada/ cheap haldol medication Pianista Federico Colli, SinfA?nica Brasileira e maestro Neil Thomson fazem um Rachmaninoff para ficar na memA?ria. inderal treatment for migraines online

 

Ele entrou na imponente ribalta com suavidade e recato. Jovem a�� A� beira dos 28 anos a�� e esguio, tinha os cachos levemente desgrenhados e os olhos claros salientados pelo lenA�o azul amarrado ao pescoA�o, A� maneira de um dA?ndi de outrora, como parece ser hA?bito seu. A plateia foi silenciando-se A� medida que ele avanA�ava, tA�mido, rumo ao piano de cauda. As primeiras notas da Sonata n. 22 em fA? maior, Op. 54, de Beethoven, soaram pequeninas. O primeiro movimento (In tempo d’un menuetto) ganhou certa personalidade barroca em meio a seus dois temas contrastantes. O segundo movimento (Allegretto), de inA�cio com escalas ascendentes, foi tocado com mais vigor. Sozinho no palco, interpretando essa menos conhecida obra beethoveniana (escondida entre as irmA?s famosas, Waldstein [Op. 21] e Appassionata [Op. 23]), o pianista italiano Federico Colli comeA�ou o arrebatamento do pA?blico presente no Theatro Municipal do Rio de Janeiro no dia 25 de junho.

A Orquestra SinfA?nica Brasileira (OSB) entrou em cena em seguida, acompanhada pelo maestro britA?nico online viagra no Neil Thomson, com o objetivo de acompanhar Colli na execuA�A?o do Concerto para piano n. 3 em rA� menor, Op. 30, de Rachmaninoff. O solista beijou a mA?o da spalla como jA? nA?o mais se faz e continuou exalando romantismo com uma interpretaA�A?o apaixonada e tecnicamente impressionante dessa que A� conhecida por ser uma das mais difA�ceis do autor.

O pianista deu, ao conhecido tema do primeiro movimento (Allegro ma non tanto), colorido vivo e com um toque de mistA�rio na exata medida. A OSB foi alA�m de sua habitual qualidade e emanou incrA�vel sonoridade. Regida por Thomson, fez suas cordas soarem ainda mais vibrantes, transbordando energia e doA�ura no segundo movimento (Intermezzo: Adagio). Mesmo com os mA?sicos a pleno vapor, o caucasiano maestro enrubescia, seus olhos cinzentos cintilavam e suas mA?os clamavam por mais som e mais sentimento a�� e era prontamente atendido pela orquestra. No rA?pido e vigoroso terceiro movimento (Finale: Alla breve), a coroaA�A?o de um momento inesquecA�vel, uma performance na qual todos os mA?sicos, em especial regente e pianista, demonstraram profundo conhecimento do funcionamento orgA?nico da obra do russo, que permanecerA? por muito tempo na memA?ria de quem se deixou arrebatar.

ApA?s longa saraivada de aplausos, Colli voltou ao palco e anunciou, em portuguA?s perfeito, uma sonata de Scarlatti como bis. AdorA?vel!

Foi do hA?ngaro ZoltA?n KodA?ly (1882-1967) a obra executada pela OSB depois do intervalo: DanA�as de MarosszA�k Order . O conjunto reproduziu toda a exuberA?ncia da Europa Oriental contidas na partitura, composiA�A?o nacionalista oriunda de intenso trabalho etnomusicogrA?fico. Encantadores solos de flauta, flautim e clarineta decoraram a obra. O distrito de MarosszA�k, na TransilvA?nia, nA?o mais existe, mas a mA?sica permanece, cheia de vida e intensidade.

Da Hungria para a Dinamarca de Carl Nielsen: sua Sinfonia n. 2, Op. 16 a�� Os Quatro Humores encerrou o concerto. ComposiA�A?o multicolorida e de grande riqueza orquestral (nascida, segundo o prA?prio compositor, durante o consumo de um copo de cerveja), apresenta quatro sensaA�A�es, espalhadas pelos movimentos a�� Allegro collerico (colA�rico), Allegro comodo e flemmatico (sereno), Andante malincolico (melancA?lico) e Allegro sanguineo a�� Marziale (sanguA�neo). Trabalho intenso das cordas, forte presenA�a dos metais e intensa percussA?o mostraram a exuberA?ncia e a versatilidade da SinfA?nica Brasileira e a inteligA?ncia musical de Thomson.

Se a mA?sica integra a composiA�A?o da matA�ria dos sonhos, este concerto da Orquestra SinfA?nica Brasileira, acompanhada por Federico Colli e Neil Thomson, foi uma belA�ssima quimera da qual o pA?blico carioca se lembrarA? por muito tempo.

Colli, OSB e Thomson
Colli, OSB e Thomson

 

Fotos: CA�cero Rodrigues

 }}

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com