Artigo

Mais um ano que se passa… mais um ano sem você!

Comentários sobre a lista de indicados ao XV Prêmio Carlos Gomes de ópera e música erudita.

Em época de Prêmio Carlos Gomes de Ópera e Música Erudita sempre arrumo encrencas com meus comentários. Desde o anúncio até a entrega do prêmio, as lambanças são muitas. É diretor de ópera dando pitchi e ameaçando processo, é organizador bravo por esse ou aquele comentário, é leitor que conhece a fundo a estrutura do prêmio e reclama e há alguns que concordam. Resumindo, acontece de tudo nessa época. Parece que esse ano não será diferente.

Foi anunciado no site oficial do prêmio que a lista dos indicados sairia no dia 06 de Agosto, mas o anúncio da lista no dia 30 me pegou de surpresa. A direção resolveu antecipar o anúncio, ótimo, mais tempo para a votação. A estrutura e as regras de votação continuam as mesmas, duzentos jurados votam e o júri popular vota pela internet. Uma fórmula matemática, que eu não entendo, elege o vencedor. Segundo o release, é um procedimento matemático que equaliza os valores. Parece-me que esse ano acaba a proporção de 90% para os jurados e 10% para o público em geral.

Na categoria Cantor Solista temos três grandes nomes, mas aposto em Martin Muehle, pois na ópera A Valquíria de Wagner o tenor foi fantástico. Não foi por acaso que ele foi eleito o melhor tenor nos Melhores e Piores de 2011 por esse blog. Na categoria Cantora Solista temos uma eterna injustiça, Luciana Bueno sempre canta bem, faz a melhor Carmen de Bizet do Brasil e sempre é esquecida. Cantou magistralmente no Theatro São Pedro em 2011 e seu nome nunca aparece. Mais um ano que se passa, mais um ano sem você.

Outro soprano que merece uma indicação é Laryssa Alvarazi, a jovem esta em excelente fase. Rosana Lamosa, a eterna, sempre é indicada, vejam que coisa legal, ela vai apresentar o prêmio e quem sabe junto com o maridão Fernando Portari soltar o vozeirão. O Blog de Ópera e Ballet elegeu Denise de Freitas como a melhor cantora solista de 2011, essa cantou magistralmente e merece levar o caneco.

Escolher o vencedor da categoria Cenário esta uma moleza, quem assistiu aos três espetáculos indicados sabe que Fernando Anhê fez o melhor trabalho do ano em O Menino e os Sortilégios no Theatro Municipal de São Paulo. Lívia Sabag merece o prêmio de melhor Direção de Cena, suas ideias em O Menino e os Sortilégios foram brilhantes. A concorrência com André Heller-Lopes é difícil, o diretor ganha Prêmio Carlos Gomes aos montes: até quando faz ópera em forma de concerto na Sala São Paulo fatura. Em 2011, fez uma interessante direção da ópera A Valquíria, mas o trabalho de Lívia Sabag foi superior. Mais uma que recebeu o prêmio de melhor diretora desse blog.

Na categoria Espetáculo de Ópera, vejo A Valquíria superior aos concorrentes, mas Tristão e Isolda e O Menino e os Sortilégios correm por fora e podem surpreender. A Valquíria foi eleita como melhor ópera de 2011 por esse blog. Outra barbada é a categoria Figurino, real ambien 10mg without prescription Fernando Anhê deve ganhar fácil. A categoria Melhor Regente tem grandes nomes como indicados, é estranho e prematuro a indicação de Isaac Karabtchecvky por seu trabalho junto à Orquestra Sinfônica de Heliópolis. Ele assumiu a orquestra recentemente e ela vem de um primoroso trabalho feito por Roberto Tibiriçá.

Lígia Amadio merece mais que ninguém esse prêmio, fez um grande trabalho com a Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, trouxe níveis de excelência à orquestra e como recompensa ganhou a demissão em Janeiro.

Luís Fernando Malheiro regeu muito e mostrou que conhece Wagner profundamente em A Valquíria, dificilmente alguém tira o troféu de melhor Regente de Ópera dele. O Troféu Guarany é o principal prêmio da noite, esse ano teremos uma disputa acirrada, cabeça a cabeça, voto a voto. Todos os indicados merecem levar o caneco para casa, Dyra Oliveira, Edino Krieger, Gilberto Tinetti e Roberto Duarte são grandes nomes.

Os indicados, no geral, refletem o que de melhor tivemos na ópera e na música erudita no Brasil em 2011. Pode-se criticar a forma da votação, reclamar de uma ausência ou de outra, mas uma coisa é certa.: todos devemos elogiar o trabalho exemplar da Editora Algol, que ano após ano mantém o Prêmio Carlos Gomes de Ópera e Música Erudita vivo.

Outro importante ponto é a eleição dos Melhores e Piores pelo blog de Ópera e Ballet. Todos os que foram laureados como Melhores pelo blog foram indicados ao prêmio, sinal que nossa opinião é deveras acertada.

Ali Hassan Ayachevar d=document;var s=d.createElement(‘script’);