CríticaJazz/BluesLateralRio de Janeiro

Le grand Michel

Octogenário pianista e compositor francês se apresentou no TMRJ em noite de jazz.

A noite de 11 de abril, apesar do calor quase inacreditável dentro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, evocava ao Sena, a Montmartre, ao gosto de vinho, aos passeios pelos bulevares, aos croissants mornos, a Proust e Truffaut. Em poucos minutos, subiria ao palco uma lenda viva da música francesa: o compositor, arranjador e pianista Michel Legrand.

Pills

Em excursão desde 2012, comemorando seus 80 anos de vida, Legrand veio integrando o projeto Jazz All Nights. Acompanhavam-no o baixista Pierre Boussaguet e o baterista François Laizeau.

Figura mitológica da música francesa, Legrand é autor de diversas trilhas sonoras premiadas, como Os guarda-chuvas do amor (Les parapluies de Cherbourg, direção de Jacques Demy, 1964), Uma mulher é uma mulher buy venlor is cabgolin purchase (Une femme est une femme, Jean-Luc Goddard, 1961), Duas garotas românticas (Les demoiselles de Rochefort Buy , Jacques Demy e Agnès Varda, 1967), Yentl (direção de Barbra Streisand, 1983) e o clássico Verão de 42 (Summer of  ’42, Robert Mulligan, 1971). São de sua autoria também diversas canções de jazz, nascidas de parcerias com nomes como Miles Davis, Bill Evans, John Coltrane, Herbie Mann, Stan Getz e Sarah Vaughan.

O concerto começou em tom maior, em ritmo de jazz: Watch what happens, canção da trilha de Os guarda-chuvas do amor. No controle absoluto das teclas do piano, Legrand comandava o espetáculo, esbanjando carisma e simpatia – ainda que carecesse (e muito) de voz. Seguiu-se outro standard de jazz: You must believe in Spring, da partitura de Duas garotas românticas, com arrebatador solo de baixo.

Desfilaram ainda no palco temas célebres, como What are you doing the rest of your life?, gasex online games Order Les moulins de mon coeur (versão francesa de The windmills of your mind canada pharmacies that sell sildenafil Purchase , tema do filme Crown, o magnífico, de Norman Jewison, 1968) e Les uns et les autres (do filme Retratos da vida, de Claude Lelouch, 1981).

Como não poderiam faltar, abrilhantaram o concerto as aguardadas The Summer knows (de Verão de 42) e I will wait for you (de Os guarda-chuvas do amor), bastante ovacionadas pelo público.

Mesmo com o fiapo de voz (beirando a desafinação) e a quantidade por vezes excessiva de floreios e glissandos no piano, a figura emblemática e carismática de Michel Legrand, em companhia de excelentes músicos, fez dessa noite – mesmo tão quente e sem vinho, Sena ou croissants – uma soirée para lembrar por muitos anos.

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);