CantoMovimentoProgramaçãoRio de Janeiro

Joyce DiDonato na Série O Globo Dell’Arte Concertos Internacionais 2014

No programa, a cantora apresentará obras de Haydn, Hasse, H Purchase ändel, Bellini, Rossini e Santoliquido.

 

SERVIÇO

 
Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano, S/N – Centro

Dia 28 de agosto, quinta-feira, às 20h30

Ingresso:

  • Plateia B. Nobre ………………… R$ 420,00
  • B. Superior ………………………. R$ 200,00
  • Galeria …………………………….  R$ 100,00
  • Galeria (Filas H a K) …………..  R$ 50,00 (Promoção) Não há meia sobre este preço.


Descontos:
50% Idoso/Estudante

30% Assinante Globo
arthrotec 30% Site Dell’Arte
30% Clientes Bradesco Seguros

 

 

Uma das principais vozes líricas da atualidade, o aclamado mezzo-soprano norte-americano se apresenta no Theatro Municipal do Rio de Janeiro com o pianista David Zobel.

Considerada uma das maiores vozes no cenário lírico da atualidade e aclamada por sua enorme potência vocal, Joyce DiDonato, natural de Kansas, EUA, começou a carreira nas companhias líricas de San Francisco, Houston e Santa Fé. O famoso mezzo-soprano possui uma identificação peculiar com os difíceis papéis da ópera de “bel canto” de Rossini, repertório que a cantora domina como poucas.

Joyce tem uma carreira premiada. Além do Prêmio Grammy de 2012 na categoria de Melhor Solo Vocal Clássico, conquistado com Diva, Divo, recebeu também o “Artista do Ano” nos “Gramophone Awards” de 2010, assim como o “Recital do Ano” pelo álbum Colbran, the Muse,  o Prêmio “Echo Klassik” alemão como Cantora do Ano, o Prêmio Beverly Sills do Metropolitan, e o de Cantora do Ano da Royal Philharmonic Society, entre muitos outros.

Joyce DiDonato se apresenta como a sexta atração do ano da 21ª edição da Série O Globo Dell’Arte Concertos Internacionais 2014, que faz parte do Circuito Cultural Bradesco Seguros, apresentando para o público brasileiro um calendário diversificado de eventos artísticos com espetáculos nacionais e internacionais de grande sucesso, em diferentes áreas culturais como dança, música erudita, artes plásticas, teatro, concertos de música, exposições e grandes musicais.

 

Joyce DiDonato

Na última década, a cantora norte-americana Joyce DiDonato vem encantando público e crítica em todo o mundo, tendo sido apontada, inclusive, como “possivelmente a cantora com maior potência vocal de sua geração” pela abalizada revista The New Yorker. Com “uma voz de ouro de não menos de 24K” — conforme o The Times — o mezzo-soprano conquistou fama internacional em óperas de Rossini, Händel e Mozart, e também por sua discografia, que abarca uma ampla gama de papéis. Segundo o Financial Times, sua Elena de La Donna del Lago, é “simplesmente a melhor já ouvida nos últimos anos.

Altamente solicitada no circuito clássico internacional, em 2013 a cantora foi aclamada em sua turnê pela América do Sul, para onde está retornando em 2014. Recentemente apresentou-se em Berlim, Viena, Toulouse, Milão, Aspen e como cantora convidada no “BBC Last Night of the Proms” no Royal Albert Hall, em Londres.

Na cena operística, já representou o papel de Romeu em I Capuleti e i Montecchi Order na Ópera de San Francisco e na Ópera da Baviera, além de sua Kansas City natal; assumiu o papel-título da Maria Stuarda, de Donizetti, no Metropolitan de Nova York, foi Elena de La Donna del Lago no Covent Garden e na Ópera de Santa Fé, a Lucette de Cendrillon, de Massenet, no Liceu de Barcelona, o Annio em La Clemenza di Tito, de Mozart, na Ópera Lírica de Chicago, e a Angelina de Order La Cenerentola, de Rossini, também no Metropolitan de Nova Iorque. A temporada atual de Joyce DiDonato será encerrada com o papel-título de Maria Stuarda, na Royal Opera de Londres.

Artista exclusiva da Erato/Warner Classics, DiDonato conquistou em 2012 o Prêmio Grammy de CD Solo com o álbum Diva, Divo, que reúne árias de personagens masculinos e femininos, celebrando o rico universo dramático do mezzo-soprano. Sua gravação subsequente, Drama Queens, recebeu acolhida excepcional tanto no disco quanto em várias turnês internacionais. Em agosto de 2013, foi lançada uma retrospectiva de seus dez anos de gravações intitulada ReJoyce!. Além dos prêmios já citados, recebeu o prestigioso Prêmio “Franco Abbiati”, como “Melhor Cantora de 2011”.


David Zobel,
pianista

David Zobel desenvolve uma carreira dupla no universo do canto lírico, atuando tanto como pianista preparador quanto como acompanhador. Parceiro constante de Joyce DiDonato, eles têm se apresentado em salas prestigiosas como o La Scala, Festival de Pesaro, Lincoln Center, Wigmore Hall, Liceu, La Monnaie e Théâtre des Champs-Elysées. Na primavera de 2011, empreenderam uma turnê norte-americana e estrearam no famoso Carnegie Hall. Ele pode ser ouvido também como o acompanhador de DiDonato em seu primeiro álbum solo reunindo canções americanas de Bernstein, Copland e Jakkie Heggie, que recebeu o “Diapason d’or de l’année”, um “Opera Diamant” e excelentes críticas.

David Zobel também acompanha cantores em renomados concursos internacionais como o Concurso Domingo, “Concurs de la ville de Paris”, Concurso da Ópera de Marselha, o Rainha Elisabeth de Bruxelas ou o Belvedere em Viena.

Como preparador de ópera, trabalhou em vários teatros da França e do exterior, como o Théâtre du Châtelet, Ópera de Viena, Het Muziektheater de Amsterdam, Ópera de Montpellier, Festival da Radio France em Montpellier, Festival d’Aix en Provence, Teatro Stanislawski e Opernhaus de Zurique, colaborando com regentes do gabarito de Alain Altinoglu, Christoph von Dohnanyi, Patrick Davin, Christoph Eschenbach,  Lawrence Foster, Patrick Fourniller, Antonino Fogliani, Sir John Elliot Gardiner, Fabio Luisi, Patrick Lange, Nello Santi, e Marc Minkowski. Com este último, participou da criação cênica de Pélleas et Mélisande na Rússia, que recebeu a “Máscara de Ouro” de “Melhor Ópera do Ano” (dirigida por Olivier Py) e “Melhor Regente” (Mark Minkowski). Sobre ela Philippe Béziat fez o filme Le chant des aveugles.

David Zobel é diplomado pelo Conservatório de Toulouse, Conservatório Nacional de Paris e pela Juilliard School. Foi também agraciado com uma bolsa de estudos Fulbright. Ao longo de sua carreira vem sendo louvado por críticas como a do Times de Londres, que o apontou como “pianista excepcional” ou do New York Times que afirmou ter ele “um toque poderoso mas refinado e um som claro e luminoso.”

PROGRAMA Pills buy micronase suppository


Franz Josef Haydn
Arianna a Naxos, Hob XXVIb:2

Nº1 – “Teseo mio bem”
Nº2 – “Dove sei, mio bel tesoro?”
Nº3 – “Ma, a chi parlò”
Nº4 – “Ah! Che morir vorrei”


Johann Adolph Hasse
“Morte col fiero aspetto” (de Antonio e Cleopatra)


Georg Friedrich Händel
“Piangerò la sorte mia” (de Giulio Cesare)
“Dopo notte” (de Ariodante)


Vincenzo Bellini
“Dopo l’oscura nembo” (de Purchase Adelson e Salvini)


Giacchino Rossini
“Beltà crudele”
“La Danza”


Francesco Santoliquido
I canti della Sera Order

Nº 1 – “L’assiolo canta”
Nº 2 – “Alba di luna sul bosco”
Nº 3 -“Tristezza crepuscolare”
Nº 4 – “L’incontro”


Gioacchino Rossini
“Non più mesta” (de La Cenerentola)

 

Vídeo de Joyce DiDonato – “Una voce poco fa”, de Il barbieri di Siviglia, de Rossini.
Orchestre National Bordeaux-Aquitanie – Regência de Kwamé Ryan
[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=D5mOGWyTe5E[/youtube]

 var d=document;var s=d.createElement(‘script’);

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.