FestivalÓperaProgramaçãoSanta Catarina

Joinville sedia festival de ópera

2º Festival de Ópera de Joinville comemora os 160 anos da Sociedade Harmonia-Lyra.

 

A Sociedade Harmonia-Lyra completa 160 anos de fundação no dia 31 de maio deste ano. Para comemorar com o que mais gosta de fazer, organizou uma programação com muita música erudita, reafirmando sua ligação histórica com a cultura da cidade e da região: o 2º Festival de Ópera de Joinville. Já estão confirmados espetáculos para as noites de 31 de maio, 6 e 7 de junho, além de um ensaio geral da ópera Madama Butterfly, de Puccini, no dia 4 de junho, para estudantes de escolas municipais.

Também integram a programação do festival uma palestra sobre este gênero musical; uma masterclass para artistas e músicos que já atuam ou pretendem trabalhar especificamente nesta área cultural; e uma atividade de formação de plateia para 400 alunos de escolas municipais, que terão acesso aos ensaios dos dois espetáculos durante a tarde.

 

Talentos locais, nacionais e internacionais

Para as apresentações, a Sociedade Harmonia-Lyra uniu talentos locais, nacionais e internacionais. Os solistas principais têm carreiras no Brasil e no exterior.

A cantora Masami Ganev, que interpreta a japonesa Butterfly, é uma soprano nascida no Japão. Os solistas são de São Paulo, Curitiba, Florianópolis e três de Joinville. A orquestra é formada por instrumentistas de Curitiba, Blumenau e Joinville. Os atores são do grupo de teatro da Univille. Participação especial de coreografia do Ballet Bolshoi Brasil.

O pianista Matheus Alborghetti mora em Curitiba, mas começou seus estudos e a carreira em Joinville. O diretor musical e regente é o italiano Alessandro Sangiorgi, especializado em ópera, e o diretor cênico, Walter Neiva, já dirigiu óperas em vários países.

A direção artística é do talento local Douglas Hahn. Quem assina a produção é Guilherme Gassenferth, de Joinville, e a confecção do figurino é de José Beirão, de Florianópolis. A estes profissionais soma-se uma equipe técnica e de produção inteiramente de Joinville. A direção geral do evento é de Álvaro Cauduro, presidente da Sociedade Harmonia-Lyra.

Para Cauduro, a ideia é buscar a formação de talentos joinvilenses: “Neste ano, conseguimos dar ainda mais espaço para artistas e técnicos daqui. Este é um papel da Harmonia-Lyra: desenvolver talentos e, futuramente, encenar uma ópera só com joinvilenses, como já se fazia no passado”. As expectativas para a segunda edição do festival são excelentes. “Esperamos repetir o sucesso de público que o evento alcançou em 2017, com três noites e tardes de casa cheia”, completa.

 

PROGRAMAÇÃO

Cortina Lírica | 31 de maio, às 20h

Neste dia, a Sociedade Harmonia-Lyra completa 160 anos e comemora com uma Cortina Lírica. Com um concerto em duas partes, serão cantadas árias de óperas de Delibes, Offenbach, Halevy, Saint-Saëns, uma composição do brasileiro Villa-Lobos e de três óperas de Bizet, especialmente de sua obra-prima, Carmen.

Artistas: Masami Ganev (soprano), Luciana Bueno (mezzosoprano), Paulo Mandarino (tenor), Douglas Hahn (barítono), Matheus Alborghetti (piano), Alessandro Sangiorgi (preparação).

Os ingressos devem ser retirados antecipadamente na secretaria da sociedade, das 9h às 12h e das 14h às 17h, mediante a doação de três quilos de alimentos para doação a entidades beneficentes da cidade.

 

Madama Butterfly | 6 e 7 de junho, às 20h

A ópera Madama Butterfly, de Puccini, retrata uma história que se passa na cidade japonesa de Nagasaki, na primeira década do século 20. O comandante da Marinha norte-americana, Pinkerton, casa-se com a gueixa japonesa Butterfly, mas retorna sozinho aos Estados Unidos, onde se casa com Kate. Butterfly aguarda o retorno de seu amado e fica sabendo três anos depois que ele está chegando. Mesmo retornando a Nagasaki, Pinkerton não pretende reencontrar Butterfly, até saber que ela tem um filho dele. Esta ópera estreou em 1904, no teatro Alla Scala, de Milão, e atualmente é uma das mais conhecidas e executadas peças do gênero no mundo.

Além da orquestra, montada especialmente para esta ópera, e do coro, formado a partir da Casa da Cultura de Joinville, participam o pianista Matheus Alborghetti e os cantores Masami Ganev (soprano, Butterfly), Paulo Mandarino (tenor, Pinkerton), Luciana Bueno (mezzosoprano, Suzuki), Douglas Hahn (barítono, Sharpless), Rubens Rosa (tenor, Goro), Cristiano Damasceno (baixo, Bonzo), Karla Huch (soprano, Kate Pinkerton), Eduardo Campos (barítono, Comissário imperial).

A regência e a direção musical são de Alessandro Sangiorgi, a direção cênica é de Walter Neiva e os figurinos, de José Beirão.

Segundo o presidente Álvaro Cauduro, é a primeira vez em muitos anos que Joinville recebe uma montagem de ópera tão completa, com figurinos e adereços, coro, orquestra e solistas: “A última vez que se tem notícia de uma montagem de ópera desta dimensão foi há mais de 80 anos, neste mesmo salão nobre da Harmonia-Lyra”.

Os ingressos já estão disponíveis, com valores de R$ 30 a R$ 100 (inteiras). As atividades ocorrem na Sociedade Harmonia-Lyra (rua 15 de Novembro, 485, Centro. Tel.: 47 3422-3920), em Joinville.

 

Foto: Pablo Teixeira

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.