Crítica

Inesquecível “La forza del destino”

O  produtor  Lauro Gomes prosseguiu neste 13/11 na Finep  com sua muito bem sucedida série de montagens reduzidas de óperas em versão canto/piano.

Desta vez tivemos La Forza Del Destino, de Verdi.

Em nossa já longa trajetória na música, poucas vezes tivemos oportunidade de sentir tão profundamente  a emoção e o comovimento sentidos com esse espetáculo, mesmo levando em conta a modéstia de meios e as partes suprimidas, tudo suplantado integralmente pela riqueza musical e operística do mesmo. A montagem foi  bonita, com soluções muito bem imaginadas para cenários e figurinos, e o elenco de intérpretes foi o que de melhor se pode exigir, tendo à frente o fenomenal soprano Marina Considera.

O tenor Ivan Jorgenssen cantou bem do início ao fim, voz redonda e volumosa, agudos fáceis, boa dicção, timbre agradável, presença convincente. O barítono Manuel Alvarez, em que pesem poucos senões, também cantou bem do início ao fim, voz baritonal e expressiva. O baixo Murilo Neves foi de absoluta dignidade, tanto vocal como cenicamente. Em suma, em uma noite de extremo sucesso, foi enorme prazer ter no palco e poder ouvir um trio de cantores tão covincente e expressivo como o acima citado.

A pianista Eliara Pugina esteve impecável, assim como o pequeno coro masculino.

Chegamos agora ao soprano Marina Considera, motivo maior de tanta emoção e comovimento. Marina canta como uma fada. Sua voz, linda de timbre, foi capaz de fazer desfilar diante de uma atônita audiência uma tal gama e variedade de recursos, que as palavras não são suficientes para dar, no papel, ideia desses recursos. Marina tem linda presença buy cialis online with prescription e expressão  absolutamente teatral e teatral/operística, possui voz de enorme volume, capaz de reduzir-se a um tênue fio em pianíssimos de sonho, sabe aproveitar o valor de pausas, de filaturas, de smorzandos, de alternância de expressões dentro do discurso musical. Com ela, não há canto monótono nem mesmice estilística. Ela sabe que a Leonora de Il Trovatore é diferente da Leonora da Forza, tanto em caráter como em estilo e vocalidade.

Essa excepcional artista do canto  merece ser melhor aproveitada por grandes teatros no Brasil e no exterior. E, mais que isso, o público do mundo inteiro tem o direito de ver e ouvir essa grande representante  da mais subida  arte do canto.

MARCUS GÓES – NOV2012

} else {

1 Comment

Leave a Response

Marcus Góes
Musicólogo, crítico de música e dança e pesquisador. Tem livros publicados também no exterior. Considerado a maior autoridade mundial sobre Carlos Gomes.