LateralMúsica de câmaraProgramaçãoSão Paulo

Happy Hour e Quartas Musicais no Theatro Municipal de São Paulo

Oportunidade de assistir a recitais do Ensemble da Fundação Theatro Municipal e outros convidados

Para proporcionar ao público música clássica gratuita, o Theatro Municipal de São Paulo, instituição da Secretaria Municipal de Cultura, apresenta as séries Happy Hour e Quartas Musicais. Em novembro, há quatro espetáculos, que acontecem sempre às 18h.

As apresentações do Happy Hour acontecem às segundas-feiras. A primeira, no dia 5, leva ao Saguão do Municipal o pianista Felipe Vaz para um recital com as peças Ostinato, de Mikrokosmos volume 6 n° 146, de Béla Bartók; Variações em Fá menor, de Joseph Haydn; e Funérailles, de Harmonies Poétiques et Religieuses n° 7, de Franz Liszt. Na semana seguinte, dia 12, Sonata para Piano e Violino em Lá maior, uma das mais conhecidas do compositor César Franck, é executada pelos músicos José Arthur Cunha de Souza e João Pedro Ferraz, no recital de piano e violino. Já no dia 26, o programa é com o Ensemble da Fundação Theatro Municipal, formado pelo flautista Marcos Kiehl, pelo violinista Alex Ximenes e pelo violista Otávio Nicolai. O conjunto apresenta obras de Ludwig Van Beethoven, Antonio Vivaldi, Patápio Silva e Zequinha de Abreu.

Já a série Quartas Musicais traz para o Salão Nobre, no dia 7 de novembro, o Quinteto de Sopros da Orquestra Experimental de Repertório. Formado por Tayná Trigo na flauta, Marcelo Vilarta no oboé, Gustavo Ananias no clarinete, Henrique dos Santos na trompa e Rodrigo Rodrigues no fagote, o grupo se debruça sobre Quinteto para Sopros, de Carl Nielsen e Le Tombeau de Couperin, de Maurice Ravel.

 

A retirada dos ingressos para as séries Happy Hour e Quartas Musicais deve ser feita uma hora antes do início das apresentações. Os músicos que se apresentam nas séries fazem parte da Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo e da Orquestra Experimental de Repertório, que pertencem à Fundação Theatro Municipal de São Paulo.

Diretoria de Formação

Todas essas séries são organizadas pela Diretoria de Formação da Fundação Theatro Municipal de São Paulo. O objetivo é articular e promover a interação das atividades artístico-pedagógicas e administrativas dos setores que a compõem: a Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo, a Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo e a Orquestra Experimental de Repertório.

A Diretoria de Formação também trabalha de forma constante em prol do estabelecimento de intercâmbio de suas escolas, grupos e alunos, com as atividades artísticas profissionais no Theatro Municipal de São Paulo, além de outras instituições educacionais e culturais, por meio da participação dos grupos artísticos em apresentações, produções, ensaios e masterclasses.

 

PROGRAMAÇÃO

HAPPY HOUR

  • Dia 05 de novembro, segunda-feira, às 18h

 Felipe Vaz – piano

B. Bartók
Ostinato, de Mikrokosmos volume 6 n° 146  

J. Haydn
Variações em Fá menor, Hob. XVII:6

F. Liszt
Funérailles, de Harmonies Poétiques et Religieuses n° 7

Classificação Indicativa: Livre (recomendado para maiores de 7 anos)

 

  • Dia 12 de novembro, segunda-feira, às 18h.

José Arthur Cunha de Souza – piano
João Pedro Ferraz – violino

C. Franck
Sonata para Piano e Violino em Lá maior

Classificação Indicativa: Livre (recomendado para maiores de 7 anos)

 

  • Dia 26 de novembro, segunda-feira, às 18h

Ensemble FTM
Marcos Kiehl – flauta
Alex Ximenes – violino
Otávio Nicolai – viola

Obras de L. V. Beethoven, A. Vivaldi, P. Silva e Z. de Abreu

 

Classificação Indicativa: Livre (recomendado para maiores de 7 anos)

 

QUARTAS MUSICAIS 

  • Dia 07 de novembro, quarta-feira, às 18h

Quinteto de Sopros da Orquestra Experimental de Repertório (OER)
Tayná Trigo – flauta
Marcelo Vilarta – oboé
Gustavo Ananias – clarinete
Henrique dos Santos – trompa
Rodrigo Rodrigues – fagote

C. Nielsen
Quinteto para Sopros 

M. Ravel
Le Tombeau de Couperin 

 

Classificação Indicativa: Livre (recomendado para maiores de 7 anos)

 

 

 

SERVIÇO

 

Happy Hour e Quartas musicais no Theatro Municipal


Theatro Municipal de São Paulo – Saguão
(Praça Ramos de Azevedo, s/no. – Centro – SP – 11 3397 0327)

Ingressos: Grátis. Retirada de ingressos na bilheteria com uma hora de antecedência.

*Não será permitida a entrada após o início da apresentação

 

 

Theatro Municipal de São Paulo

O Theatro Municipal de São Paulo faz parte da Secretaria Municipal de Cultura. Em 27 de maio de 2011, o Theatro Municipal de São Paulo foi transformado de departamento da Secretaria Municipal de Cultura em Fundação de direito público, com um corpo artístico formado pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Coro Lírico Municipal de São Paulo, Balé da Cidade de São Paulo, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Coral Paulistano, Orquestra Experimental de Repertório, Escola Música do Theatro Municipal de São Paulo e pela Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo, tendo como espaços o Theatro Municipal, a Central Técnica do Theatro Municipal e a Praça das Artes.

Inaugurado em 12 de setembro de 1911, o edifício inspirado na Ópera Garnier, em Paris, tem a assinatura do arquiteto Ramos de Azevedo e projeto interno dos italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi. Além de receber grandes nomes mundiais da música e da dança como Enrico Caruso, Maria Callas, Francisco Mignoni, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Isadora Duncan, Nijinsky, Nureyev e Baryshnikov; o Theatro também foi cenário de um dos principais eventos da história das artes no Brasil, a Semana de Arte Moderna.

Nos quase 107 anos do Theatro Municipal, três grandes reformas marcaram as mudanças e renovações do prédio: a primeira delas, em 1954, criou novos pavimentos para ampliar os camarins, reduziu os camarotes e instalou o órgão G. Tamburini; a segunda, de 1986 a 1991, e para celebrar o centenário, a terceira reforma, mais complexa que as anteriores, restaurou o edifício e modernizou o palco.

Instituto Odeon

O Instituto Odeon é o gestor do Theatro Municipal de São Paulo. Com mais de 20 anos de atuação na área da cultura, o Instituto se destaca pela gestão do Museu de Arte do Rio – MAR, no Rio de Janeiro, além de consultorias ao Governo do Pernambuco e Prefeitura de Porto Alegre, produção de espetáculos de teatro e idealização e gestão de diversos projetos socioculturais. A instituição assumiu em 1º de setembro a gestão do corpo artístico formado pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Coro Lírico Municipal de São Paulo, Balé da Cidade de São Paulo, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Coral Paulistano Mário de Andrade e Orquestra Experimental de Repertório e dos espaços Theatro Municipal, Central Técnica do Theatro Municipal e Praça das Artes.

 

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.