LateralÓperaProgramaçãoSão Paulo

Gru Sinfônica: ópera “O Cônsul”, de Giancarlo Menotti

A temporada 2020 das orquestras de Guarulhos destaca no próximo dia 28 de novembro, sábado, às 20h, O Cônsul, ópera em três atos do ítalo-americano Giancarlo Menotti apresentada pela Orquestra Gru Sinfônica. Obra inédita no Brasil, O Cônsul integra a série No Mundo da Ópera, cuja programação estabelece rico diálogo entre a música orquestral e suas infinitas possibilidades de apreciação.

Todos os concertos digitais das orquestras de Guarulhos são transmitidos pelas suas redes sociais: no YouTube, no Facebook e no Instagram.

 

A montagem

A temporada 2020 das orquestras foi completamente reformulada para atender aos protocolos sanitários de prevenção e combate à pandemia, privilegiando a escolha de obras elaboradas para formações com poucos instrumentistas. Este é um dos motivos da opção pela ópera de Menotti, que é destinada a um grupo sinfônico de menores proporções e sem coro. Os solistas atuarão distanciados entre si e afastados da orquestra.

Com uma construção que se aproxima da linguagem cinematográfica e do texto falado (não é por acaso que Menotti fez inúmeras versões filmadas da ópera em diversas circunstâncias), O Cônsul se encaixa perfeitamente nesse formato de interação à distância.

A transmissão on-line da ópera oferece grandes desafios à produção, sobretudo quanto à necessidade de posicionar os instrumentistas e cantores frente às câmeras, de modo a garantir maior contato visual do telespectador com as nuances e sutilezas da montagem. O modo como o elenco está integrado e a qualidade da atuação dos cantores são o diferencial da produção de uma obra nessas circunstâncias, concebida levando-se em conta um estreito contato entre o público e o espetáculo.

Do ponto de vista da equipe criativa, é importante enfatizar que o espetáculo reúne um elenco de excelência, um time de profissionais de grande qualidade, partindo da convicção de que o indispensável para a elaboração de um espetáculo de ópera de alto nível é um conjunto gabaritado de profissionais, dos cantores à direção cênica, passando por cenografia, figurinos e iluminação, muito mais do que um cenário vistoso e dispendioso.

Apostar no artista é um dos fundamentos da produção de óperas na temporada das orquestras de Guarulhos. A montagem terá direção cênica do argentino Pablo Maritano, cenários e figurinos de Desirée Bastos e iluminação de Wagner Antônio. Dentre os solistas, destacam-se a soprano Tati Helene, a mezzosoprano Ana Lucia Benedetti, o tenor Giovanni Tristacci, o barítono Vinícius Atique e o baixo Sávio Sperandio. A regência é do maestro Emiliano Patarra (veja a ficha técnica completa mais abaixo).

 

Uma obra premiada

O Cônsul estreou em 1950, há 70 anos, e logo após a sua estreia ganhou uma série de prêmios bastante importantes, dentre os quais o Pulitzer de Música. Tais premiações fizeram com que Giancarlo Menotti se tornasse conhecido no ambiente lírico e se firmasse como criador. Na obra, ele combina recursos de escrita musical explorados por compositores ligados à vanguarda criativa da época com uma escrita calcada nos estilos consagrados das gerações anteriores, sempre em função das necessidades do drama.

Contrariando o imaginário popular de que as narrativas das óperas devem versar tão somente sobre enlaces amorosos, a obra conta a história de um ativista político que cruza a fronteira para fugir da polícia, deixando a sua família do outro lado. Para se juntar a ele nesse outro país, suas mãe e esposa e também o filho do casal precisam de uma autorização do Consulado, mas aguardam ser atendidos e engrossam o número de pessoas que esperam por soluções, com suas vidas em suspenso. Nesse cenário dramático, Menotti problematiza a falta de empatia pelo sofrimento do outro. Muito embora escrita há 70 anos, a história é assustadoramente atual.

A ópera O Cônsul substitui Rusalka, op. 114, de Antonín Dvořák, transferida para a próxima temporada (em virtude da pandemia do novo coronavírus) para celebrar os 180 anos do compositor tcheco.

 

Ficha Técnica

Direção Musical e Regência: Emiliano Patarra

Direção Cênica: Pablo Maritano

Cenários e Figurinos: Desirée Bastos

Visagismo: David Lenk e Claudinei Hidalgo

Iluminação: Wagner Antônio

Design de Vídeo: Hernán Curioni

 

Magda Sorel – Tati Helene (soprano)

John Sorel – Vinícius Atique (barítono)

A Mãe – Ana Lucia Benedetti (mezzosoprano)

Agente de Polícia – Sávio Sperandio (Baixo)

A Secretária – Juliana Taino (mezzosoprano)

Nika Magadoff – Giovanni Tristacci (tenor)

A Estrangeira/Anna Gomez/Voz gravada – Thayana Roverso (soprano)

Mr. Kofner – Gustavo Lassen (baixo)

Vera Boronel – Nathália Serrano (contralto)

Assan – Andrey Mira (baixo-barítono)

 


SERVIÇO

 

Gru Sinfônica apresenta “O Cônsul”, ópera de Giancarlo Menotti

Dia 28 de novembro, sábado, às 20h

Concerto virtual, transmitido pelas redes sociais: YouTube, Facebook e Instagram.

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.