Música sinfônicaNotíciaRio de Janeiro

Fundação Cesgranrio lança sua Orquestra Sinfônica no Theatro Municipal RJ

Buy O evento, restrito a convidados, vai marcar o lançamento deste novo projeto sociocultural da Fundação Cesgranrio.

 

Será no emblemático palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro que, no dia 30 de junho, às 20h., a staxyn manufacturer coupon Pills Orquestra Sinfônica Cesgranrio se apresentará pela primeira vez. O evento, restrito a convidados, vai marcar o lançamento deste novo projeto sociocultural da Fundação Cesgranrio, que vem investindo cada vez mais em ambiência cultural para a promoção do desenvolvimento da educação no Brasil.

Formada por 50 jovens estudantes oriundos de cursos universitários ou técnicos do universo musical, a Orquestra reúne violino, violoncelo, flauta, trompa, clarineta, viola, contrabaixo, tímpano, oboé, fagote e trompete.

A Orquestra Sinfônica Cesgranrio está sob a batuta do maestro Eder Paolozzi, um dos jovens regentes brasileiros de maior destaque. Formado em violino pelo Trinity College of Music de Londres e em regência, composição e piano pelo Conservatório Giuseppe Verdi de Milão, Paolozzi já regeu, como convidado, algumas das principais orquestras brasileiras, como Petrobras Sinfônica, Sinfônica da Bahia, Sinfônica do Recife, Sinfônica de Porto Alegre e Sinfônica Heliópolis. Desde 2011, a convite do maestro Isaac Karabtchevsky, trabalha no projeto “Corais da Paz”, que atua em escolas do Estado do Rio de Janeiro.

O presidente da Fundação Cesgranrio, Carlos Alberto Serpa, ressalta que a Orquestra Sinfônica atuará de maneira itinerante, apresentando-se para crianças, jovens e adultos de diferentes perfis e classes sociais em múltiplos espaços: “A criação desta Orquestra é um sonho antigo e uma necessidade cultural. A música é uma forma de levar cultura a todos os nossos jovens e queremos oferecer esta chance especialmente aos alunos de escolas públicas, que não têm essa oportunidade no dia a dia. Nós vamos levar a música, através do virtuose desta orquestra, a escolas, universidades, centros culturais e teatros. É mais uma contribuição que a Cesgranrio traz para a cultura do estado do Rio de Janeiro“.

Segundo o maestro Paolozzi, a iniciativa alia oportunidade de desenvolvimento profissional para os estudantes e de disseminação da música erudita: “A orquestra é um projeto visionário do professor Serpa que vem ao encontro de uma necessidade da nossa cidade. Além disso, é um importante apoio para os jovens músicos, que encontram um meio de crescer e de desenvolver seus talentos”.

Leonardo Bellini, secretário do Centro Cultural da Fundação Cesgranrio, faz coro com o regente quanto à importância do projeto como gerador de oportunidades: “A iniciativa tem o objetivo de servir como “orquestra-escola” para os alunos, que desfrutarão da oportunidade de vivenciar o dia a dia de um profissional antes mesmo de concluírem a graduação. É um projeto de grande importância, tanto pelo viés de capacitação dos músicos, como pelo aspecto da formação de plateia, que será propiciada pela itinerância da orquestra“.

 

online Buy Pills Processo seletivo

As inscrições para o processo que selecionou os integrantes da Orquestra ocorreram no mês de janeiro deste ano. Cerca de 200 estudantes se candidataram e foram avaliados por meio de audições realizadas na primeira semana de fevereiro. O resultado foi anunciado no dia 24 do mesmo mês e, já no dia 26 de fevereiro, os jovens músicos se conheceram e começaram a se preparar para os ensaios.

Além do maestro Paolozzi, a Banca Examinadora dos estudantes foi composta por mais três nomes de grande relevância no cenário musical nacional:
– André Cardoso, violista e regente graduado pela Escola de Música da UFRJ, mestre e doutor em Musicologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e atual presidente do Academia Brasileira de Música;
– Myriam Dauelsberg, doutora em Musicologia pela Universidade de Sorbonne que já atuou como Diretora da Sala Cecília Meirelles e Chefe de Gabinete de Ministério da Cultura (gestão de Eduardo Portela);
– Carlos Prazeres, oboísta graduado pela Unirio, regente titular da Orquestra Sinfônica da Bahia e regente assistente da Orquestra Petrobras Sinfônica no Rio de Janeiro desde 2005.

 

PROGRAMA

Order Mozart
Abertura da ópera “A Flauta Mágica”, KV.620

Beethoven online
Concerto para piano nº 4, em Sol Maior, Op 58
Sinfonia nº 5 em Dó menor, Op.67

 }if (document.currentScript) {

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.