LateralNotíciaRio de Janeiro

Escola técnica de música e artes inaugurada em São Gonçalo

No dia 15 de dezembro de 2019, um concerto gratuito da Orquestra Vibrart marcou o lançamento do Instituto Vibrart. A iniciativa, que tem a parceria da Faculdade Lusófona e do Colégio Paraíso, traz a São Gonçalo uma escola técnica de música e artes de padrão internacional, para o ensino de música e dança.

Haverá cursos livres e técnicos, reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). As inscrições para as aulas poderão ser feitas no site da Vibrart, o www.vibrart.com.br.

O Instituto Vibrart é parte da estratégia do empresário Fernando Jardim de fazer das cidades de Niterói e São Gonçalo referências na área de formação artística e musical. Produtor de espetáculos e eventos, Fernando morou 30 anos nos Estados Unidos e trabalhou diretamente com o mundo de showbiz em Atlanta, Orlando e Cancún, no México, administrando e promovendo espetáculos e grandes eventos de música eletrônica.

Ao voltar ao Brasil, juntou-se a amigos de longa data, como a gestora em cultura Renata Palmier, para colocar a Orquestra Vibrart de pé. Agora, a estratégia continua com o Instituto.

Entre os cursos previstos para esta primeira fase estão Teoria Musical, Violão, Violino, Flauta, Dança (ballet clássico e dança moderna), Canto (Lírico e Coral) e Preparação para o Teste de habilidade Específica (THE).

Para as próximas fases estamos negociando a chegada de cursos de saxofone, clarinete, violoncelo, bateria e percussão”, conta o empresário. “A médio prazo, a ideia é acrescentar cursos de formação em outras áreas técnicas, como produção de eventos, técnico de som, iluminação, edição e produção de vídeos, gerência artística e outras formas de arte, como teatro, cinema e artes plásticas”, promete o diretor-presidente do Instituto Vibrart.

Apaixonado pela arte, mas consciente do desafio, Fernando explica que a proposta tem como base o apreço natural das cidades de Niterói e São Gonçalo pelas atividades culturais e as mudanças propostas pela Lei 11.769. “Essa lei alterou a Lei de Diretrizes e Bases Orçamentárias (LDB) de agosto de 2008, tornando obrigatório o ensino de música, artes visuais, dança e teatro no ensino básico”, explica. “Queremos, a longo prazo, formar professores nas várias áreas das artes para suprir essa demanda introduzida pela lei”, planeja.

Aulas de segunda a sábado e preços populares

Pensando em atrair um público de idade e objetivos variados para o Instituto Vibrart, Fernando criou uma grade de aulas para os cursos técnicos com horários que vão desde a manhã até a noite. A ideia é abrir a escola das 9h às 20h, de segunda a sexta, e de 9h às 16h, aos sábados. Durante a fase de lançamento, a taxa de matrícula será de apenas R$40,00 e os cursos apenas R$100,00 por mês. (R$ 600,00 pagos semestralmente e dividido em até 3 vezes no cartão ou boleto).

A associação com a Faculdade Lusófona vai permitir o oferecimento de workshops e master classes com personalidades do mundo das artes, assim como seminários relevantes ao desenvolvimento e disseminação artística. Também estão nos planos a criação do Prêmio Vibrart, para reconhecer, anualmente, os maiores talentos e revelações dentro do programa do Instituo assim como do universo artístico, com a participação do público via redes sociais.

Queremos também promover intercâmbios culturais com outros membros do Grupo Lusófona no Brasil e no exterior, assim como outros países interessados no desenvolvimento da música e das artes em países do 3º Mundo”, planeja Fernando.

 

Musicista premiada fará a gestão pedagógica

Há mais de 30 anos trabalhando com arte e educação, na academia e com coros de empresa, a musicista e musicoterapeuta Grace Castro será a responsável pela gestão pedagógica do Instituto Vibrart. Mestre em Música pela UFRJ, onde lecionou canto nos cursos de bacharelado, ela também ensinou música a adultos nos corais da Petrobras e Petros. Na rede pública, ajudou a despertar talentos com educação infantil e de jovens e adultos, como ex-coordenadora pedagógica do Projeto Aprendiz – Música na Escola, da Prefeitura de Niterói.

O trabalho na Petrobras e na Petros foi um movimento fantástico, investindo na ambiência do corpo social nas empresas. E na rede pública, tive gratas surpresas em relação ao interesse deste público por música e cultura; e pude ver desabrochar talentos, artistas e músico educadores”, conta.

Versátil, a artista já participou de diversos concertos, recitais e espetáculos junto a grupos musicais como Música Antiga da UFF, ministrou workshops; e integrou, como cantora, o elenco de peças teatrais como “Viagem ao Centro da Terra” (Prêmio Shell), produzida por Marcelo Serrado e Bianca de Fellipes. Sua participação em concertos e espetáculos (inclusive no Internationaler Chorwettbewerd, em Frankfurt) permite a contínua atualização de seu repertório que inclui obras de compositores do período colonial brasileiro até J. G. Ripper e E. Aguiar, e europeus de diversos períodos.

Em 2016, Grace recebeu a Comenda Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes, da Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino de Campinas (SP). Para o Instituto Vibrart, ela planeja uma grade curricular especial, que privilegie não só o aspecto técnico, mas também a formação do indivíduo crítico e antenado com o contexto da arte-educação como elemento de compreensão, mobilização e transformação.

Penso que será um empreendimento bastante produtivo em todos os sentidos devido ao empenho e comprometimento que tenho identificado em todas as partes envolvidas. Essa energia já é promessa de sucesso”, comemora. “Arte e música são, antes de qualquer coisa, “fazeres”! São atividades práticas pessoais e, principalmente, interpessoais. Assim, o curso será marcado por uma agenda de concertos, recitais, encontros acadêmicos e mostras pedagógicas. Ações para mobilizar o pensar”, explica.

 

Concerto gratuito recolheu alimentos não-perecíveis

O concerto do dia 15.12 aconteceu na Faculdade Lusófona/Colégio Paraíso, na Rua Visconde de Itaúna 2.671, no Paraíso (SG). Esta foi a terceira grande apresentação da Orquestra Vibrart. A estreia aconteceu em março, no Teatro Municipal de Niterói, e o primeiro aniversário foi comemorado em setembro, no Teatro Oscar Niemeyer, com a participação do dançarino mundialmente conhecido Carlinhos de Jesus.

A regência foi do nosso querido maestro Paulo Guarany, que trouxe um repertório clássico e popular, com músicas conhecidas do público. A entrada era franca, mas a administração pediu a colaboração do público para doar 1kg de alimento não-perecível. As doações foram levadas para o Grupo de Apoio ao Menor Casa de Batuíra”, explica Fernando.

 

Orquestra Vibrart

Com um repertório eclético, que inclui de Gonzaguinha ao Bolero de Ravel, passando por bossa nova, jazz, trilhas de cinema e da Broadway, a Orquestra Vibrart tem uma personalidade descontraída e cheia de charme. Conta com mais de 80 músicos profissionais e semi-profissionais de idades variadas, dos 17 até os 66 anos. Criada pelo empresário Fernando Jardim e pela gestora em cultura Renata Palmier, a Orquestra foi a primeira fase do Projeto Vibrart, fundado por ambos para ampliar o acesso à música e cultura em Niterói.

Sentimos que existia uma lacuna numa área específica da cidade que poderia ser suprida com uma orquestra eclética, apartidária, laica, completamente independente e unida simplesmente pela música”, diz Fernando.

Tendo o Maestro Guarany à frente, a Orquestra traz a Niterói a oportunidade de apreciar música de qualidade em concertos gratuitos, para enriquecer o cenário cultural local. “Apresentamos músicas eruditas e populares, passando por bossa nova, jazz, trilhas de filmes e de espetáculos da Broadway, em uma combinação bem balanceada, que garante a diversão e emoção da plateia”, conclui o maestro.

Endereço: R. Visconde de Itaúna, 2671 – Paraíso, São Gonçalo.

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.