CríticaLateralÓpera

E a menina voltou para casa

A�pera de Villa-Lobos retornou ao Municipal do Rio, apA?s 55 anos de ausA?ncia, com encenaA�A?o lA?dica e vozes equilibradas.

 

Ela finalmente voltou pra casa! Depois de estrear em novembro de 1960 no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Order Cheap A Menina das Nuvens Purchase , A?pera em trA?s atos de Heitor Villa-Lobos sobre libreto de LA?cia Benedetti, com base na peA�a teatral homA?nima da prA?pria libretista, retornou ao mesmo palco de sua criaA�A?o absoluta, com rA�citas atA� 1A� de novembro. A produA�A?o ora apresentada no Rio de Janeiro A� oriunda do PalA?cio das Artes, de Belo Horizonte, onde estreou em 2009. Antes de chegar ao Rio, a montagem passou pelo Theatro Municipal de SA?o Paulo em 2011.

Maior compositor brasileiro, Villa-Lobos nA?o era exatamente um homem de teatro, e, por isso, a A?pera ocupa lugar discretA�ssimo em sua vasta e extraordinA?ria produA�A?o. Por sua vez, A Menina das Nuvens estA? longe de ser uma obra-prima, mas possui momentos de interesse musical, alA�m de constituir para o pA?blico infanto-juvenil uma atraente porta de entrada para o mundo lA�rico. Na obra, acompanhamos a histA?ria de uma menina criada nas nuvens, que quer voltar A� terra para conhecer a sua famA�lia.

Nesta produA�A?o que chega agora ao Rio, a direA�A?o de William Pereira A� bastante fluente e conta com a competente atuaA�A?o cA?nica de todo o elenco. AtravA�s dos cenA?rios e dos figurinos, Rosa MagalhA?es Order (que A� filha da libretista) cria ambientes lA?dicos e adequados A� aA�A?o. A iluminaA�A?o de Pedro Pederneiras A� correta e, com alguns momentos bastante inspirados, realA�a a fantasia da obra. TambA�m correta A� a coreografia de TA�ndaro Silvano.

Na primeira rA�cita, em 23 de outubro, o Coro do Theatro Municipal (preparado por JA�sus Figueiredo), em curtas intervenA�A�es dos bastidores, esteve bem, assim como os alunos da Escola Estadual de DanA�a Maria Olenewa. Merece destaque a graciosidade da pequena bailarina Amanda Marinho, como a espevitada Valsinha. A Orquestra SinfA?nica do Municipal, conduzida pelo maestro Roberto Duarte, cresceu ao longo da noite, alcanA�ando seu melhor momento no terceiro ato.

O time de solistas esteve, no geral, bastante equilibrado, mas A� preciso registrar que houve uma ligeira amplificaA�A?o das vozes a�� o que, por um lado, acaba facilitando um pouco a audiA�A?o de vozes que normalmente nA?o se projetariam tanto, e por outro, prejudica uma avaliaA�A?o mais tA�cnica dos solistas. Michele Menezes (Anita), Lara Cavalcanti (MA?e) e Cheap Regina Helena Mesquita (Rainha) estiveram bem. A mezzo-soprano Adriana Clis esteve muito bem como a Lua, assim como o tenor FlA?vio Leite foi um engraA�adA�ssimo Soldado.

O barA�tono Marcelo Coutinho Cheap deu boa conta do Vento VariA?vel, enquanto o tenor Giovanni Tristacci foi um PrA�ncipe impecA?vel. O barA�tono InA?cio de Nonno viveu um A?timo Corisco, e o baixo-barA�tono LA�cio Bruno encarnou o Tempo com enorme propriedade e domA�nio do palco. Na pele da personagem-tA�tulo, Menina das Nuvens, que ao longo da A?pera descobrimos se chamar Cacilda e que permanece em cena quase o tempo todo, a soprano Gabriella Pace tambA�m ofereceu um A?timo rendimento.

cheap kamagra supplier review A Menina das Nuvens A� um espetA?culo simples, bonito e muito bem cuidado, que merece a visita nA?o sA? de todos os amantes da mA?sica, como de seus filhos, sobrinhos e netos. Por isso mesmo, foi lamentA?vel constatar na estreia desta sexta-feira a quantidade considerA?vel de lugares vagos no Theatro Municipal. Nessas horas, resta a triste sensaA�A?o de que parte do pA?blico sA? se interessa mesmo pelas a�?Carmensa�? e pelas a�?Traviatasa�? da vida. A� pena. Tomara que o pA?blico compareA�a em peso nas prA?ximas rA�citas.

Encerro com um registro importante: na plateia, encontrava-se a mezzo-soprano GlA?ria Queiroz, que interpretou a Rainha na estreia mundial da A?pera, em 1960, neste mesmo palco. Sua ilustre presenA�a foi anunciada ao pA?blico pelo locutor do Municipal em um dos intervalos.

A prA?xima A?pera que subirA? ao palco do Theatro Municipal serA? Pills As Bodas de FA�garo, de Mozart, com rA�citas entre 19 e 29 de novembro.


Temporada 2016 serA? anunciada em breve

Em sua pA?gina no Facebook, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro informou recentemente que anunciarA? a sua Temporada 2016 no dia 19 de novembro, o mesmo da estreia de As Bodas de FA�garo. A notA�cia sA? vem confirmar, uma vez mais, a seriedade da nova gestA?o do Municipal e o compromisso dos gestores em tratar o pA?blico com respeito. Um teatro de A?pera sA�rio funciona exatamente assim: anuncia sua programaA�A?o com a devida antecedA?ncia.

 

Foto do post (foto de JA?lia RA?nai): Gabriella Pace e LA�cio Bruno}}

Leonardo Marques
Formado em Letras com pós-graduação em Língua Italiana. Frequentador assíduo de concertos e óperas. Participou de cursos particulares sobre ópera. E-mail: leonardo@movimento.com