Notícia

Coronavírus segue atrapalhando tudo

Como consequência das recomendações e dos decretos de autoridades federais, estaduais e municipais para se evitar eventos com aglomerações de pessoas, com o objetivo de reduzir possíveis transmissões da Covid-19 (a doença causada pelo coronavírus SARS-Cov-2), várias instituições brasileiras promotoras de óperas e concertos vêm cancelando as suas apresentações agendadas para o mês de março – como já vinham fazendo, a propósito, outras tantas instituições em todo o mundo.

No Rio de Janeiro, os efeitos da Covid-19 atingiram o Theatro Municipal, a Sala Cecília Meireles e a Cidade das Artes. O Municipal cancelou o concerto em que a sua Orquestra Sinfônica acompanharia a soprano norte-americana Sondra Radvanovsky na abertura da temporada 2020 da casa, pela série Grandes Vozes no Rio de Janeiro. As óperas Il Tabarro e La Vida Breve, previstas para serem apresentadas em um mesmo programa em forma de concerto cênico nos próximos dias 22 e 27, também foram suspensas e devem ser remarcadas. Até a ópera Yerma, de Villa-Lobos, que deveria receber montagem completa em abril, deverá ser adiada.

A Sala Cecília Meireles suspendeu a sua programação inicialmente por 15 dias, o mesmo ocorrendo com a Cidade das Artes. Consequentemente, concertos da Orquestra Petrobrás Sinfônica e da Orquestra Sinfônica Brasileira foram afetados.

Em São Paulo, a OSESP e o Theatro Municipal suspenderam suas programações por tempo indeterminado. No caso da OSESP, a suspensão incluiu todas as atividades a partir de 14 de março, incluindo concertos, visitas guiadas à Sala São Paulo, cursos, a Master class que seria ministrada pelo pianista Paul Lewis e a turnê do conjunto pelo interior do estado. Já no TMSP, a suspensão atingiu a produção da ópera Aida, que abriria a temporada lírica da casa no dia 28 de março. Visitas guiadas e outros eventos, incluindo aqueles da Praça das Artes, também foram suspensos.

Até o momento da publicação deste texto, o Theatro São Pedro, na Barra Funda, ainda não havia anunciado a suspensão das suas atividades.

No estado de São Paulo, a GRU Sinfônica e a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas também suspenderam as suas respectivas programações. O 7° Festival de Música Contemporânea Brasileira, que também seria realizado em Campinas entre 24 e 28 de março, será adiado e terá novas datas divulgadas futuramente.

Também há cancelamentos ou suspensões em outros estados. O festival Música em Trancoso, promovido pelo Mozarteum Brasileiro, e que deveria começar no dia 14 de março, foi cancelado. A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre suspendeu a sua programação até o mês de abril.

Até que a situação retorne à normalidade, o Movimento.com orienta quem adquiriu ingressos para óperas e concertos a confirmar a realização desses eventos junto às instituições promotoras antes de sair de casa. Da mesma forma, tais instituições devem esclarecer aos compradores as condições para troca ou ressarcimento dos ingressos dos eventos cancelados ou suspensos.

 

movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.